O que é Hérnia? Quais os Tipos e Partes do Corpo

A maior parte das hérnias (92%) localiza-se na região inguinal (virilhas). Os outros casos mais freqüentes são os que afetam a região crural (coxas) e umbilical (4,5%). Menos frequente é a hérnia  diafragmática. A razão da predominância dessas localizações é determinada por fatores puramente anatômicos: o grande volume dos órgãos contidos no abdome exerce pressão considerável sobre os músculos abdominais.

Além disso, defeitos ou enfraquecimentos de certos grupos musculares, como os que separam o tórax do abdome ou este dos membros,facilitam o aparecimento de hérnia nessas regiões. Em indivíduos mal nutridos, obesos ou portadores de atrofia muscular de qualquer natureza (congênita, senil), essas regiões apresentam-se ainda mais frágeis e, em conseqüência, as possibilidades de formação de hérnia aumentam consideravelmente. Abaixo veremos O que é Hérnia:

O que é Hérnia?

A rigor, o termo hérnia designa exclusivamente a protrusão (Projeção para fora) de uma estrutura orgânica qualquer, envolta em camadas cutâneas e musculares (saco herniário), através de uma abertura geralmente circular e quase sempre muscular (anel herniário) na parede da cavidade que normalmente a contém. Assim, difere da procidência, do prolapso e da laparocele, distúrbios de características semelhantes, mas de sintomas e tratamentos diversos.

Na procidência, os órgãos são diretamente expostos ao ar, devido a ferimento cirúrgico ou traumático. O prolapso caracteriza-se pela saída do órgão por uma cavidade natural do corpo. São exemplos típicos de prolapso a queda do útero, através da vagina, e do reto, através do ânus. Na laparocele, os órgãos apenas se deslocam de sua posição normal, por enfraquecimento das paredes musculares que normalmente os contêm.

publicidade

TIPOS DE HÉRNIA

Abaixo apresentamos os tipos clássicos de hérnia: inguinal, umbilical e diafragmática.

tipos-de-hernia-umbilical-inguinal-epigastrica-femoral

Hérnia inguinal

As hérnias inguinais as mais comuns classificam-se em externas (ou indiretas) e internas (ou diretas). A hérnia externa caracteriza-se pela localização da víscera no anel externo da região inguinal. A interna ocupa o anel inguinal interno. Nos homens, quando a víscera protuberante invade a bolsa escrotal, a hérnia é denominada escrotal. As hérnias crurais ou femorais caracterizam-se pela insinuação das vísceras através do anel crural, por onde passam a veia e a artéria femorais, além do nervo crural. Bem menos comum que a inguinal, a hérnia crural é mais freqüente em mulheres adultas do que em homens.

Hérnia umbilical

A hérnia umbilical, também mais comum nas mulheres, resulta sobretudo de obesidade ou da gravidez, condições que aumentam ainda mais a pressão intra-abdominal. Outro tipo de hérnia, menos comum, é a epigástrica ou da linha alba, que se forma na região logo acima do umbigo. Nesse tipo de hérnia, raramente ocorre protrusão de vísceras: o mais comum é insinuação apenas da gordura localizada imediatamente antes do peritônio.

A hérnia incisional, mais comum em obesos de idade, resulta de incisão operatória feita em cirurgia de emergência, quando o corte não pode ser executado com o cuidado de uma intervenção planejada. Algum tempo depois da operação, a víscera se insinua pelo local da incisão, sobretudo se as condições da parede abdominal não forem constitucionalmente boas.

Hérnia diafragmática

A hérnia diafragmática (ou hérnia do hiato diafragmático) é relativamente comum. Caracteriza-se pelo deslizamento de estruturas abdominais para o interior do tórax, através do hiato diafragmático (orifício pelo qual o esôfago atravessa o diafragma para penetrar na cavidade abdominal). Mais raramente, a hérnia diafragmática ocorre também através de “brechas “no diafragma. Além dessas, existem outros tipos de hérnia: muito raras e geralmente pouco graves, podem passar despercebidas ou serem descobertas por acaso, durante exames realizados para outros fins.

Grupos de Hérnias

De modo geral, as hérnias podem ser classificadas em dois grandes grupos: congênitas e adquiridas.

publicidade

Congênitas

As hérnias congênitas surgem da persistência, após o nascimento, de situações anatômicas características do período fetal As adquiridas resultam de condições estabelecidas durante a vida adulta: enfraquecimento de certos músculos por esforços físicos exagerados ou por doenças próprias dos músculos. Podem-se também class (ficar as hérnias em redutíveis e irredutíveis.

Redutíveis

São hérnias  redutíveis as que desaparecem momentaneamente, após compressão manual (redução herniária); são irredutíveis aquelas em que nenhum movimento compressivo é capaz de fazer desaparecer a tumefação herniária. Estas últimas são geralmente mais graves, uma vez que, em grande parte dos casos, sua irredutibilidade provém do aprisionamento (estrangulamento) de uma alça intestinal, ou de outra estrutura orgânica, no saco herniário.

Incoercível

Além das hérnias redutíveis e irredutíveis, existe um outro tipo de hérnia chamada hérnias incoercível. Nela, a compressão com as mãos faz desaparecer a tumefação herniá ria, mas somente enquanto a pressão manual é mantida; assim que as mãos são retiradas, a hérnia reaparece.

 DIAGNÓSTICO E COMPLICAÇÕES

Na maioria das vezes, é o próprio paciente ou seus pais, se for uma criança que “descobre ” a hérnia. O exame manual do local afetado geralmente fornece os outros elementos para estabelecer o diagnóstico. Ao comprimir a saliência, na tentativa de levar as vísceras a seu local próprio o abdome -, o médico já pode, por exemplo, determinar se a hérnia é redutível ou irredutível.

Não importa qual seja o tipo de hérnia que você possui (inguinal, umbilical e diafragmática…), é necessário acompanhamento médico e profissional.

publicidade