Funções do Córtex Cerebral – Estrutura, Áreas e Anatomia – O que É

O cérebro do homem, cortado verticalmente numa fatia, mostra uma camada cinzenta, externa (o córtex cerebral), que se sobrepõe a uma grande porção branca. E, afundados no meio da substância branca, distribuem-se grandes aglomerados de substância cinzenta, os núcleos de base, que cuidam das interligações nervosas.

Como nas outras partes do sistema nervoso central, os trechos de substância cinzenta (córtex e núcleos) são formados quase exclusivamente por corpos celulares. A porção que aparece esbranquiçada corresponde a aglomerados de feixes de fibras nervosas revestidas pelo invólucro protetor da mielina.

Um corte em profundidade no cérebro humano mostra que a superfície cinzenta tem sempre uma espessura que varia de 1,24 a 4 mm. A maior parte é composta por células nervosas (neurônios) que recebem impulsos dos pontos mais distantes do corpo e os retransmitem ao destino certo.

cortex

Importantes Funções Córtex Cerebral

Participa diretamente das funções motoras e sensitivas do corpo humano

Difusão dos impulsos nervosos

Numa verdadeira cadeia, as fibras de várias procedências chegam ao córtex e se ramificam como os galhos de uma árvore. Estabelecem contato com diferentes células corticais, por meio de múltiplas sinapses (isto é, ligações). Assim, todos os impulsos nervosos que ai chegam são difundidos, em fases sucessivas, pelas várias camadas.

Em cada camada, as células estão dispostas em cadeias, como as contas de um colar, e assim se estabelece um circuito fechado. Dentro desses circuitos, a excitação nervosa se retransmite e se propaga: são os circuitos auto-excitadores. E. como mantêm uma atividade prolongada, podem originar vários outros impulsos.

Funções: Áreas do Córtex

Cortex-cerebral

No córtex cerebral podem ser distinguidas numerosas áreas, com funções e limites relativamente definidos. A diferença entre elas reside na espessura e composição das camadas celulares e na quantidade de fibras nervosas que chegam ou partem de cada uma. Mas, conforme comprovam estudos recentes, o sistema nervoso age sempre como um todo único: não são apenas setores que se interligam, mas uma só unidade funcional, em que podem ser caracterizados diferentes aspectos.

O atleta que se prepara para o salto executa uma série de movimentos voluntários, muito mecanizados após o longo treinamento. Mas grande número de músculos participa desse movimento, sem que ele tome conhecimento. Inúmeros arcos reflexos percorrem outras tantas vias e centros ao longo de todo sistema nervoso, para permitir a ação muscular.

Mas, mesmo assim, é inegável que determinadas áreas cerebrais estão mais diretamente ligadas a certas funções. Assim, podem ser distinguidas a área motora principal, a área sensitiva principal, centros encarregados da visão, da audição, do olfato, e assim por diante. A localização desses centros funcionais varia um pouco para os diversos autores e por isso existem diferentes mapas de localização propostos com base em estudos de cito arquitetura (ou seja, disposição das células) e de eletrofisiologia cerebral.

Diferentes tipos de neurônios

O cérebro desempenha funções altamente diversificadas e, por isso mesmo, as células que o constituem também são especializadas. Tipos diferentes de neurônios distribuem-se em camadas dentro do córtex, em arranjos que caracterizam as diversas áreas dos hemisférios cerebrais, cada uma com suas funções.

As camadas específicas são compostas por grupamentos de neurônios de vários tipos, entre os quais se destacam as células piramidais, que possuem forma característica. Pequenas, médias, grandes e gigantes, as células piramidais constituem a maior parte da terceira e quinta camadas.

Semelhantes a formações granulosas, as células granulares existem em todas as camadas, mas em maior quantidade na segunda e na quarta. O terceiro aspecto típico dos neurônios do córtex são as células fusiformes, características da sexta camada.

Mas essas células especiais não estão sozinhas no córtex; os prolongamentos celulares se estendem, estabelecem ligações e relacionam-se aos inúmeros grupos de fibras que percorrem toda a região. Fibras radiais chegam e saem do córtex, trazendo e levando impulsos nervosos; outras fibras, tangenciais, dispõem-se em sentido paralelo à superfície cerebral e cuidam em particular de ligar as áreas do córtex entre si.

Essas fibras distribuem-se pela espessura do córtex, aglomeradas em determinadas áreas. Grupos de condensação de fibras podem ser observados na superficial e delgada camada molecular, em linhas ou estrias que se formam dentro do córtex.

cerebro

Memória

Dentro desses circuitos vão sendo gravadas as experiências e acontecimentos, ao longo de toda a vida. Uma vez pronta a gravação, o circuito fica armazenado no cérebro, para ser utilizado quando necessário. Nas crianças, a maioria dos circuitos são como CDs Virgens. Por isso, elas aprendem com facilidade: gravam continuamente novas fitas.

A medida que o tempo passa, o estoque de circuitos não usados vai diminuindo e passa a ser feita uma seleção: os adultos só gravam o que lhes interessa. Como um mecanismo de defesa, as fitas são automaticamente poupadas, para evitar “desperdício”.

Assim, o armazenamento de informações em circuitos fechados de células nervosas pode explicar em parte o fenômeno da memória.

 

Veja também: Tumor no Cérebro – Sintomas de Tumores Cerebrais intracranianos

Leia Também: