Anatomia e Formação das Células, Núcleo e Aparelho Respiratório

anatomia-e-formacao-das-celulas

Mesmo as de dimensões microscópicas – estão em condições de desempenhar qualquer das complexas funções do organismo.

CÉLULAS

As células não são iguais: existem milhões de tipos diferentes. Para simplificação do estudo, porém, adota-se um protótipo imaginário, que reúne algumas das características comuns à maioria das células.

Essa célula ideal apresentaria uma membrana envolvente; citoplasma; orgânulos imersos no citoplasma; e um núcleo subdividido em vários componentes. Com esse equipamento, na realidade, as células estão em condições de desempenhar todas as funções conhecidas do organismo.

MEMBRANA CELULAR

A membrana que envolve as células impede que o citoplasma se misture com o de células vizinhas. Sua função principal, porém, é a de filtrar moléculas requeridas pelo metabolismo interior da célula, isto é, o conjunto de atividades físico-químicas que se processam internamente.

A permeabilidade da membrana celular não é apenas de ordem mecânica. Moléculas de certo tamanho passam pelo “filtro” que a membrana constitui, enquanto outras menores são retidas. A razão disso é que a filtragem obedece a outros fatores, especialmente de carga elétrica e equilíbrio químico.

Nem sempre a membrana reveste a célula num saco esférico. Às vezes a membrana torna-se pregueada, cheia de saliências que se alternam com reentrâncias, de modo a aumentar a superfície externa sem aumento de volume.

CITOPLASMA

Citoplasma é protoplasma dentro da célula (kitos. compartimento). Além disso, citoplasma não designa uma substância, mas o meio interno da célula, formado por diversos tipos de substâncias. A substância fundamental do citoplasma é o hialoplasma (hyalos, vidro).

HIOPLASMA

O hialoplasma localizado na periferia da célula, junto à membrana, é o ectoplasma (ektos, superfície), capaz de alterar sua consistência normal de sol (substâncias fluidas) em gel (substâncias de consistência gelatinosa). Essa propriedade é importante nas células que emitem pseudópodes.

No centro da célula, nas proximidades do núcleo, o citoplasma recebe o nome de endoplasma (endon, dentro de), em estado de sol. Ë no endoplasma que se concentram os principais orgânulos citoplasmáticos.

APARELHO CIRCULATÓRIO

No endoplasma aparecem formações especiais que lhe dão um aspecto reticulado (de rede). O retículo endoplasmático é constituído sobretudo por membranas que formam bolsas e cuja função principal equivale à de’um sistema circulatório.

Como a permeabilidade dessas membranas é muito variável, certas substâncias passam facilmente em zonas onde a “grade” formada por elas é mais permeável. Essa função gradiente permite graduar o suprimento de substâncias químicas, de acordo com as necessidades de cada zona.

OS RIBOSSOMAS

Na superfície externa das bolsas de membranas que formam o retículo endoplasmático concentram-se estruturas de pequenas dimensões chamadas ribossomas.

Nelas a célula fabrica e armazena proteínas, de acordo com o modelo proveniente do núcleo e levado a elas por um mensageiro químico, o ARN (ácido ribonucleico).

As proteínas produzidas pelos ribossomas são transportadas para outras células do organismo, que as utilizam como matéria-prima. As proteínas humanas (cada espécie animal tem um tipo específico de proteína) entram na composição de quase todas as substâncias e estruturas do organismo.

APARELHO RESPIRATÓRIO

A célula típica tem muitos “pulmões”, grãozinho imersos no citoplasma, em forma de bastonetes, esferas ou raquetes: as mitocôndrias.

As mitocôndrias são formadas por pregas de membranas que as recobrem e que as recheiam ao mesmo tempo, como acontece com uma bola de papel amassado. As dobras internas são chamadas cristas mitocondriais.

Nas mitocôndrias processa-se a oxidação (combinação com moléculas de oxigênio) de certas substâncias. Mas as mitocôndrias são mais operosas que os pulmões, porque também produzem energia química a partir de combinações que nelas se processam.

OS LISOSSOMAS

A digestão, na célula (como nos animais), é o processo de decomposição química que precede a assimilação de certas substâncias. Celular mente, essa função cabe aos lisossomas, “saquinhos” de enzimas digestivas capazes de decompor as substâncias que formam a célula, além de outras.

Por isso, os lisossomas servem de aparelho digestivo das células. Quando o desenvolvimento de um organismo exige a regressão de certos órgãos, as células do órgão condenado se destroem: abrem-se os lisossomas e a célula comete autofagia, isto é, digere a si própria.

Esse fenômeno ocorre, por exemplo, na metamorfose dos girinos, que perdem a cauda ao se transformar em sapos.

COMPLEXO DE GOLGI E CENTRÍOLO

Um conjunto de sacos achatados ou cisternas forma o complexo de Golgi, cuja função consiste na elaboração e no armazenamento de proteínas. O centríolo é um órgão relacionado com a reprodução, que atua sob comando do núcleo na mitose ou divisão celular.

NÚCLEO

Em certa medida, o núcleo corresponde ao cérebro da célula, porque as diferentes funções do organismo celular parecem subordinadas a informações e ordens emanadas dele.

O núcleo é uma célula dentro da célula: possui uma membrana envolvente dupla, uma geleia interior (a cromatina, que é a massa de cromossomos), um suco nuclear e um nucléolo.

Imagem: alunosdoccv4.webnode.com



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos