Angina pectoris – Dor no Peito – Causas e Sintomas

Angina pedoris (angina do peito) é a dor no peito provocada pela insuficiência de oxigênio no músculo cardíaco. Essa insuficiência é resultado de estreitamento das artérias que irrigam o coração, as coronárias, na maioria das vezes produzido pela aterosclerose, ou depósito de gordura nas paredes. Outra causo possível é o espasmo da coronária, o estenose aórtica e a arritmia cardíaca, ou falhas no batimento do coração.

Outras causas, mais raras, são: anemia grave, que diminui drasticamente a eficiência do transporte de oxigênio no sangue; tirotoxicose, em que há aumento do hormônio da tireoide, que força o coração a trabalhar redobradamente; e policitemia, ou espessamento do sangue por excesso de glóbulos vermelhos, o que dificulta o fluxo sanguíneo através do coração.

Sintomas da Angina

O sintoma da Angina pectoris clássico é dor no peito, que pode variar de intensidade, mas apresenta, na descrição dos pacientes, característica de “aperto”. Pode passar do centro do tórax para os braços (geralmente o esquerdo), o pescoço, a mandíbula e as costas, entre as escápulas.

A dor se manifesta quando o coração precisa de mais oxigênio, e essa necessidade não é satisfeita por algum problema, como os já mencionados.

Durante o exercício físico, em situação de estresse, em circunstâncias climáticas extremas (muito calor ou frio), logo depois de lauta refeição, pode vir a dor. Uma das características mais marcantes da angina do peito é o alívio da dor, que costuma não demorar. Basta interromper a atividade. Além da dor podem surgir alguns sintomas que lembram o enfarte: respiração difícil, tontura, sudorese e náuseas. Se os sintomas são muito fortes, pode, na verdade, tratar-se do próprio enfarte.

Conselhos para Angina pectoris

Angina-pectoris

Em relação ao Angina pectoris, o primeiro conselho é não ignorar as dores, mesmo que a princípio sejam fracas e passem rápido. Podem ter outras causas, como esofagite, ou distensão muscular do tórax, mas só o médico poderá estabelecer o diagnóstico.
E preciso, ao primeiro sinal, proceder à avaliação completa do problema.

Algumas questões a que você deve dar atenção:

    • Você fuma? Em caso afirmativo, o seu risco de complicações é maior.
    • Come alimentos gordurosos? Como veremos a seguir, precisa mudar a alimentação.
    • E obeso? Os gordinhos correm maior perigo.
    • Tem pressão alta? Os hipertensos merecem cuidado redobrado.
    • O colesterol está alto? O risco de obstrução dos vasos é iminente. Não se descuide.
    • E do sexo masculino? A incidência é maior em homens, embora as mulheres não estejam livres.
    • Há casos na família? O fator hereditário pode interferir. Se há casos na família, mais cuidado.
    • Está sempre tenso? Pessoas tensas e preocupadas são mais propensas a desenvolver Angina pectoris.

Alimentação para quem tem Angina do peito

Evitar carnes, particularmente alimentos gordurosos. Evitar gorduras sólidas, como gordura de coco, manteiga e margarina. Todo o cuidado é pouco com frituras, óleo demais, embutidos, queijos gordurosos, ovos em excesso, doces e guloseimas, e sal demais (incluem-se aqui as conservas e os produtos em salmoura). Evitar, também, massas, açúcar e guloseimas. Utilizar abundantemente alimentos ricos em fibra, como cereais integrais, frutas e verduras frescas.

fonte: imagem



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*