Dermatomicoses – O que é? Tipos, Causas e Tratamentos

Dermatomicoses são lesões causadas por fungos capazes de digerir a queratina, proteína muito resistente que existe nas células superficiais da pele, dos cabelos e das unhas. Essas afecções são chamadas tinhas e identificadas conforme a região em que surgem: tinha do couro cabeludo, do pé, da mão e outras.

A que afeta os espaços entre os dedos ou artelhos é a chamada micose interdigita/ ou pé-de-atleta; a das virilhas, inguinal; a das unhas, onicomicose. Às vezes, o nome é tirado do aspecto da afecção e dado em latim, como tinea imbricata, quando a lesão forma escamas dispostas na pele como telhas.

Algumas dermatomicoses podem desaparecer espontaneamente; outras, que formam placas malcheirosas, chegam a causar calvície definitiva.

Bactérias causadoras: Microsporum, Trichophyton, Epidermophyton

publicidade

Nos Cabelos

Muito comuns entre as crianças, e altamente contagiosas, as tinhas do couro cabeludo têm sua característica de ação determinada pela constituição dos cabelos. Os fungos atacam os cabelos (ou pé/os) na altura em que eles afloram no couro cabeludo. Aderem ao cabelo, multiplicam-se e acabam por cortá-lo rente.

Mas não penetram em direção ao bulbo, pois em grande parte da raiz não há queratina, seu alimento. Isso permite que, uma vez eliminados os fungos, os cabelos voltem a crescer.

Tipos de Dermatomicoses

Dermatomicoses-micose

Há dois tipos mais comuns de tinha do couro cabeludo: a tonsurante, que causa peladuras semelhantes à tonsura dos padres, e a tinha Lavosa, cujas lesões parecem favos de mel, de cor amarelada. Este tipo, mais raro, é também mais grave, podendo determinar calvície definitiva.

A tinha tonsurante é pouco comum em adultos. Em crianças, mesmo quando não devidamente tratada, regride na puberdade (provavelmente em razão de as modificações hormonais interferirem na composição da secreção das glândulas sebáceas do couro cabeludo, tornando o meio pouco adequado ao desenvolvimento dos fungos). A tinha tonsurante é produzida por fungos do grupo dos dermatófitos, dos gêneros botânicos micrósporos e tricófitos, de que há várias espécies em diversos pontos do mundo. No Brasil, as mais comuns são o M. canis, parasita do cão, o M. gypseum, do solo, e T. tonsurans, do homem.

A lesão inicial da tinha tonsurante é uma placa rósea que não produz qualquer manifestação sensível. Em seguida, a placa vai se esmaecendo e descamando, enquanto ofungo corta o cabelo junto ao couro cabeludo, caracterizando a tonsura. O número de placas varia. Nas tinhas causadas por micrósporos, são poucas e grandes; nas provocadas por tricófitos, são muitas e pequenas. Algumas vezes, as placas apresentam sinais de inflamação aguda, com ocorrência de pus, quando a tinha é causada por fungos de outros animais ou do solo.

A tinha favosa é mais encontrada nas regiões da orla do Mediterrâneo e transmissível diretamente, de pessoa a pessoa, ou indiretamente, pelo uso de pentes, escovas ou tesouras contaminadas. O causador do favo é um tricófito (Schoenleini), que só parasita o homem e que pode atacar também apele e as unhas.

publicidade

Ao contrário da tinha tonsurante, a favosa não tende a desaparecer na puberdade e pode destruir o folículo piloso, resultando em calvície irreversível do doente.

A lesão típica do favo é semelhante a uma taça, recoberta por uma crosta de cor amarelada, pequena, arredondada e ligeiramente elevada. No meio da taça localiza-se o cabelo. A lesão é formada pelo entrelaçamento dos filamentos dos fungos e pelos restos da pele da região atacada, podendo formar placas malcheirosas, quando as lesões ocorrem lado a lado.

As dermatomicoses que apresentam inflamação e pus, geralmente provocadas por fungos da espécie que parasita os animais, chamam-se Kerion celsii. Atacam ao nível da emergência do pêlo e descem em direção ao bulbo piloso, pelo folículo, deixando substâncias tóxicas responsáveis pela inflamação e pelo pus. Em conseqüência, aparecem placas avermelhadas recobertas por crostas amareladas. Também é mais encontrada no couro cabeludo das crianças, mas pode atacar adultos, principalmente na barba.

Pé de Atleta

Provavelmente, o tipo mais comum de micose superficial encontrado nas cidades. Há um tipo, a tinea imbricata, que aparece nos índios do Brasil central e nos habitantes de algumas ilhas do Pacífico. Saiba mais sobre o PÉ-DE-ATLETA

publicidade

Leia também: