Cirurgia para Hemorroidas – Como Funciona?

Ás hemorroidas aparecem em ambos os lados da linha denteada ano-retal, situada na porção final do intestino grosso. Acima da linha está o reto e, abaixo, o canal anal, pequeno segmento (3 cm) que termina no orifício anal. Elas podem ser hemorroidas internas ou externas.

Não há um acordo definido sobre as causas da moléstia, que são divididas em fatores predisponentes e desencadeantes.

Entre os primeiros, que configuram a predisposição para a doença, destacam-se a posição ereta (típica da espécie humana), a disposição anatômica das veias hemorroidárias, a hereditariedade, alterações do trânsito intestinal e manifestações locais da pressão venosa do organismo, provocadas por vida sedentária, insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática etc.

Também é fator predisponente a gravidez, período em que as veias ilíacas, ramos da cava inferior, são comprimidas pelo útero grávido, causando estase venosa (parada de sangue).

O fator desencadeante fundamental são as infecções no plexo hemorroidário, que inflamam as vetas é criam um obstáculo local para a circulação venosa. Somado à predisposição, o fator desencadeante conduz ao aparecimento da doença.
hemorroidas

Sintomas de hemorroidas externas

Quando não existem complicações – tromboses venosas (formação de coágulos nas veias), ulcerações ou abscessos -, os sintomas mais freqüentes são a exteriorização da mucosa retal, a excreção de muco, a irritação anal, as dores e as hemorragias, que quase sempre ocorrem após a evacuação.

As hemorroidas apresentam três graus de exteriorização. As incipientes ou de primeiro grau não são diagnosticadas pela simples inspeção externa. Já nas de segundo grau um pequeno esforço é bastante para a exteriorização dos mamilos hemorroidários. Nas de terceiro grau, nota-se ainda a excreção de muco, devido à irritação e ulceração por atrito constante dos mamilos.

O diagnóstico depende de um completo exame proctológico, incluindo a inspeção externa, o toque retal e a inspeção ocular da região com aparelhos especializados.

 

Cirurgia para hemorroidas

cirurgia

 

Varia de acordo com os diferentes tipos de hemorroidas. O tratamento clínico consiste em regimes higienodietéticos. com supressão de álcool, condimentos e todos os outros irritantes da mucosa intestinal. Inclui também a modificação dos hábitos de vida sedentária do paciente. O tratamento clínico, contemporizador e temporário, é indicado, geralmente, para gastantes, cardíacos, cirróticos e cancerosos.

Muito antigo e largamente empregado, o método esclerosante ficou parcialmente desmoralizado ao ser usado por curandeiros. Atualmente é utilizado, em geral, nos casos de hemorroidas de primeiro grau ou quando é contra-indicado o tratamento cirúrgico. Consiste na introdução, com seringa e agulha fina, de substâncias irritantes nas veias dilatadas do plexo.

As intervenções cirúrgicas são simples e constituem o único tratamento radical e definitivo. As técnicas são numerosas e variam de acordo com a gravidade do caso e a preferência do cirurgião. Do ponto de vista técnico, enquadram-se nos métodos de ligadura e ressecção (remoção cirúrgica dos mamilos) e nos métodos de amputação (retirada de toda a mucosa e do plexo varicoso).

Para os casos de trombose hemorroidária interna, são empregadas duas formas: tratamento imediato com retirada dos mamilos “caídos” e trombosados, ou redução simples dos mamilos, acompanhada de tratamento cirúrgico posterior.

Quando ocorre trombose hemorroidária externa, o tratamento é cirúrgico (retirada do trombo com anestesia local) ou conservador e paliativo: banhos quentes de assento, repouso e analgésicos.

Saiba mais sobre as Hemorroidas



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos