Amamentação – Dicas de Aleitamento Materno

Durante toda gestação, você provavelmente pensou muitas vezes na maravilhosa experiência da amamentação seu bebê. Tudo o que pensava era ver esse pequenino rostinho lindo e sentir a aproximação entre você e esse novo ser vivente. Claro que, quando finalmente chegou a hora de colocar o seu bebê em seu peito, você estava toda emocionada.

Mas agora, você está em agonia. Seus mamilos estão doloridos. E se o leite já desceu, seus seios estão inchados e com dor. O leite não consegue sair quando precisa e parece que ele sai sem controle quando você menos deseja que isso aconteça (como por exemplo, quando está esperando na fila de um supermercado ou sentada numa festa). Onde estão os ternos e felizes momentos que tem visto nos anúncios das revistas e na televisão?’

Bom, tenha calma. Esses momentos na realidade existem, mas não são de imediato. O problema é que muitas mães deixam de amamentar cheias de frustração porque não se dão conta que com o tempo as coisas melhoram. Também não se dão conta de que há coisas que podem fazer para diminuir o mal-estar da amamentação.

Quanto as causas da dor durante a amamentação, podemos dizer que depende de que parte dos seios você se refere. A dor nos mamilos é causada mais frequentemente porque o bebê se prende incorretamente ao mamilo. Se o bebê não se prende de uma forma que permita ao mamilo ajustar-se corretamente em sua boquinha, pode ser traumático para o seio.

A dor no seio é mais frequentemente causada pelo congestionamento do leite, quando ele desce definitivamente. Essa condição também pode fazer com que os seios fiquem doloridos entre as mamadas.

Mesmo que você não possa escapar de todo o mal-estar inicial da amamentação, há algumas recomendações e técnicas que podem ser usadas para evitar ou aliviar em grande parte a dor.

Amamentação

Certifique-se de que o bebê pegue o mamilo corretamente

Apesar do que você pode ter escutado, que dar de mamar é uma habilidade aprendida, toma tempo e prática para aperfeiçoá-la. Se o bebê se prende na ponta do mamilo, ao invés de pegar o mamilo inteiro, ele está chupando a delicada parte da ponta do mamilo. Se o bebê continua fazendo isso, os mamilos podem começar a rachar, a sangrar e a ter bolhas; e tudo isso os deixa mais vulneráveis à infecção, continua ela. A dica é fazer com que o bebê abra bem a boca, que você levante seu seio o por debaixo e o coloque o em contato com o bebê o mais rápido possível. Sua meta é que o bebê se prenda na auréola (a área mais escura ao redor do mamilo), e não no próprio mamilo. Se você lhe der o seio lentamente ele se prenderá ao primeiro contato com a ponta do mamilo. Quando o bebê se prende diretamente na ponta do mamilo, você o sentirá. “Poderá sentir um desconforto geral quando o bebê pegar a ponta do mamilo, ou poderá sentir uma dor verdadeiramente aguda, como se alguém tivesse dado um beliscão “, adverte ela.

Busque um auxilio. Quando estiver dando de mamar, coloque o bebê por cima de um travesseiro colocado sobre seu colo. Fazendo isto eleva um pouco mais o bebê e não irritará mais a área do mamilo, porque não terá que tirar o bebê.

Tratamento das Infecções dos Seios durante Amamentação

Os mamilos rachados e com sangue, que é o resultado dos primeiros dias de amamentação, podem deixá-la vulnerável a uma infecção no seio a qual se conhece como mastite. Raramente a mastite é seria, mas pode ser muito dolorosa e não pode ser curada sem o uso de antibióticos. Segundo, os sinais que indicam a mastite incluem uma área avermelhada no seio, dolorosa ao toque e que varia em tamanho desde 2,5 cm a toda o a área do seio, uma febre de até aproximadamente 39°C, dor e calafrios. Você pode ter um ou dois destes sintomas ou pode ter todos ao mesmo tempo. Eles tendem a vir muito rapidamente. Você pode sentir-se um pouco mal as 7:30 da manhã e uma hora mais tarde pode se sentir como se um caminhão tivesse passado por cima de você. Mesmo que você precise ir ao médico porque suspeita que tem alguma infecção no seio, a seguir há algumas coisas que você mesma pode fazer durante a infecção.

Continue dando de mamar; comece sempre com o seio infeccionado. Isto pode parecer como loucura total quando você tem tanta dor, mas ajuda a curar a infecção e não vai fazer mal ao bebê. O leite não está infectada em absoluto. É a área ao redor do mamilo que está infectada. Ela recomenda dar de mamar pelo menos cada duas a três horas, e com mais frequência se o bebê o desejar.

Antes de dar de mamar, coloque uma compressa quente no seio. Use uma toalha morna coberta com um saco plástico para manter o calor. Depois faça uma massagem sobre o seio

começando da parte de cima e descendo até o mamilo, concentrando-se especialmente na parte dolorida.

Vá para a cama. Você precisa de descanso total na cama. Este é a hora para que você se cuide e que os demais a atendam. Geralmente, leva de 24 a 36 horas para que a dor passe. Enfatiza-se a importância de continuar os antibióticos durante o período completo de 10 a 14 dias, mesmo que você esteja sentindo-se melhor.

Outros problemas que podem causar mal-estar incluem as infecções por fungos de levedo e os canais lácteos obstruídos. As infecções por fungos de levedo podem causar mal-estar contínuo nos mamilos e necessitam ser diagnosticados e tratados pelo médico.

Por outro lado, os canais obstruídos geralmente se curam por sozinhos em 24 horas. Eles se caracterizam por um nódulo duro e incômodo na parte carnosa do seio. Pode ser muito mais sensível ao toque mas geralmente não está acompanhado de febre. Para aliviar a dor de um canal obstruído, envolva o seio com uma compressa morna antes de dar de mamar, coloque o bebê para mamar primeiro no seio infectado, faça uma massagem na parte dura durante todo o tempo em que o bebê estiver mamando, para soltar o leite e desobstruir os canais.

Se o leite obstruir os canais por mais de 24 horas, pode começar a filtrar-se nos tecidos do seio e criar um ambiente líquido onde podem se reproduzir bactérias. Uma vez que se infecta, constitui um ponto sensível que dói o tempo todo. Acrescenta-se que as características tendem a ser mamilos doloridos, congestionamento do leite, canais obstruídos, e mastite. Se forem resolvidos os primeiros problemas, geralmente os últimos serão evitados.

Não se precipite no princípio. No princípio é tão emocionante dar de mamar ao bebê, que frequentemente a gente sente que não quer interrompê-lo quando está finalmente aconchegado e mamando. Mas isto tem um custo que se paga mais tarde, adverte. Ela recomenda limitar o tempo de amamentação durante os primeiros cinco dias. No começo, experimente cinco minutos em cada seio. Se você percebe que não está ficando dolorido, pode aumentar o tempo rapidamente.

Congestionamento do leite

Quando o leite desce, é bom que o bebê mame o tempo que quiser. Os bebês passam por um período de amamentar-se no momento certo em que o leite da mãe chega, e nossas recomendações é que deixe o bebê mamar constantemente durante este período de 12 a 24 horas. Você deve entender que este será seu único trabalho durante as próximas 24 horas. Sabemos que as mulheres que se conformam em fazer isto não passam pelo período inicial de congestionamento do leite no seio, porque o bebê ajuda a tirar todo o excesso de leite que o corpo produz no começo.

Depois todo o corpo automaticamente produz o leite suficiente para gêmeos, em seguida, gradualmente baixa a produção de leite para satisfazer as necessidades de somente um bebê e não de gêmeos.  Se você cria o hábito de amamentar seu bebê a cada três ou quatro horas e a deixar que durma todo o tempo que queira, o leite vai descer e fazer com que seus seios fiquem como se fossem explodir. O período de congestionamento do leite somente deveria durar de 36 a 48 horas, mas a dor faz com que se sinta como se a tivesse há cinco anos .



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos