Psicoterapia – Como Funciona e quais as Técnicas utilizadas

Psicoterapia. Essa palavra ainda amedronta. Costuma-se associar a ela todo um mundo de irracionalidade, de loucura, pelo qual não queremos nos sentir envolvidos. No entanto, não há nada nessa terapêutica natural que possa causar medo; com inúmeras especialidades, só se serve da palavra ou do relaxamento muscular para obter a cura.
Já repetimos em inúmeras oportunidades: a saúde é uma questão de equilíbrio. Equilíbrio entre as funções orgânicas, mas também equilíbrio entre o psiquismo e o corpo.
Ninguém contestará, já que se trata de uma evidência, que as doenças do corpo influenciam nosso “moral”,nosso estado psíquico.

Basta uma simples gripe para o indivíduo tornar-se moroso, triste, abatido. O inverso, O inverso também é verdadeiro. A isso é que se chama psicossomatização. Um conflito psíquico difícil de resolver, uma vida que não satisfaça, podem se traduzir em uma doença ou em distúrbios funcionais do organismo. O exemplo mais célebre é o da úlcera do estômago. Ela atinge os indivíduos nervosos, angustiados. Porém, pode-se igualmente ser receptivo ao micróbio da angina por causa de um estado psíquico deficiente. De outro modo, como explicar então que esse micróbio, que todos podemos contrair, só atinja alguns indivíduos em particular?

 

Técnicas da psicoterapia

As técnicas da psicoterapia são muito numerosas, mas, por unia preocupação de clareza, vamos nos deter apenas em algumas delas que, pelo mesmo motivo, classificaremos um pouco abusivamente em técnicas orais e musculares.

A psicoterapia: pode ser individual ou de grupo

A psicoterapia individual assemelha-se à psicanálise, uma vez que ela é um tratamento que repousa no relacionamento pessoal do terapeuta com o paciente através do verbo. Mas se se lança mão desse relacionamento, não é para controlá-lo, elucidá-lo, reduzi-lo; ele é simplesmente dirigido para permitir que o indivíduo se expresse melhor, que ele se libere.
Na psicoterapia de grupo a intervenção do terapeuta limita-se a interpretações analíticas. O paciente, cm contato direto com um grupo, exprime ativamente suas necessidades e relaciona-se com membros que também reagem ativamente. A presença do grupo facilita ou inibe a expressão, estimula a culpabilidade, a ansiedade ou a vergonha. Utilizam-se também métodos de improvisação dramática, jogo teatral, a fim de facilitar a expressão das inibições.

A psicoterapia de grupo é cada vez mais útil nas terapêuticas em que a vontade do doente necessita ser reforçada: no caso dos obesos que querem emagrecer ou dos fumantes que desejam parar com o uso do tabaco.

A psicoterapia de grupo é cada vez mais útil nas terapêuticas em que a vontade do doente necessita ser reforçada: no caso dos obesos que querem emagrecer ou dos fumantes que desejam parar com o uso do tabaco.

Psicoterapia

As técnicas orais

A sofrologia: Essa técnica utiliza a hipnose, pela qual Charcot e depois Freud já se interessavam, com o objetivo de tratar dos distúrbios de origem funcional.
Esse método de origem espanhola ainda não é reconhecido pela medicina oficial, na França; porém, depois da moda americana, há cada vez mais médicos franceses apelando para os especialistas em sofrologia diante dos resultados surpreendentes que constataram.
A psicanálise: sua descoberta por Freud é seguramente a revolução mais profunda que este século conheceu, tanto no nível médico quanto no nível filosófico.

Este artigo não é, evidentemente, o local para se explicar o que é na verdade a psicanálise, tanto mais que ela nos interessa apenas enquanto terapêutica. Resumindo, podemos dizer que a infância e a puberdade, na teoria freudiana, são momentos privilegiados durante os quais irá determinar-se todo o nosso psiquismo. A maioria das sensações e dos sentimentos da criança vão ser recalcados numa esfera inconsciente que sé se exprimirá através do sonho ou no caráter do indivíduo. Na idade adulta, quando ocorrer um conflito, o inconsciente continuará a intervir quando a pessoa não conseguir resolver esse conflito. Em vez de adaptá-lo à realidade cotidiana, ela irá recalcá-lo numa esfera inconsciente. Porém, o conflito continua a subsistir e irá manifestar-se sob outras formas: angiistias, ou outras perturbações psíquicas, mas também perturbações orgânicas.

