Corpos Estranhos nas Vias Aéreas – O que é? Mata? É perigoso?

corpos-estranhos-nas-vias-aereas-o-que-e-mata-e-perigoso

Esses acidentes, que podem causar obstrução parcial ou total das vias aéreas, exigem intervenção urgente, para evitar graves complicações.

Neste artigo falaremos sobre Corpos Estranhos nas Vias Aéreas – O que é? É perigoso a ponto de matar?

Corpos Estranhos nas Vias Aéreas – O que é? Mata? É perigoso?

O ato instintivo de deglutir muitas vezes não é bem desempe­nhado, seja por crianças, seja por adultos.

Alimentos ou mesmo objetos poderão entrar pela faringe e, em vez de prosseguirem por dentro do tubo digestivo, penetrarem na laringe.

publicidade

E, daí, passarem à traqueia, e desta aos brônquios e às ramificações bronquiais. Quando isso acontece, entram em ação mecanismos reflexos desti­nados a tentar a expulsão das partículas intrusas.

E os espasmos que caracterizam essa reação do organismo podem, por sua vez, determinar graves distúrbios, como o bloqueio parcial ou mesmo total das vias aéreas.

DOIS IMPORTANTES MEIOS DE DEFESA

As vias aéreas (órgãos pelos quais se dá a circulação do ar) possuem meios de defesa notáveis contra a invasão de substâncias estra­nhas.

A laringe é mais bem dotada para isso, pois conta com a epi­glote, pequena cartilagem em forma de folha, próxima à base da língua, e que, na deglutição, se dobra até fechar a entrada da larin­ge.

Nessa fase, enquanto os alimentos sólidos ou líquidos passam acima da epiglote, esta impede que penetrem na laringe.

Tosse e espirros são outra defesa. Um primeiro socorro a ser adotado, numa emergência, é colocar pimenta-do-reino sob as na­rinas da vítima.

publicidade

Conhecer essas informações é importante para tratar Corpos Estranhos nas Vias Aéreas.

CAUSAS E REMÉDIOS

Para que um corpo estranho pene ire na laringe, e necessário que o mecanismo defensivo constituído pela epiglote não funcione.

Isso ocorre por moléstias da epiglote (tumores); com a abolição do movimento reflexo, que leva a epiglo­te a fechar a laringe; ou, ainda, durante uma inspiração forçada, quando substâncias sólidas ou líquidas se encontram na boca, e por isso estão facilmente aspiráveis.

Se o corpo estranho estiver encravado ao nível da laringe, não conseguir descer pela traquéia e não for expulso pela tosse, o caso será grave.

A mucosa da laringe se tornará cada vez mais conges­tionada, a tosse mais intensa, até chegar ao inchaço da mucosa. Com o edema, o tecido conjuntivo da região fica embebido em lí­quido aquoso, proveniente do sangue, e se distende.

Isso poderá fe­char completamente o espaço destinado ao ar. Ocorrerá então a as­fixia, que em poucos minutos levará o paciente à morte.

publicidade

Somente uma rápida intervenção do médico poderá salvar o doente, através da extração do corpo estranho antes que apareça o edema, ou pela traqueotomia, que possibilitará uma nova passagem para o ar.

Os corpos estranhos que, passando pela laringe e pelas cordas vocais, chegam à traqueia, e que por sua forma ou dimensão não conseguem passar do ponto em que ela se bifurca nos dois brônquios principais, determinarão também asfixia.

A gravidade do acidente será menor quando o objeto pára em um brônquio, pois mesmo com um pulmão bloqueado um indiví­duo normal poderá respirar suficientemente  com o outro. Mas a re­tirada do corpo estranho deverá ser imediata.

Ter esse conhecimento é importante para Corpos Estranhos nas Vias Aéreas.

Um corpo que se localize em um grande brônquio criará três diferentes situações:

1) Se obstruir completamente todo o pulmão que depende desse brônquio, aquele órgão poderá evoluir para um estado em que, na entrada do ar, os alvéolos não se dilatam perfeitamente e, em con­sequência, “murcham “(atelectasia).

2) Se funcionar como válvula, isto é, se permitir a passagem do ar somente em uma direção, o ar será inspirado pelo pulmão, mas não será expirado.

O segmento de pulmão situado abaixo das rami­ficações do brônquio obstruído inchará e se deslocará.

Õrgãos vi­zinhos (o coração, em particular) serão pressionados. Poderá acon­tecer até mesmo a ruptura da cavidade pleural.

3) Se o corpo estranho não obstruir o ar, o pulmão funcionará normalmente. A longo prazo, porém, a parede do brônquio reagirá à presença do corpo e se instalará um processo de bronquite crôni­ca, que poderá evoluir até a supuração pulmonar.

Um Corpo Estranho nas Vias Aéreas, portanto, deverá ser retirado sempre o mais rapidamente possível. A localização será frita pelo médico com a ajuda do exame radiológico ou endoscópico.

Neste artigo falamos sobre Corpos Estranhos nas Vias Aéreas – O que é? Mata? É perigoso?

publicidade
Imagem- vidaesaude.org