Queimaduras de Pele – Tratamentos, Complicações, Graus e Muito Mais

queimaduras-de-pele-tratamentos-complicacoes-graus-e-muito-mais

Quanto mais ampla é a área atingida pelas queimaduras, mais grave se apresenta o quadro clínico, com repercussões em todo o organismo.

A queimadura é um fenômeno que ocorre toda vez que a pele en­tra em contato com corpos em temperaturas que se afastam muito da média. Tanto uma temperatura muito elevada quanto outra, muito baixa, podem originar a mesma coisa.

Ou seja, não só ofo­go mas também o gelo é capaz de queimar. Conforme a intensida­de do agente, o tempo que a epiderme fica exposta e as característi­cas individuais da pele, a queimadura varia de grau e gravidade.

A intensidade da lesão varia também conforme o agente e o mo­do como atinge a pele. Os líquidos espalham-se e afetam uma área mais ampla do que os sólidos; estes, no entanto, agem muito mais profundamente, embora em espaço delimitado.

Neste artigo falaremos sobre Queimaduras de Pele – Tratamentos, Complicações, Graus e Muito Mais.

Queimaduras de Pele – Tratamentos, Complicações, Graus e Muito Mais

GRAUS DA QUEIMADURA

Conforme a profundidade da lesão dos tecidos, as queimaduras são classificadas em 1º, 2º e 3º graus. As de 1º grau são as mais superficiais, como, por exemplo, as produzidas pelo sol.

Mas quando o calor causa danos mais sérios, por maior suscetibilidade da pele, ou por maior tempo de exposição, além da vasodilatação e do ardor, ocorre também um aumento sensível da permeabilidade das paredes dos vasos sanguíneos.

Através delas, escoa um líquido claro, de aspecto sero­so, que é filtrado do plasma sanguíneo para os espaços entre as células. O líquido acumula-se entre as várias camadas da epiderme, que se descola e forma bolhas, ou vesículas, características das queimaduras de 2.° grau.

A perda de líquido origina desidratação dos tecidos, de intensidade variável conforme a queimadura. As queimaduras de 3.° grau são as mais profundas. Os vasos sanguíneos são tão prejudicados que o sangue se coagula dentro deles e não circula normalmente. Com isso, ocorre a necrose dos tecidos não irrigados.

AS COMPLICAÇÕES

Para avaliar a gravidade de uma queimadura, a extensão da superfície corporal atingida é tão importante quanto a profundidade da lesão. Mesmo uma queimadura de 1.0 grau pode ser séria, se afetar uma área muito ampla.

A necrose de uma vasta área de tecido, com decorrente insuficiência circulatória, pode levar ao estado de choque, obrigando ao imediato internamento hospitalar, com os recursos essenciais para restabelecer o volume circulatório.

A insuficiência renal é uma das mais graves complicações que pode acometer um paciente nessas condições.

As células destruídas pela queimadura (principalmente hemácias) caem na corrente sanguínea e provocam alterações em estruturas vitais dos rins, impedindo a formação normal de urina.

As substâncias geralmente eliminadas pelos rins acumulam-se no sangue e com isso cria-se uma situação que dificulta terrivelmente o tratamento, podendo mesmo ser fatal.

TRATAMENTO

As primeiras medidas consistem na desin­fecção da área atingida, para evitar a invasão de germes. Pomadas gordurosas, como a vaselina, aliviam a dor.

Quando se formam bolhas, elas podem romper-se espontaneamente, o líquido escoa e deixa uma ferida aberta, mais sujeita ain­da ao ataque de germes. A pele circundante precisa ser desinfetada, para não atingir a derme descoberta, com soluções como o mercúrio-cromo ou mertiolato.

Retirados os tecidos desvitaliza­dos, aplica-se gaze vaselinada com enfaixamento da região afeta­da, para proteger o local e para diminuir a saída de plasma.

Se as bolhas não se rompem e estão muito tensas, pode ser bom – a critério médico – furá-las na base, após prévia desinfecção, para que o líquido se escoe efacilite a cicatrização.

Durante uns 7 dias, o curativo é mantido, enquanto as células se regeneram. Forma-se uma crosta acastanhada que recobre toda a derme e finalmente cai, substituída pela nova cútis. Como medida de precaução, aplica-se rotineiramente a vacina e soro antitetâni­co, nos casos de 2.° e 3.° graus.

Nas queimaduras de 3.’ grau, o tecido não tem condições para regenerar-se sozinho. Para que não fiquem cicatrizes deformantes, muitas vezes é necessário um transplante de pele, de outras pes­soas ou de outras regiões do corpo do próprio acidentado.

Neste artigo falamos sobre Queimaduras de Pele – Tratamentos, Complicações, Graus e Muito Mais.

Imagem- remedio-caseiro.com



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos