Corrimento Branco Pastoso e Leitoso com ou sem Coceira – O que é?

De maneira geral, dá-se a denominação de corrimento vaginal a qualquer líquido (não sanguíneo) que flua pela vagina. É um sintoma que aparece com freqüência em pacientes com afecções ginecológicas; cerca de um terço de portadoras de doenças localizadas na vulva, na vagina, no útero ou nas trompas apresentam esse sintoma, também conhecido popularmente como “escorrimento”. Dentre as cores comuns, talvez a principal seja o aspecto de corrimento vaginal branco (pastoso/leitoso).

Em condições normais, todas as partes da mucosa vaginal e genital mantêm-se úmidas devido à ação de suas próprias secreções naturais. A vulva possui glândulas sebáceas e sudoríparas (que formam as secreções gordurosas e o suor) e possui também um par de glândulas (de Bartholin) situadas uma de cada lado do vestíbulo da vagina, que secretam um muco espesso, viscoso. As secreções são consideradas patológicas quando se apresentam em grande quantidade ou com aspecto alterado.

 

Acidez Defensiva

Apesar de a vagina não possuir glândulas próprias, sua superfície mantém-se normalmente úmida graças às secreções do colo do útero e à passagem de líquidos de suas próprias células. Em condições normais a secreção encontrada na vagina é ácida, resultado da ação de certas bactérias. A mais importante delas é o bacilo de Doderlein, que atua sobre o glicogênio das células epiteliais da vagina, transformando-o em ácido láctico. A acidez constitui um meio de defesa contra outros microrganismos nocivos que podem invadir a vagina.

 

Corrimento Vaginal Branco Pastoso / Leitoso

corrimento-branco

 

A descamação constante do epitélio de revestimento da vagina aumenta de intensidade na fase pré-menstrual, o que pode determinar o aparecimento de uma secreção de aspecto branco leitoso (leucorréia); essa ocorrência é normal, a menos que haja paralelamente a diminuição do teor de acidez da cavidade vaginal. Nesse caso, a vagina é passível de ataque de germes e fungos nocivos, iniciando-se uma afecção que poderá provocar o aparecimento de corrimento anormal mais ou menos intenso.

publicidade

A presença de uma pequena quantidade de secreção branca fluida, sem odor pela vagina é comum, para poder mante-la lubrificada. Ou seja, muitas secreções brancas, sem cheiro forte e que não apresentam coceira, são normais. Mas é fundamental e primordial procurar um médico para se ter certeza.

A descarnação do epitélio da vagina também se intensifica durante a gravidez, razão pela qual muitas mulheres queixam-se de um corrimento leitoso nos últimos meses de gestação, mas esse fato também é normal.

Possíveis Causas

Se o corrimento branco com aspecto grosso (pastoso, leitoso) for acompanhado de coçeira ou mal cheiro, pode ser causado por algum dos fatores abaixo:

publicidade

Candidíase Vaginal: Infecção comum nas mulheres. O tratamento normalmente é feito através de remédios antifúngicos e pomadas.

Vaginose bacteriana: alteração da flora vaginal. Normalmente, o tratamento é feito via antibióticos.

 

Procure um Especialista

ginecologista-corrimento-leitoso-coceira
A paciente queixa-se frequentemente de secreção anormal e de intensa coceira, que se transforma em ardor, acentuando-se ao fazer esforços ou durante as relações sexuais. Muitas vezes, o corrimento tem forte odor fétido.

Os germes mais comuns nas infecções da vagina ou do colo do útero são o gonococo, o estreptococo, o estafilococo, o Trichomona vaginalis e o cogumelo Candida albicans (ou monilia). Assim sendo, ao ter um corrimento branco ou de qualquer cor, faça um exame.

Caso o corrimento branco com cheiro (odor) surja ou seja acompanhado de coceira e dor, merece atenção redobrada. Não importando que o corrimento seja antes da menstruação ou depois, o mau cheiro pode ser o sinal de alerta.

Agressão Bacteriana

As glândulas produtoras de muco do colo uterino constituem a principal fonte das secreções que existem normalmente na vagina e, com frequência, são o ponto de partida do corrimento. Em geral, essa secreção é clara, viscosa e alcalina; a quantidade secretada varia de acordo com as diferentes fases do ciclo menstrual. Quando as numerosas glândulas do colo uterino são atacadas por germes, ocorre uma infecção que se caracteriza por aumento de secreção.

Prevenção de Câncer

Além das infecções, também ulcerações como as provocadas pelo câncer do colo do útero podem produzir secreção abundante que, às vezes, é o único sinal da lesão, vindo bem antes da perda de sangue.

Daí a importância de esclarecer as causas de um corrimento. O diagnóstico é realizado pela história da paciente, pelo exame local da vagina e do colo do útero, e pela colheita da secreção para posterior exame ao microscópio. Este último exame, às vezes complementado pela cultura de pequenas porções da secreção em meios especiais para a proliferação dos microrganismos, permite saber qual o germe causador, para a orientação do tratamento.

Mesmo em alguns casos sendo normal ter corrimento branco, é necessário procurar um médico sempre que ocorrer.

 

Leia Também:

Cólica Fora do Período Menstrual – causas e doenças

Cólicas Menstruais – Causas e Como Aliviar as Dores

publicidade