A angiotensina II – O que é? Como afeta a Hipertensão

Um dos fatores mais discutidos na hipertensão arterial essencial seria a presença de maior quantidade de angiotensina II no sangue do hipertenso. A angiotensina II tem potente ação vasoconstritora e, por isso, eleva a pressão arterial.

Angiotensina II

Angiotensina II – Trata-se de uma substância de origem proteica, resultante da transformação de angiotensina 1, que, por sua vez, resulta da transformação de uma proteína plasmática, o angiotensinogênio. Este é produzido pelo figado, mas só se transforma quando é “trabalhado” pela renina, uma enzima proteolítica produzida pelo rim. Esse fato indicaria o rim como ponto de partida da hipertensão arterial.

Sabe-se também que a isquemia renal (diminuição de irrigação sanguínea do rim), apouca oxigenação dos tecidos do rim ou ainda doenças renais podem determinar aumento ou diminuição de secreção de renina. Quando aumenta a concentração de renina no sangue, inicia-se a reação em cadeia que acaba por estabelecer a hipertensão arterial.

Essa teoria é uma das que melhor aplicam o aparecimento da hipertensão arterial essencial. No entanto, verifica-se que em grande número de hipertensos a concentração sanguínea de angiotensina II não se encontra elevada.

publicidade

Finalmente, existem teorias que responsabilizam a ingestão exagerada de sai comum e os distúrbios dos barorreceptores pelo aparecimento da hipertensão. Os barorreceptores são corpúsculos especiais localizados no interior da carótida e aorta. Especialmente sensíveis às variações da pressão arterial, participariam do aparecimento da hipertensão arterial, através de um mecanismo bastante discutido.

publicidade