Cálculo Renal – Sintomas, Causas e Tratamentos

Até recentemente, somente tinham duas alternativas desagradáveis para os que sofriam de cálculo renal: esperar que o cálculo descesse lentamente pelas vias urinárias ou submeter-se a uma operação para que o tirassem. Hoje em dia, existe um novo tratamento chamado litotripsia, onde os cálculos renais são destruídos com ondas magnéticas; este tratamento tem melhorado as perspectivas das desafortunadas pessoas que produzem cálculos renais.

Os cientistas na realidade não sabem porquê se formam os cálculos renais. Os cálculos renais tendem a ser hereditário; portanto, as pessoas que tenham tido alguém próximo que tenha tido algum episódio de cálculos devem ter cuidado. A maioria das vítimas afetadas por primeira vez estão entre as idades de 30 a 40 anos, e além do mais gozando de muito boa saúde. Os homens têm probabilidades quatro vezes maiores que as mulheres de ter cálculos renais; a teoria é de que os hormônios femininos talvez evitam que se formem os cálculos.

Tratamentos para não ter cálculo Renal

calculo-renal

Apesar das melhoras no tratamento do cálculo renal, definitivamente é preferível, em primeiro lugar, evitar de tê-los. Se você há tido algum problema com um cálculo no passado ou pensa que pode ser candidato para que se forme um, deve fazer de tudo o que possa para vencer essa possibilidade, o que quer dizer de que se já teve uma vez cálculos, você tem uma probabilidade de risco de 10 por cento de que se formem mais no decorrer de um ano, e uma probabilidade de 80% de que se desenvolva um cálculo novo em 15 anos. Aqui estão as formas de combater essas probabilidades:

Beba mais do que necessita para encher-se. Aumentar o consumo de líquidos deve ser o primeiro passo (e pode ser o único passo que se necessite) para evitar cálculos renais. Aproximadamente 3 litros—isso é pelo menos 12 copos 240 ml ao dia—é o mínimo. “Qualquer liquido é adequado,

publicidade

incluindo água, suco, gasosas, e até chá e café. A única restrição, é que as pessoas com oxalato alto na urina devem evitar o chá, e evitar muita leite pelo cálcio que contém.

Revise sua urina. Algumas vezes, não é possível levar a conta de seu consumo diário de água. Por isso é que medir sua produção de urina pode ser uma melhor indicação de seu consumo de líquidos. Eu aconselho a meus pacientes de que se assegurem de urinar de 1.200 a 1.500 centímetros cúbicos. Qualquer quantidade menor de 1.000 centímetros cúbicos ao dia é demasiado pouca, acrescenta.

Limite a quantidade de produtos lácteos. A grande maioria dos cálculos renais são os que se formam pelo cálcio: oxalato de cálcio ou fosfato de cálcio. Algumas pessoas propensas à formação de cálculos do tipo cálcio devem tratar de limitar seu consumo deste mineral. Se você tem estado tomando suplementos de cálcio com a esperança de fortalecer os ossos, na realidade pode estar aumentando os riscos de formar cálculos. Os produtos lácteos são a fonte dietética mais grande de cálcio. Limite, primeiro a manteiga e o queijo; estes alimentos também são de alto teor do tipo de gordura que seu coração se sentiria melhor se não os consumisse.

publicidade

Não alivie demasiado seu estômago. Alguns antiácidos de venda sem receita estão baseados em cálcio. Leia as bulas, e se a palavra “cálcio” aparece nela, escolha outro tipo de medicamento estomacal.

Coma menos carne. Tem se encontrado frequentemente que as pessoas que produzem cálculos de ácido úrico consomem dietas de alto teor de proteína animal, o que pode acelerar a formação de ácido úrico e cálcio na urina.

 

As pessoas propensas a cálculos renais deveriam reduzir seu consumo de proteínas animais.

Reduza seu consumo de oxalatos. Comer quantidades grandes de frutas e verduras proporciona muitas vitaminas e minerais; mas, no entanto, alguns destes alimentos também podem proporcionar oxalatos, os que você que terá que reduzir se tem tendência a formar cálculos renais. Nas pessoas com funcionamento normal de seu sistema gastrointestinal, os oxalatos podem não ser prejudiciais, mas sempre é boa ideia evitar o ruibarbo e o espinafre. Outros alimentos de alto teor de oxalato incluem: o chocolate, o chá, os refrigerantes de cola, a salsinha, os amendoim, e as frutas cítricas.

Tome vitamina A. A vitamina A é necessária para a saúde geral de suas vias urinárias. Os alimentos ricos em vitamina A incluem a batatas doce, a abóbora, o brócolis, e a cenoura. A quantidade Diária Recomendada (CDR) de vitamina A para adultos sãos, é de 5.000 unidades internacionais, as que se podem obter facilmente com uma dieta variada e balanceada. Não consuma os suplementos de vitamina A; se os toma muito, seu organismo não poderá excretar o excesso, o que pode ser tóxico.

Tome vitamina B. Os cientistas tem encontrado que a vitamina B6 pode na realidade reduzir a quantidade de oxalato do sangue, e portanto, reduzir o risco da formação de cálculos. O magnésio também tem um efeito negativo na formação de cálculos. Seu médico poderá sugerir um suplemento diário de vitamina B6 e/ou magnésio, ou de uma combinação de ambos. Se você toma vitamina B6, não tome mais de 25 mg por dia.

Tome menos vitamina C. Com as notícias dos poderes positivos da vitamina C aparecendo de forma regular, a pessoa pode chegar a acreditar que é uma vitamina milagrosa. No entanto, a vitamina C em doses muito altas—mais de 3.000 ml por dia—pode ser um problema em potencial para os que têm tendência a formar cálculos renais. Isso se deve a que a vitamina C é convertida em oxalatos no organismo. As pessoas propensas aos cálculos renais devem evitar os suplementos de vitamina C; mas os alimentos que contêm esta vitamina no apresentam problema.

Faça exercício. Um dos muitos benefícios do exercício de forma regular é que facilita a passagem do cálcio da corrente sanguínea para os ossos. O resultado disto é: ossos mais fortes e menos risco de formação de cálculos. Esta é uma é mais uma excelente razão para fazer exercício de forma regular.

Limite seu consumo de sal. Também há uma alta correlação entre os cálculos renais e o consumo de sal. Duas gramas ao dia é um consumo razoável.

 

É Bom o Suco de Uvas-do-Monte?

Um remédio popular, que sem que ninguém saiba porquê, desde faz muito tempo tem demostra’o ser efetivo para tratar infecções das vias urinárias ele é o suco de uvas-do-monte. Sua efetividade sempre se explicou em termos do poder do suco de acidificar muito a urina, e portanto, fazê-la pouco apropriada para as bactérias. E porquê outros sucos que têm o mesmo efeito de acidificar a urina não parecem ajudar com as infecções das vias urinárias foi sempre um mistério até que os pesquisadores encontraram que o suco de uvas-do-monte na realidade reduz a capacidade das bactérias de se aderir ao paredes interna da bexiga. Portanto, se pode concluir de que o suco de uvas-do-monte brinda os mesmos benefícios protetores contra os cálculos renais? Não há nenhuma prova cientifica, mas se você gosta do sabor do suco de uvas-do-monte, beba-o–vai aumentar seu consumo de líquidos.

 

imagem:  calculorenal.org

publicidade

Be the first to comment

Leave a Reply