Tipos de Lesão: Muscular, Óssea, Cutâneas e dos Nervos

Tipos de Lesão

Confira os principais tipos de lesões que existem: cutâneas, musculares e ósseas.

Lesões Musculares

A contusão muscular é considerada uma lesão traumática aguda, causada pelo choque de algum objeto ou o choque com outra pessoa, sobre o músculo.

O tratamento irá depender do nível da lesão: O gelo e pomadas são úteis em caso de lesões menores e moderadas. Já a lesão severa precisará de um acompanhamento médico.

Lesões Cutâneas

Dependendo da intensidade do traumatismo, as lesões cutâneas podem ter -maior ou menor profundidade. Podem atingir apenas a pele, sem danificar células ou romper vasos. Outras vezes chegam a lesar anexos da pele, como glândulas sudoríparas e sebáceas, artérias, capilares e até algumas veias.

Choques ou golpes mais intensos são causas de necrose (morte) dos tecidos e formação de hematomas (vazamento e acúmulo de sangue). Se essa região continuar sofrendo pressão prolongada, a zona atingida fica delimitada. Os tecidos mortos se isolam formando uma escara, lesão cutânea típica nos pacientes obrigados a permanecer acamados durante muito tempo.

As lesões cutâneas podem apresentar rápida cicatrização, pela substituição gradual do tecido morto por células novas, ou pela eliminação da zona atingida, com formação de úlcera. No primeiro caso forma-se uma crosta seca e escura que cai espontaneamente. Debaixo dela se encontra um novo tecido. No segundo caso, a crosta, de cor marrom ou amarela, é úmida. Deve-se então retirá la, para que o processo de restauração possa se dar o mais rapidamente possível.

Contusões ósseas

As contusões ósseas são as mais dolorosas, pois atingem o periósteo (membrana fibrosa que envolve os ossos), estrutura muito inervada e, portanto, muito sensível. Os vasos subperiósteos se rompem, formando um hematoma  ocasionando um edema local, muito doloroso à palpação, que regride com certos cuidados. A aplicação de compressas frias e o repouso da parte atingida descongestionam a região e aceleram a reabsorção do sangue extravasado das veias e artérias.

Os ossos não sofrem as conseqüências da contusão, a não ser no caso defratura. As contusões podem também atingir as articulações. Trata-se, geralmente, de lesões que causam dor intensa. Dessas, a mais típica é a do joelho, de ambos os lados da rótula- A cápsula oferece boa resistência aos traumas e seus vasos raramente se rompem.

Já a membrana sinovial, logo abaixo, é sensível mesmo a pequenas contusões. Aparece a dor e a congestão, muitas vezes com rompimento dos vasos e extravasamento do sangue na cápsula (extra-articular) ou no interior da articulação (endo-articular).

A congestão sinovial, responsável pela maior produção de líquido articular (sinóvia), acaba por levar, rapidamente, ao inchaço da articulação que foi atingida. O tratamento das contusões articulares se baseia sobretudo na aplicação de compressas frias, e requer repouso absoluto do membro afetado. O sangue extravasado é reabsorvido espontaneamente.

Quando isso não ocorre, o sangue é reabsorvido através da punção articular. A imobilização da articulação, todavia, não é uma condição estritamente necessária; na maioria dos casos é suficiente o repouso, até que desapareçam a dor e o inchaço.

CUIDADO COM OS NERVOS

As contusões podem atingir diretamente os nervos situados abaixo da pele e em contato direto com ela. Talvez a mais típica dessas contusões seja a do nervo, cujos ramos inervam a musculatura flexora e pronadora do cotovelo, do antebraço e das mãos. Outro caso comum é o do nervo ciático, sob a cabeça do perônio. Se o trauma for de natureza leve, a dor desaparece com muita rapidez.

Traumas mais graves podem prejudicar o tecido nervoso, com interrupção da funcionalidade do nervo quanto à sensibilidade e à motilidade. As veias, correndo mais superficialmente do que as artérias, são atingidas por contusões com bastante freqüência. As mais sujeitas a traumatismos são as que percorrem planos ósseos, isto é, as que acompanham a superfície dos ossos.

A perda de sangue é abundante e a reabsorção, lenta. O hematoma se recolhe numa espécie de bolsa, que não permite a dispersão. Após as compressas frias, aplicadas durante três ou quatro dias, os hematomas são tratados com pomadas especiais, que favorecem a reabsorção do sangue.

Lesão do tendão – Tipo de Lesão popular entre atletas

O tipo de lesão mais popular entre jogadores de futebol e corredores é a lesão do tendão. Os tendões (estruturas fibrosas em que terminam os músculos e que se inserem nos ossos quando superficiais) muitas vezes podem sofrer contusões. A mais típica é a lesão do tendão de Aquiles, que está situada na parte inferior e posterior da perna. Se o traumatismo for leve, a funcionalidade do tendão não ficará prejudicada. Traumas graves, sobretudo quando seguidos por hemorragias, podem acabar levando á degeneração dos tecidos e ao rompimento do tendão.

Os lugares que, por sua própria localização, estão facilmente sujeitos a contusões são protegidos por uma cavidade especial, a bolsa serosa. Em caso de contusão, essa cavidade fica repleta de líquido (contido nas articulações) semelhante à sinóvia. A afecção, denominada bursite, se não for cuidadosamente tratada, pode levará supuração do líquido.

Nesse caso, a bolsa deve ser retirada, pois o recurso da simples punção para remover o pus não é suficiente. Por fim, as contusões podem atingir os músculos. A dor diminui com o repouso e a aplicação de compressas frias.

Leia Também: