Adenocarcinoma – Câncer de Pele – O que é?

O adenocarcinoma é um tumor maligno, que deriva de células glandulares epiteliais secretoras. O adenocarcinoma geralmente são detectados por meio de exame microscópico de material colhido via biópsia. Ela pode surgir em diferentes tecidos, como:

  • Rim
  • estômago
  • pâncreas
  • mama
  • esôfago
  • cólon
  • vagina
  • colo do Útero
  • vesícula
  • pulmão
  • próstata

 

As origens do Câncer

As causas determinantes da alteração celular são ainda mal conhecidas, controvertidas e motivo de intensas pesquisas. Diversas teorias têm sido formuladas a respeito, como a de que o câncer seria produto da irritação crônica a que estão expostos certos locais da organismo; ou então de que seria causado por vírus; ou ainda por alterações das propriedades metabólicas das células.

Contudo, as noções referentes ao assunto não ficam apenas no terreno teórico. E conhecida e comprovada a ação cancerígeno de diferentes substâncias químicas: alcatrão, algumas anilinas, corantes, tintas radiativas, além de inúmeras outras substâncias, principalmente as do grupo químico dos hidrocarbonados.

Diferentes hormônios, sejam eles estrogênicos (feminilizantes) ou androgênicos (masculinizantes), bem como os da supra-renal (conicais), mostram-se capazes de produzir câncer em animais de laboratório. Embora tais conclusões experimentais nem sempre possam ser aplicadas à espécie humana, é conveniente que tais aspectos sejam examinados criteriosamente.
Sabe-se que agentes físicos como os raios solares e as irradiações (raios X) também produzem tumores, fato constatado entre operários que trabalham em minas radiativas.

Adenocarcinoma

Paralelamente, inúmeros estudos realizados parecem demonstrar que a hereditariedade representa fator de suscetibilidade, maior ou menor, ao câncer. Mas, se a essa tendência hereditária não se juntar a ação de agentes químicos, biológicos ou físicos, ou de traumatismos e infecções, o tumor não aparecerá.

Também algumas deficiências alimentares parecem ter participação na incidência de certos tumores malignos, como o câncer do fígado, que hipoteticamente poderia surgir em conseqüência de dietas prolongadamente pobres em proteínas.
Há os que consideram o câncer doença da civilização, e atribuem ao “ambiente artificial” das comunidades urbanas evoluídas importante papel na difusão da moléstia.

No entanto, deve-se considerar que nesses centros, graças à eliminação de muitas outras causas de mortalidade, a idade média da população aumentou. Dessa maneira, grupos mais numerosos atingem faixas de idade em que as doenças cancerosas são mais freqüentes, em virtude de fatores biológicos ainda incontroláveis por parte da medicina. Daí a interpretação da incidência do câncer como resultado do ambiente.

 

Prevenção de diversos tipos câncer

Desde que se considere provável a participação de agentes físicos e químicos no aparecimento dos tumores malignos, as providências mais aconselháveis são as que visam a proteger as populações contra seus efeitos. Exposições prolongadas à luz solar e às radiações devem ser evitadas, e adotadas todas as medidas que anulem ou -atenuem os efeitos da poluição das águas e da inalação de fumaças, inclusive do fumo. Devem-se evitar a contaminação dos alimentos e o uso de medicamentos ou comida que contenham agentes cancerígenos.

Medida profilática eficiente, do ponto de vista individual, é a adoção do exame médico periódico ou em face de qualquer suspeita de anormalidade. A luta nesse campo ampara-se também em campanhas educativas, conduzidas de modo a alertar as populações no sentido não só de prevenir a moléstia como de procurar tratamento precoce, capaz de evitar conseqüências fatais.

Essas são medidas acauteladoras que ajudam a manter o câncer a distância, já que o homem não dispõe ainda de armas adequadas para combatê-lo frente a frente.

Além do emprego de medidas preventivas à diversos tipos de câncer, inclusive do Adenocarcinoma, o combate ao câncer dispõe de uma série de métodos terapêuticos eficientes. Um deles é representado pela cirurgia. Os extraordinários progressos alcançados nesse campo da medicina e os modernos métodos operatórios permitem realizar com grande segurança intervenções cirúrgicas amplas e complexas.

A possibilidade de extirpação não só do tumor primitivo, como também dos tecidos vizinhos, eventualmente afetados, e dos grupos ganglionares que os rodeiam, veio contribuir sobremaneira para o tratamento, por vezes altamente eficiente.

Outra arma amplamente utilizada é a radioterapia. Seu emprego fundamenta-se no poder destrutivo das radiações sobre as células vivas, com ação predominante sobre as que se apresentam em intensa atividade biológica, como é o caso dos tecidos cancerosos. As radiações são indicadas com base na localização do tumor e no possibilidade de preservação dos tecidos normais.

A luta ao câncer, inclusive ao Adenocarcinoma, obteve grande impulso com a descoberta dos quimioterápicos, capazes de bloquear ou diminuir o ritmo de crescimento do tumor. A maioria age nas células sobre os ácidos nucléicos (ADN e ARN) e as nucleoproteínas.
O uso, isolado ou simultâneo, das diferentes medidas terapêuticas, acrescido do considerável progresso alcançado dia a dia, vem trazendo fundadas esperanças de se desvendar a incógnita que ainda constitui o câncer.

 

 



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*