Pressão Alta – Sintomas e Tratamentos

A pressão arterial alta, a hipertensão, se define como ter pressão arterial (a força que é criada no coração quando este bombeia sangue para as artérias e para o sistema circulatório) igual ou maior a 160 sistolar (o maior número) por 95 diastólica (o menor número). Entre 140 e 159 sistolar sobre 90 a 94 diastólica se considera “no limite” superior. Abaixo desses números, é normal e a pessoa não possui pressão alta.

Além dos derrames cerebrais, a pressão arterial alta pode causar cegueira, insuficiência renal, e um inchaço do coração que pode levar a uma insuficiência cardíaca.

Quem tem riscos de pressão arterial alta?

As pessoas com um histórico familiar dessa condição, os negros (tem uma probabilidade maior do que os brancos, de quase um terço, de sofrer de pressão arterial alta), os indivíduos que passam do peso, e os indivíduos que estão envelhecendo. Também fazem parte do grupo de risco as mulheres grávidas e as que estão tomando anticoncepcionais orais.

A boa notícia é que, junto com seu médico, você pode controlar a hipertensão. Não será fácil—você terá que mudar sua maneira de pensar e atuar. Talvez terá que tomar remédios pelo resto de sua vida. Definitivamente terá que eliminar alguns maus hábitos e começar alguns novos e mais saudáveis. No entanto, seus esforços tem a possibilidade de lhe beneficiar com uma vida mais longa e mais saudável. Viva sua saúde!

publicidade

Sintomas

Os sintomas clássicos da pressão alta são: dor de cabeça, insônia, palpitações, cansaço, indisposição e tontura.

Você tem pressão Alta?

Pode parecer trivial, mas na realidade o primeiro passo para controlar sua pressão arterial é, aceitar o fato de que você tem um problema. A pessoa deve aceitar o fato de que tem hipertensão. A pior pessoa do mundo é um homem de 40 anos, dinâmico, que vem sentindo-se bem e de repente lhe falam que tem hipertensão e que terá que controlar sua pressão arterial. Frequentemente, não acreditará. De fato, se me pergunto que tipo de pacientes tem abandonado minha prática no decorrer dos anos, eu diria que são os hipertensos. . Você terá que fazer algumas coisas: ir ao médico, tomar regularmente seus remédios, modificar sua dieta, informar a seu médico sintomas estranhos. Você terá que se unir ao clube.

pressão-alta
imagem: institutobiomedico

Dicas e Tratamentos para Pressão Alta

Além do acompanhamento médico (fundamental) e dos remédios e dietas passados por ele, você pode adotar essas dicas em seu estilo de vida:

Perca peso

Em todos os níveis de pressão arterial, o aumento de peso contribui para elevar a pressão arterial. A perda de peso baixa a pressão arterial—não em todo o mundo, mas em muitas pessoas. Vale a pena tentar. Explica que para cada 454 gramas) de peso corporal excessivo que se perde, a pressão arterial pode baixar dois pontos. Sempre é algo recomendável, mesmo se você é muito hipertenso. Se você é moderadamente hipertenso, a perda de peso pode fazer com que deixe de tomar medicamentos. Inclusive uma perda pequena de peso é melhor que nenhuma perda

Invista em um monitor de pressão arterial caseiro

Se você foi diagnosticado como hipertenso, ou se seu médico pede mais leituras de pressão arterial antes de fazer um diagnóstico definitivo, ele deveria lhe receitar um monitor de pressão arterial caseiro. O monitor caseiro tem várias vantagens—a primeira e mais importante, é que o adverte se sua pressão está perigosamente alta, e dessa forma você pode buscar ajuda médica mais cedo. Um monitor pode economizar dinheiro, porque reduzirá as visitas ao médico.

Isto agora é muito comum. Também é fácil de fazer. Se o paciente tem medo de usar o monitor [algumas pessoas entram em pânico se descobrem que sua pressão está alta], outra pessoa, como o cônjuge, pode usar o aparelho neles. A pressão arterial deve ser medida sempre à mesma hora do dia, nas mesmas circunstâncias. A maioria das agências e seguradoras podem cobrir a compra dos monitores se foram receitados pelo médico.

publicidade

Comece um programa de exercícios

Além de ajudar a perder peso, o exercício proporciona benefícios adicionais às pessoas com pressão arterial alta. As pessoas que são muito hipertensas, não deveriam fazer exercícios até que controlassem a pressão arterial, mas as pessoas com hipertensão leve podem fazer exercícios aeróbicos de 20 a 30 minutos, três vezes por semana, e vão beneficiar com uma redução da pressão arterial em uns oito pontos, o que pelo menos durará metade do dia. É melhor que consulte seu médico antes de começar qualquer programa de exercícios, especialmente se tem vida sedentária.

Os tipos de exercícios que com maior probabilidade beneficiarão sua pressão arterial são caminhar, correr, subir escadas, dança aeróbica, natação, andar de bicicleta, tênis, patinar, esquiar, ou qualquer outra coisa que eleve o pulso e que mantenha a elevação por pelo menos 20 minutos. Os exercícios não aeróbicos, como levantar pesos e os exercícios de flexão e tração, na realidade podem ser perigosos para os hipertensos. Estes tipos de exercícios não devem ser feitos sem o consentimento explícito de seu médico.

Tome seu remédio para a pressão arterial alta

O maior problema com a hipertensão, é que frequentemente é assintomática até chegar aos estados finais, onde pode se tomar fatal. Esta é a razão pela qual essa condição frequentemente é chamada de “assassina silenciosa”. A diferença para uma pessoa que tem outras doenças crônicas como por exemplo diabete, é que a pressão alta pode ser sentida se não forem tomados os remédios. No entanto, dentro de seu organismo a doença continuará progredindo, prejudicando as artérias de seus olhos, destruindo seus rins, causando com que o coração se inche, e assim sucessivamente.

Outro problema que pode ocorrer quando você deixa de tomar o remédio para a pressão arterial é o fenômeno de rebote, onde a pressão arterial sobe a um nível mais alto do que estava antes de que você comece a tomar o medicamento. Qual é a moral da história? Se você está começando e parando de tomar seus medicamentos, você não está unido ao clube.

publicidade
  • Saiba mais sobre a HIPERTENSÃO