O papel do psicanalista, pelo recurso da palavra e do relacionamento com o paciente, é desfazer esse conflito, trazê-lo de volta à superficie. Essa terapêutica, evidentemente, é função de um especialista Ela pode exigir muito tempo e não é raro ver uma análise durar vários anos. O papel do analisado é também de capital importância, pois sem a sua vontade e o seu desejo de cooperar o analista nada pode fazer.

As técnicas musculares

Essas técnicas têm algo em comum com a ergoterapia e com a psicoterapia, pois controle e relaxamento psíquico estão intimamente ligados ao controle e ao relaxamento muscular.

A ioga: ver capítulo sobre Ergoterapkz.
O relaxamento: A doença é quase sempre um refúgio, uma vingança de um corpo a quem não prestamos mais a devida atenção e que submetemos a stresses diários. Adaptar-se à vida, reconhecer seu próprio esquema corporal para aprender a se defender e a viver em harmonia consigo mes. .mo, é possível graças ao relaxamento.

Mas, antes de tudo, o que é relaxamento?

São processos terapêuticos bem definidos, que visam obter uma descontração muscular e psíquica do indivíduo com o auxílio de exercícios apropriados; a descontração neuromuscular atinge um tônus de repouso’, base de um relaxamento físico e psíquico. O relaxamento é também uma técnica para a busca de um repouso o mais eficaz possível, ao mesmo tempo que de economia das forças nervosas postas em jogo pela atividade geral do indivíduo.

Quais são as indicações terapêuticas do relaxamento? Em primeiro lugar, ele é recomendado aos indivíduos nervosos, angustiados – que são o campo predileto de inúmeros distúrbios – em beneficio dos quais ele age de modo preventivo permitindo-lhes um melhor controle de si, diminuindo suas reações emotivas e melhorando seu equilíbrio nervoso. Mas o relaxamento é também um auxiliar, uma ajuda notavelmente eficaz para todas as afecções psicossomáticas, que são numerosas. Sua eficácia aumentará com um tratamento feito precocemente, antes que se tenham instalado lesões orgânicas graves.

As afecções cardiovasculares (tipo palpitações, taquicardias, falsa angina do peito), as afecções digestivas (como as colites e as úlceras), as afecções respiratórias (a asma, por exemplo), as doenças da pele (eczema), da bexiga (cistite) ou os distúrbios nervosos com repercussões sobre o comportamento sexual (impotência, frigidez) serão melhorados com o relaxamento. As crianças também podem utilizá-lo, particularmente em caso de tiques, de gagueira, de anorexia mental ou de

Técnicas de relaxamento

Uma das mais antigas e das mais comumente utilizadas é o Training autógeno de Schultz. Nesse método, tenta-se atingir um desbloqueio generalizado do indivíduo através de exercícios físicos racionais determinados. O indivíduo, induzido por um médico especializado,-concentra-se mentalmente para chegar, em etapas sucessivas, às sensações de’peso (correspondente à descontração muscular), de calor (correspondente à dilatação dos vasos periféricos).

Essas sensações completam-se pela conscientização da respiração, das pulsações cardíacas, do calor interno na altura do abdômen e do frescor da fronte. As sessões de relaxamento, em geral, são semanais e podem ser praticadas em grupo ou individualmente, sob a direção de um médico. Existem dois ciclos de aperfeiçoamento. O primeiro, chamado ciclo inferior, necessita dei aproximadamente sete sessões sob a orientação de um monitor, e uma prática pessoal dos exercícios durante dois anos. Uma vez decorrido esse tempo, pode-se abordar o ciclo superior, que conduz a uma verdadeira liberação da personalidade.

O método Jacobson, outra técnica de relaxamento, comporta duas fases:

uma fase de relaxamento progressivo, que compreende seis etapas de descontração muscular que levam à descontração mental; uma fase de relaxamento diferencial, durante a qual ensina-se ao paciente a dominar os diferentes músculos do corpo em função das suas atividades cotidianas.
O método Jacobson comporta sessões diárias de aproximadamente uma hora cada, das quais duas ou três por semana são feitas sob controle médico.
Existem várias outras escolas de relaxamento, uma das quais, muito especializada, é praticada com muita freqüência em hospitais: trata-se do parto sem dor.

Leia Também: