Melanomas – Tumores Malignos na Pele – Tratamento, Causa O que é?

O corno cutâneo, a ceratose senil e as leucoplasias são tumores que podem vir a sofrer processos degenerativos e se cancerizar. Essas transformações não são, porém, inevitáveis ou freqüentes. Mas, como são possíveis, exigem observação e tratamento preventivo. Os tumores malignos se dividem em carcinomas e melanomas.

A cera tose senil aparece em pessoas de mais de quarenta anos, principalmente nas de pele clara e que se expõem muito ao sol. Inicia-se por manchas acinzentadas, castanhas ou amareladas, ásperas e que mais tarde se recobrem de escamas ou formação córnea aderente. Dificilmente regridem.

O corno cutâneo constitui uma lesão sólida, crônica, medindo de 1 a vários centímetros de comprimento, que pode desaparecer temporariamente. Já a leucoplasia atinge mais as mucosas, causando o engrossamento epitelial por irritação crônica, devida, por exemplo, ao uso de cachimbo, ao calor do fumo ou à má colocação dos dentes. De 20% a 30010 dos casos sem tratamento adequado evoluem para degeneração cancerosa.

Carcinomas e Melanomas

Os tumores malignos se dividem em carcinomas e melanomas.

Melanoma

menomas
Melanoma
é a designação ampla de tumores pigmentados benignos e malignos, e a denominação restrita para tumores malignos pigmentados. São originários de melanoblastos ou melanócitos da pele normal ou dos nevos pigmentados (“pintas” e “manchas” da pele).

O melanoma se inicia por uma lesão infiltrada, de cor azul muito escura que cresce rapidamente, atingindo com maior freqüência os órgãos genitais e membros inferiores. Dotado de grande malignidade, produz metástases em diferentes órgãos: cérebro, fígado, pulmões, além de outras áreas da pele.

Dada sua extrema periculosidade, é muito importante o diagnóstico precoce. Assim, qualquer mancha pigmentada da pele que se modifique, que comece a crescer, deve ser alvo de atenção médica. O tratamento é realizado através de intervenção cirúrgica e, às vezes, radioterápica.

publicidade

Por estar exposta, a pele é órgão extremamente sensível à ação de elemento estranhos ao organismo. Suscetível de agressão por diferentes agentes patogênicos (causadores de doenças), como as bactérias e os traumatismos, nela surgem afecções: os tumores benignos e malignos.

Essas afecções são precocemente reconhecíveis com facilidade, o que permite terapêutica eficaz para boa parte delas. Mas a medicina desconhece ainda qual é exatamente o agente ou os agentes responsáveis por sua instalação.

É provável que muitos fatores, atuando concomitante e entrosadamente, possam responder pelo aparecimento de tumores cutâneos. Vírus, hormônios, fatores hereditários, alterações bioquímicas ocorridas no interior das células são alguns dos elementos cuja participação – até hoje ainda não confirmada – estaria na origem de tumores benignos e malignos. E não se pode negar que a idade seria fator importante, uma vez que tais processos, sobretudo os malignos, surgem com maior intensidade a partir da quarta e quinta décadas da vida.

publicidade

Carcinomas

carcinomas
Os carcinomas podem ser basocelulares, espinocelulares, mistos ou secundários.

O carcinoma basocelular é o menos maligno de todos. Não dá origem a metástases, embora possa destruir regiões inteiras em extensão e profundidade, atingindo partes moles e ósseas.

São mais frequentes na face, se bem que apareçam também no tronco e nos órgãos genitais. Bastante comuns em pessoas brancas, aparecem sempre depois dos quarenta anos.

Embora menos frequentes, os carcinomas espinocelulares possuem caráter mais maligno: evoluem rapidamente e provocam metástases. São fatais se não tratados a tempo. E aparecem em pele aparentemente sã, assentando-se onde já existia lesão pré-cancerosa, como a ceratose senil.

publicidade

Agentes Químicos e Físicos e os tumores

Agentes químicos e físicos têm sido apontados como fatores que ocasionam tumores cancerosos. O arsênio, os hidrocarburetos, os alcatrões, os óleos lubrificantes e minerais, o creosoto, a parafina e outras substâncias químicas parecem ter ação carcinogenética, ou seja, são capazes de provocar aparecimento de câncer. O mesmo acontece com qualquer forma de radiação – agentes físicos -, como o rádio, os raios X e os raios ultravioleta.

Em marinheiros e lavradores, por exemplo, principalmente os que possuem pele clara, verifica-se incidência relativamente elevada de tumores cutâneos, uma vez que eles se expõem constantemente à radiação solar. Calor e frio também são tidos como possíveis agentes patogênicos.

publicidade

E não é desprezível a influência de traumatismos, pois se verifica maior incidência de tumores localizados em pontos da mucosa bucal irritados por dentes salientes ou cariados. Não raro, observa-se a presença de tumorações no lábio inferior defumantes de cachimbo de barro, nos quais o trauma vem associado ao superaquecimento da mucosa.

Acompanhamento Médico para Carcinomas e Melanomas

Não importa qual seja o tipo de descoberta: Carcinomas e Melanomas. É fundamental que você tenha um acompanhamento médico e siga as instruções dadas por ele e realize todos os exames necessários.

Leia também:

Cisto Sebáceo, Cisto Dermóide e Adenoma Tubular – O que é?

11 Tipos de Câncer mais Comuns entre Homens e Mulheres

Carcinoma – Câncer de Pele -O que é?

 

 

 


Leia Também: