O Citoplasma Fundamental – O que é? existe riscos? Tem tratamento?

o-citoplasma-fundamental-o-que-e-existe-riscos-tem-tratamento

Corrente de substâncias em permanente trânsito no interior da célula, o citoplasma fundamental sintetiza moléculas que servirão a todo o organismo.

Equipados com microscópios cada vez mais poderosos e mate­riais de investigação constantemente aperfeiçoados, os biologistas celulares conseguiram desenvolver a anatomia microscópica e submicroscópica da célula intacta.

Partiram eles da imagem que se formara da célula como estrutura composta de uma parede ex­terna – a membrana celular -, envolvendo uma bolha gelatino­sa – o citoplasma -, e demonstraram que tal estrutura é abun­dantemente diferenciada em orgânulos, que são os elementos responsáveis pelos processos vitais do organismo.

Neste artigo falaremos sobre O Citoplasma Fundamental – O que é? existe riscos? Tem tratamento?

publicidade

O Citoplasma Fundamental – O que é? existe riscos? Tem tratamento?

INÚMERAS E DIFERENCIADAS

Foi com o auxilio do microscópio eletrônico que se tornou possível investigar as partes mo­leculares operantes da célula.  Mediante observação da atividade química de materiais colhidos com o rompimento da delicada es­trutura celular.

Foram traçados alguns dos caminhos através dos quais a célula efetua as reações químicas em cadeia que consti­tuem a base da vida orgânica.

A descrição da anatomia funcional da célula parte da seguinte premissa: nada existe que corresponda a uma célula típica, ideal. Ao contrário, são inúmeros os organismos celulares de tipos diver­sos, bem como existem células que diferem profundamente em forma e função.

publicidade

Contudo, todas são células, e como tal se compõem de membra­na celular, citoplasma com vários orgânulos e núcleo central.

Além disso, apresentam em comum uma série de capacidades fun­cionais: Produzem e transformam energia, sintetizam moléculas grandes a partir de substâncias mais simples.

Reproduzem-se por autoduplicação e por divisão, diferenciam-se e apresentam outras propriedades que as adaptam à vida comunitária organizada, que é a vida do organismo.

A membrana celular, além de servir de linha limítrofe entre as células, seleciona as substâncias que transitam pelo organismo, fa­cilitando a entrada de uma, barrando o acesso de outras.

É capaz também de conduzir, por ingestão mecânica, grandes moléculas e corpos microscópicos para o interior da célula, constituído de massa fluida ou gelatinosa, finalmente estruturada: citoplasma fundamental.

Conheecr O Citoplasma Fundamental é importante para o corpo.

TRANSPORTE INTERNO DO CITOPLASMA FUNDAMENTAL

Na célula viva, o citoplasma fun­damental apresenta-se como substância homogênea, translúcida ou mesmo de aspecto cristalino (hialina), ligeiramente mais refrin­gente que a água, com a qual se mistura. Nele se encontram cor­púsculos de tamanhos diversos e de maior refração.

Sua viscosida­de é maior na região periférica (ectoplasma), destituída de granula­ções, e diminuindo em direção à parte mais interna e granulosa (endoplasma).

Constitui então o plasmagel (endoplasma continuo ao ectoplasma) e o plasmassol (endoplasma do “interior” da célula).

Da passagem do colóide cizoplasmático do estado gel para o estado sol e vice-versa depende a emissão dos pseudópodes (falsos pés) que permitem a mobilidade do colóide.

O citoplasma, oriundo sempre de uma célula preexistente, cres­ce por assimilação e mantém-se em volume aproximadamente constante na célula adulta.

Como todo sistema coloidal vivo, apre­senta movimentos que se caracterizam por contínuo turbilhona-mento, evidenciado pelo deslocamento dos conteúdos celulares: é a ciclose. Quando essa corrente resulta na locomoção da célula to­da, seu movimento é amebóide.

Em células imóveis, a corrente ci­toplasmática transporta continuamente suprimentos de material de construção molecular para zonas de síntese das macromoléculas, e transfere-as depois para outras regiões.

E assim funciona o transporte interno do Citoplasma Fundamental.

RITMOS VARIADOS

O tipo mais elementar de corrente protoplasmática é o que se verifica na célula vegetal. O endoplasma constitui a camada em movimento, circulando em sentido único ao redor das paredes da célula.

Já na ameba a corrente é de tipo mais complexo. Nela o endo­plasma flui para diante, no sentido do próprio movimento celular.

Da extremidade anterior o material endoplasmático dirige-se para os lados da célula, num fluxo em “chafariz”, e transforma-se em material rígido, estático, de gel cortical.

Na extremidade posterior da célula os fenômenos são inversos: o material do gel transforma-se no endoplasma circulante, mantendo a corrente em movimento contínuo.

Movimento ainda mais complexo é encontrado nas células de certos fungos, onde várias correntes se movem simultaneamente em direções diversas.

A corrente endoplasmática em geral e o movimento amebóide em particular são hipoteticamente explicados através de três meca­nismos: endoplasma deslizante, contração do gel posterior e con­tração do gel anterior.

É importante conhermos os ritmos variados para o Citoplasma Fundamental.

PROPRIEDADES E COMPOSIÇÃO

A viscosidade ou a fluidez do citoplasma fundamental dependem da quantidade de fibrilas nele contidas. Dispostas em malhas soltas ou condensadas, formam estruturas diversas, como as miofibrilas nas células mus­culares e as neurofibrilas nas células nervosas.

A rede tridimensio­nal de fibrilas, cujo diâmetro varia de 0.05 a 0,01 mícron e com­preende individualmente cerca de 3 mil cadeias polipeptídicas (pro­téicas), é envolvida por um líquido constituído de água, proteínas globulares, glicídios, lipídios e ainda de soluções salinas.

Em certos experimentos verifica-se que a matriz do hialoplasma – ou citoplasma fundamental – suporta a ação de forças centri­fugas de até 1 milhão de vezes a força da gravidade, o que demons­tra a elevada coesão de suas moléculas, fator determinante da elas­ticidade e contratilidade celular.

O citoplasma fundamental possui, também, entremeada em sua massa contínua, uma estrutura inframicroscópica, conhecida co­mo retículo endoplasmático.

Propriedades e composição são importantes para O Citoplasma Fundamental.

SOBRE AS CÉLULAS

A maioria das células revela complexos sistemas de membranas internas não-visíveis ao microscópio óptico comum: é o “citoes­queleto”, desvendado somente pelo microscópio eletrônico.

Algumas dessas membranas são lisas, outras rugosas devido a peque­nos grânulos aderidos à superfície, e seu grande desenvolvimento varia de célula para célula.

Nas amebas apresentam disposição muito simples, tuas em células especializadas na produção de pro­teínas, como as glandulares do fígado ou do pâncreas, formam numerosas camadas paralelas ou concêntricas, com grande núme­ro de grânulos superficiais.

Presume-se que através dessa rede de espaços semelhantes a fendas, formados pela membrana – ou retículo endoplasmático -. cettas substâncias transitam entre a membrana exterior da cé­lula e a do núcleo.

Além desse fenômeno, parece que sua influência se estende às reações metabólicas e tem ação como regulador da pressão osmó­tica, pois, submergindo-se uma célula em meio hipotônico, obser­va-se que seu retículo endoplasmático dilata-se imediatamente de­pois da submersão.

Quanto aos grânulos, que se mostram particularmente abundan­tes nas células produtoras de proteínas, revelaram-se excessiva­mente ricos em ARN (ácido ribonucléico) e proporcionalmente ativos na síntese protéica. É por essa razão que os grânulos foram denominados ribossomos.

No citoplasma fundamental assinala-se ainda a presença de or­ganáides e Inclusões. Os primeiros, dotados de auto-reprodução, são considerados essenciais à vida da célula.

Compreendem as mitocôndrias, o complexo de Golgi (exceto em bactérias, algas e fun­gos), o centro celular e os lisossomos; nas células vegetais encon­tram-se ainda osplastos.

As inclusões são partículas aparentemente inertes, destituídas de vida, representadas por elementos resultantes do metabolismo celular: gotículas de óleo e gordura, pigmentos, grânulos de secre­ção e partículas orgânicas e inorgânicas, que tanto podem ficar re­tidas no interior da célula como ser expelidas.

São representadas poruratos, carbonatos, oxalatos, sílica hidratada e pseudocristais de natureza protéica.

Neste artigo falamos sobre O Citoplasma Fundamental – O que é? existe riscos? Tem tratamento?

publicidade
Imagem- cetic.br