Mucosa Nasal (Cavidades Nasais) – Função, Importância e Cuidados

otorrinolaringologia-o-que-e-como-funciona-e-perigoso

Enquanto a causa da irritação da mucosa nasal não é removida, há o perigo de obstrução definitiva e do surgimento de pólipos. A mucosa nasal (mucosas das cavidades nasais) são forradas por uma mucosa que exerce funções muito importantes. Antes de tudo, essa mucosa é responsável por grande parte do que se conhece como sentido do gosto.

Isso porque o sabor dos alimentos está praticamente todo relacionado com o aroma, percebido pelas terminações nervosas situadas na mucosa do nariz e não pelas papilas gustativas da língua, que reconhece apenas o que é doce, amargo, salgado ou ácido.

 

Função da mucosa nasal

Outra função da mucosa nasal é barrar as impurezas existentes no ar inspirado. A penetração do ar, na respiração, faz-se normalmente pelas cavidades nasais.

Para bloquear a penetração de impurezas – fuligem, poeira e outras partículas carregadas de micróbios – o nariz possui eficiente sistema de filtragem.

publicidade

Logo à entrada das cavidades nasais se localizam pelos especiais, curtos, pou­co flexíveis e muito resistentes: dispõem-se como uma pequena rede, para peneirar o ar que atravessa o nariz.

As impurezas menores que conseguem ultrapassar essa barreira de pelos são retidas por outro processo, semelhante ao utilizado pelo papel pega-moscas.

A mucosa do nariz é normalmente revestida por uma película de muco e as partículas ou micróbios provenientes do meio externo ficam presos nela.

publicidade

O muco é formado a partir de microscópicas glândulas localizadas junto à superfície da mu­cosa nasal e da mucosa que forra outras cavidades vizinhas, os chamados seios paranasais.

EXCESSO DE MUCO

No caso de rinite alérgica, não ocor­re infecção, mas a mucosa nasal torna-se inflamada durante o processo. Ocorre também o edema e sua coloração, normalmente averme­lhada graças a sua abundante irrigação sanguínea, torna-se pálida, de um tom cinza-azulado.

Como consequência da irritação local, as glândulas da mucosa nasal aumentam sua secreção de maneira acen­tuada – o volume de muco produzido é muito maior do que a capacidade de drenagem natural das cavidades nasais, exteriorizando-se continuamente pelas narinas.

Coriza e rinite

É a chamada coriza (corrimen­to nasal). O edema da mucosa, por sua vez, provoca a ventilação deficiente do nariz, por reduzir seus diâmetros internos.

As alterações da mucosa nasal na rinite alérgica variam com a fase da afecção. Inicialmente, no período vasomotor, a mucosa fi­ca edemaciada e de cor cinza-azulada.

Já depois de repetidos acessos de rinite alérgica, as alterações locais favorecem o aparecimento de infecções secundárias, que surgem com os sinais inflamatórios característicos e ainda com a eliminação de catarro misturado com pus (muco purulento).

Posteriormente, quando a rinite alérgica não é tratada, aparecem distúrbios mais prolongados. O epitélio (a camada mais superficial das células da mucosa nasal) sofre um processo de hiperplasia, isto é, aumenta de espessura por causa da proliferação de suas células.

A longo prazo, essa tendência de crescimento celular acaba por provocar a formação de pólipos (carne esponjosa).

 

CUIDADOS COM AS CRIANÇAS

Assim como outros processos alérgicos que afetam as vias respiratórias, a rinite alérgica pode provocar sérios problemas nas crianças. Após repetidos surtos, acaba por determinar uma obstrução nasal mais ou menos definitiva. Esse distúrbio, por sua vez, provoca frequentemente alterações ósseas na base do crânio.

Crianças com rinite alérgica crônica podem ter dificuldade audi­tiva, em conseqüência da extensão do processo alérgico e infeccio­so para as trompas de Eustáquio.

Diferentes medidas – desde o umedecimento das cavidades na­sais com o emprego de soro fisiológico até o uso de antialérgicos e descongestionantes, entre outras – são bastante eficazes. No entanto, como em todo processo alérgico, somente um cuidado fun­damental garante a cura definitiva: o afastamento da substância que causa a reação alérgica.

Paralelamente, a influência de fatores emocionais é acentuada na rinite. Por esse motivo, a garantia de afeto e de boas condições psicológicas para a criança são muito importantes como parte in­tegrante do tratamento.

Na rinite alérgica, as fossas nasais apresentam vermelhidão intensa, causada pela inflamação da mucosa nasal. O cometo médio também aparece inchado, edemaciado.

publicidade
Imagem- lottusclinica.com.br