Como saber se meu Bebê está doente – Saúde do recém-nascido

como-saber-se-meu-bebe-esta-donte-saude-do-recem-nascido

É útil que os pais saibam reconhecer os sintomas anormais mais comuns ou notórios para poder recorrer imediatamente ao médico, atendendo assim à enfermidade a tempo para seu melhor tratamento. Atitude da criança chama-se à posição que adota. Daremos dicas para você saber se seu Bebê está donte.

No lactente sadio e bem dormido, geralmente é a seguinte: de costas no berço, tem os membros inferiores e superiores flexionados, a cabeça ligeiramente inclinada para trás.

As mãos, fechadas, coloca-as para cima em ambos os lados da cabeça. Podem observar-se modificações na atitude da criança em diversas enfermidades, tais como meningite, tétano, toxicose, etc.

Dificuldades para a sucção

Toda criança sadia nasce com a faculdade de sugar. As débeis congênitas e as com alterações do sistema nervoso podem não saber sugar. Há recém-nascidos sadios que não sugam bem por um ou dois dias, mas é sempre prudente fazer examinar por médico a criança que não saiba sugar.

O claro O choro é a única linguagem da criança em seus primeiros meses. Por meio do choro pode exprimir: “Tenho fome,” ou “Tenho sede,” ou “Tenho frio,” ou “Tenho calor,” ou “Dói.” Pode dividir-se o choro do bebê em choro normal, também chamado fisiológico, e choro anormal ou patológico.

O choro normal ou fisiológico, traduz uma necessidade, desejo ou incomodidade, às vezes um mau hábito. Esta espécie de choro é geralmente bem-interpretada pela mãe, que lhe descobre a causa e aplica o remédio.

Pode atribuir-se a numerosas causas: excesso de agasalho, roupa muito ajustada, suja ou molhada, parasitos na cama, um alfinete que machuca, etc. O choro anormal ou patológico, traduz dor ou padecimento.

COMO SABER SE SEU BEBÊ ESTÁ DOENTE:

CHORO DO HIPONOMENTA

A criança prende-se ávidamente ao peito, suga por um instante e logo o abandona, chorando, pois não consegue todo o alimento necessário. A criança, nestes casos, pode ser “fraca, chorona e constipada.”

CHORO POR DOR DE OUVIDOS

É um choro intenso e contínuo. Aumenta ao comprimir o ouvido do lado enfermo. Às vezes o choro se produz unicamente ao tocar-se o ouvido.

CHORO POR CÓLICAS INTESTINAIS

Negado por alguns, comprova-se repetidas vezes. Vê-se com maior freqüência na criança que apresenta a chamada diátese exsudativa.

Às vezes a criança engoliu ar, ou a mãe ingeriu algum alimento que lhe produziu gases. A criança põe-se logo a chorar intensamente, dobrando as coxas sobre o ventre, e pára de chorar depois de haver expelido pelo intestino os gases ou matéria fecal.

Repete-se em geral várias vezes. Como tratamento, aplicar calor ao ventre (por exemplo, fraldas aquecidas com o ferro). Também podem ajudar uma infusão de anis ou um clister.

CHORO DA CRIANÇA NERVOSA

Não há febre nem dor. É criança que dorme pouco e tem amiúde tendência para vomitar. Com frequência apresenta a chamada diátese neuropática.

CHORO DA CRIANÇA COM FEBRE

Qualquer enfermidade com febre pode provocar choro. É um choro por momentos, não insistente. À noite a criança desperta várias vezes chorando.

FEBRE

A febre, além de ser processo de defesa do organismo, tem muita utilidade para indicar mãe que a criança está enferma.

Ao notar-se qualquer anormalidade ou abatimento na criança, é prudente tomar-lhe a temperatura. Se é maior que a normal, deite-se a criança e chame-se o médico, para que determine a causa e indique o tratamento.

Muito numerosas são as enfermidades capazes de produzir febre na criança (e para o próprio médico pode, em certos casos, ser difícil, a princípio, determinar a causa exata).

DIARREIA

Diarreia é outro sintoma muito importante de enfermidade, que indica peregrinamente que a criança deve ser levada ao médico. Quanto mais pequena a criança, tanto mais urgente é o exame médico neste caso.
Vômitos e regurgitações.

VÔMITO

Nesta seção estudaremos exclusivamente o vômito na criança. É importante diferençar nela o vômito, da regurgitação, que é também muito frequente nessa idade. A regurgitação consiste no retorno à boca do alimento proveniente do esôfago, ou do estômago, sem o esfôrço do vômito.

Diferençar-se, pois, o vômito da regurgitação por sobrevir esta habitualmente logo após a ingestão do alimento, sem esfôrço e sem ser precedida de náuseas. Se o alimento que a criança tomou por leite, apresenta-se geralmente não coagulado.

A regurgitação costuma dever-se a que o estômago está demasiado cheio de alimento, ou acompanha a expulsão de gás pela boca (arrotos). Ao contrário, o vômito é precedido de náuseas, é acompanhado de esfôrço e aparece mais tarde, pelo que se o alimento que vomitou for leite, apresentar-se-á coagulado.

Se o vômito é leite de vaca, os coágulos serão grandes e terão cheiro a manteiga rançosa. Se o leite for o materno, serão mais pequenos os coágulos e menos desagradável o seu cheiro.

Essas foram algumas das melhores dicas de Como saber se seu Bebê está donte.

Fonte:

1, 2

Imagem: mildicasdemae.com.br 



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos