Glóbulos Vermelhos – O que são? Pra que servem? É perigoso? Confira!

globulos-vermelhos-o-que-sao-pra-que-servem-e-perigoso-confira

Transportando oxigênio dos pulmões para a célula e retornando aos pulmões com gás carbônico, as hemácias são parte ativa da respiração.

Sem a respiração não é possível viver. Além das vias respirató­rias e dos pulmões, porém, todo o sistema circulatório participa ativamente da respiração, ou seja, da oxigenação e liberação de gás carbónico de todas as células do organismo.

Em outras pala­vras, a respiração pode ser interpretada como o sistema de trans­porte de oxigênio, elemento vital para as células, e de retirada do gás carbônico resultante do metabolismo celular.

Quando chega aos pulmões, o oxigênio passa através dos alvéo­los pulmonares e é incorporado aos glóbulos vermelhos, que o transportam até os tecidos. Já nos tecidos, o oxigênio é entregue às células e trocado por gás carbônico, que por sua vez se incorpora ao glóbulo vermelho.

Novamente nos pulmões, o gás carbónico é liberado e o glóbulo vermelho recebe nova carga de oxigênio, ini­ciando a entrega aos tecidos, através da circulação arterial.

Durante toda a vida, esse mecanismo de abastecimento de oxi­gênio mantém-se em atividade. Até mesmo o feto recebe oxigênio através da circulação. No entanto, o feto não respira: o oxigênio chega até ele através do sangue arterial (oxigenado) da mãe.

Neste artigo falaremos sobre Glóbulos Vermelhos – O que são? Pra que servem? É perigoso? Confira!

Glóbulos Vermelhos – O que são? Pra que servem? É perigoso? Confira!

GLÓBULOS E O VERMELHO DO SANGUE

Os glóbulos vermelhos, tam­bém conhecidos como hemácias ou eritrócitos (erizhros, vermelho; dos, célula), são os responsáveis pela coloração do sangue. Ape­sar da cor que assumem no conjunto, os glóbulos vermelhos, individualmente, têm cor amarelada.

Na espécie humana, sua forma é a de um disco bicôncavo, seme­lhante a uma lente.

OXIGENAÇÃO DOS TECIDOS

Normalmente, a quantidade de sangue de um indivíduo é proporcional ao peso do corpo. Por sua vez, os glóbulos vermelhos estão presentes no sangue em pro­porção uniforme e quantidade suficiente para transportar todo o oxigênio necessário aos tecidos. –

O número médio de glóbulos vermelhos é, aproximadamente, de 5 a 5,5 milhões por milímetro cúbico no homem adulto e 4,5 mi­lhões na mulher.

No entanto, esses valores variam amplamente. Um exercício violento e de pouca duração, por exemplo, pode au­mentar o número de glóbulos vermelhos circulantes; o organismo solicita e os glóbulos saem dos “depósitos” localizados no baço, para cair na corrente sangüínea.

Nos recém-nascidos, a contagem das hemácias revela quantida­des superiores às do adulto; mas no decorrer de duas semanas de vida a contagem se estabiliza e mantém um nível pouco superior ao do valor médio do adulto.

Doenças ou condições ambientais especiais, como a altitude, por exemplo, podem determinar o aumento do número de hemá­cias, conhecido tecnicamente como policitemia; ou então a ane­mia, que literalmente significa falta de sangue.

A deficiência crô­nica de oxigênio, em indivíduos que vivem em grandes altitudes, ou doenças diversas do coração podem originar a policitemia. Já a diminuição excessiva do número de hemácias (anemia) ou da quan­tidade de hemoglobina pode ser conseqüência de hemorragias, verminoses ou deficiências nutritivas.

UMA CARGA GASOSA

Simplificadamente, a capacidade de oxigenação dos tecidos pelo sangue e correspondente liberação do gás carbônico está diretamente relacionada com o número de glóbu­los vermelhos e a quantidade de hemoglobina. No aduto normal, cada 100 ml de sangue contém cerca de 16 gramas de hemoglobina.

Várias características favorecem o transporte do oxigênio aos tecidos. Uma delas é a forma bicôncava dos glóbulos vermelhos, junto oxigênio-hemoglobina.

Essa substância é completamente ins­tável: entrando em contato com os tecidos do organismo, o oxigê­nio se desprende e o gás carbônico produzido pelas células liga-se à hemoglobina para, através da circulação, chegar aos pulmões e ser por sua vez liberado.

A oxiemoglobina dos glóbulos vermelhos circulantes nos capila­res da superfície é que determina a cor rósea das faces e o averme­lhamento, de intensidade variável, dos lábios e das mucosas.

A hemoglobina, por sua vez, é afetada por alguns medicamentos e substâncias químicas; as alterações resultantes bloqueiam a capa­cidade de a hemoglobina ligar-se ao oxigênio. O sangue perde sua função oxigenadora e a consequência pode ser a morte por falta de oxigênio (anoxia).

E o caso, por exemplo, da intoxicação por mo­ nóxido de carbono, acidente relativamente freqüente. É o que so­frem indivíduos que permanecem por algum tempo em garagem fe­chada, ao lado do motor de um automóvel em funcionamento.

Os gases da combustão contêm grande quantidade de monóxido de carbono, que, uma vez inspirado, se liga à hemoglobina do glóbulo vermelho de uma maneira estável, formando a carboxiemoglobina. A hemoglobina não consegue se libertar espontaneamente e por­tanto não pode se ligar ao oxigênio para transportá-lo.

A carbo­xiemoglobina tem cor vermelho-clara; pessoas intoxicadas por ela ficam com os lábios cor de cereja. Apesar dessa tonalidade aparen­temente sadia, ocorre a asfixia total dos tecidos. Se não houver in­tervenção rápida e adequada, a asfixia progressiva poderá condu­zir o indivíduo à morte.

Neste artigo falamos sobre Glóbulos Vermelhos – O que são? Pra que servem? É perigoso? Confira!

Imagem- fotosantesedepois.com



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos