Hipertensão da Veia Porta – O que é? É perigoso? Sintomas e Tratamentos

hipertensao-da-veia-porta-o-que-e-e-perigoso-sintomas-e-tratamentos

Nem sempre a hipertensão da veia porta resulta de cirrose; doenças como o câncer do fígado e a esquistossomose também podem originá-la.

A veia porta conduz ao fígado os alimentos, que, no processo da digestão, são absorvidos no intestino. Como em todos os vasos do organismo, o sangue circula em seu interior impulsionado por uma certa pressão.

Em condições anormais, quando se verifica um aumento considerável dessa pressão interna, estabelece-se o quadro de hipertensão portal, que pode acarretar graves conseqüências ao paciente.

Nem sempre a hipertensão da veia porta é causada pela cirrose hepática. Entre outros fatores responsáveis por esse aumento anormal de pressão destacam-se o câncer originado no fígado e a esquistossomose.

Nos casos de esquistossomose, os vermes causadores da enfermi­dade (do gênero Schistosoma localizam-se geralmente em ramos da veia porta, no interior do fígado. Os vermes adultos, princi­palmente quando mortos, provocam uma reação inflamatória e destruição das células hepáticas (necrose celular).

O acúmulo de vermes mortos no interior das veias provoca maior irritação local e, consequentemente, maior inflamação. O aumento de pressão no interior da veia porta é uma das complicações resultantes dessa sequência de alterações.

Neste artigo falaremos sobre Hipertensão da Veia Porta – O que é? É perigoso? Sintomas e Tratamentos.

Hipertensão da Veia Porta – O que é? É perigoso? Sintomas e Tratamentos

AUMENTO DA PRESSÃO

O sangue venoso que corre no interior da veia porta é proveniente de dois pontos diferentes: intes­tino e baço. o sangue é lançado do baço para a veia porta carrega­do de detritos resultantes da contínua destruição de células sangüí­neas realizada nesse órgão; o sangue vindo do intestino chega satu­rado de substâncias alimentares.

Na veia porta, ocorre a mistura homogênea do sangue proveniente dos dois locais. No interior do fígado, a veia divide-se em numerosos pequenos vasos que percorrem toda a espessura do órgão. Os vasos mais delgados correspondem aos sinusoides, microscópicos canais exis­tentes entre os cordões de células hepáticas.

Em seguida, o sangue é recolhido por um outro sistema de veias e lançado na veia hepáti­ca que, por sua vez, o descarrega na veia mais volumosa do orga­nismo, a veia cava inferior.

Na cirrose hepática, a estrutura do fígado fica profundamente alterada. Como conseqüência, verifica-se uma compressão das veias no interior do fígado, como também dos sinusóides. A drena­gem do sangue trazido pela veia porta é prejudicada e o sangue tende a se estagnar em seu interior.

Entretanto, a circulação do sangue não fica bloqueada apenas por fatores mecânicos de compressão. Aparecem comunicações anormais entre as arteriolas hepáticas e os ramos da veia porta. Através dessas comunicações, uma parte da pressão arterial é transmitida para o sistema da veia porta, determinando um aumen­to adicional depressão.

Assim funciona o aumento da pressão podendo trazer a hipertensão.

ROMPIMENTO DOS VASOS E A HIPERTENSÃO

A primeira conseqüência da estagnação e do aumento de pressão do sangue na veia porta é a dificuldade de drenagem do sangue do baço, que se torna conges­tionado e aumenta de volume.

A falta de drenagem de sangue do baço determina uma alteração da dinâmica circulatória no órgão, que provoca alterações na sua estrutura. Aparece, em conseqüência, um aumento de atividade do baço (hiperesplenismo), que se manifesta através de uma destruição exagerada de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas do sangue.

Essa destruição maciça de elementos do sangue pode pro­vocar anemia, diminuição de glóbulos brancos (leucopenia) e das plaquetas (plaquetopenia). A soma dessas alterações acarreta um enfraquecimento geral do organismo. Por esse motivo, quando o baço tem sua atividade muito aumentada, pode ser indicada a sua extirpação cirúrgica.

O bloqueio circulatório no fígado tem conseqüências mais sérias. O sangue é impelido para trás e provoca a dilatação de algumas veias que ligam o sistema porta ao estômago e esôfago. As veias esofagianas, com o excesso de pressão, alteram-se, dando origem às chamadas varizes esofagianas.

Posteriormente, o aumento gra­dativo da pressão venosa provoca o rompimento das varizes e in­tensas hemorragias causa de morte frequente nos indivíduos portadores de hipertensão portal.

Neste artigo falamos sobre Hipertensão da Veia Porta – O que é? É perigoso? Sintomas e Tratamentos.

Imagem-  fatordiabetes.com



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos