Inflamação da Trompa e do Ovário: Anexite Crônica e Aguda

Anexite-inflamacao-trompa

 

A anexite (inflamação da trompa e do ovário) pode produzir-se por diversos germes: estafi­lococo, gonococo, estreptoeoco, bacilo coli, bacilo de Koch, etc. Estes ger­mes podem chegar à trompa e ao ovário, do exterior, através da vagina e do útero, que é a via mais comum, ou por meio do sangue que os traz de outros focos de infecção. Pode também provir de um órgão vizinho inflamado; o útero e o apêndice, por exemplo.

 

Fatores que Predispõem as Anexites (Inflamações da Trompa e do Ovário)

As inflamações da trompa e do ovário são muito mais frequentes na idade de atividade genital da mulher, se bem que possam rara vez encontrar-se casos antes da puberdade e depois da menopausa. Com muita frequência a infecção dos anexos se produz como consequência de parto ou aborto.

Durante a menstruação é favorecida a aparição das in­flamações da trompa e do ovário. Outra causa muito importante de ane­xite é a blenorragia (gonorreia).

 

Como são as Lesões da Inflamação da Trompa e do Ovário?

São muito variáveis de uma paciente para outra, e na mesma enferma podem modificar-se de um período para outro. Podem variar desde a simples congestão até as colações de pus.

Quando de origem gonocócica é geralmente bilateral, ou seja, toma ambos os lados.

Ao contrário, na origem puerperal, o comum é que tome um único lado. Conquanto possa haver somente inflamação do ovário ou da trompa, é muito freqüente que, devido à proximidade de ambos os órgãos, e sua união por meio de vasos linfáticos, a inflamação atinja simultaneamente a trompa e o ovário e possa ainda estender-se ao peritônio da pelve, pro­duzindo pelviperitonite.

As salpingites agudas simples são chamadas catarrais quando há somente congestão da trompa, e supuradas quando há formação de pus. As formas crônicas recebem o nome de atróficas e hipertróficas, segundo adquira a trompa uma espessura menor ou maior que a normal. Há habitualmente aderências com os órgãos vizinhos.

Sintomas da Anexite Aguda?

O começo pode ser brusco ou insidioso. Há dor no baixo ventre, sensibilidade à pressão da dita região, febre variável e o médico pode comprovar ao exame dos anexos, que estão dolorosos e às vezes aumentados de tamanho.

A dor pode irradiar para a cintura, as coxas, o reto, o ânus, os membros inferiores etc. A dor au­menta com os movimentos. Os sintomas diminuem gradualmente ao ir passando a inflamação para o período subagudo e logo ao período crônico.

Sintomas da Anexite Crônica?

Os sintomas mais frequentes nesta forma, que podem seguir-se a uma inflamação aguda, são:

  • Dores no baixo ven­tre, irradiadas para a cintura, que aumentam com o movimento e as relações sexuais;
  • Transtornos menstruais: menstruação dolorosa ou excessiva;
  • Pode haver corrimento, debilidade, nervosismo, etc;
  • O exame médico revela modificações no tamanho, na consistência e na sensibilidade da trompa ou do ovário. O útero pode ser menos móvel que o normal, nos casos graves.

 

Tratamentos para as Inflamações da Trompa e do Ovário

As inflamações da pelve devem ser diagnosticadas e tratadas pelo médico:

  • Período agudo: Segundo a causa da infecção o mé­dico indica diversos antibióticos (penicilina, estreptomicina, cloromice­tina, ledermicina, terramicina, etc.) ou sulfas. A alimentação deve ser de fácil digestão, variando segundo o grau de febre e de inflamação. Casos há em que se indicam irrigações vaginais quentes. Às vezes se administram outros medicamentos, em caso de do­res fortes que não cedam, com outros meios. Ocasionalmente pode con­siderar-se necessária uma operação. O calor em suas diversas formas (ondas curtas, aparelho de Elliott, etc.), pode ser proveitoso em certos casos.
  • Período crônico: Se parece haver ainda germes, pode estar indicado utilizar antibióticos. Está indicado o repouso, especialmente nos perío­dos menstruais; deve evitar-se o cansaço, e a constipação (prisão de ventre), bem como as congestões da pelve (determinadas por excitação sexual ou relações sexuais frequentes). A alimentação correta, e corri­gir a anemia ou qualquer outra causa debilitante, tem, também, influ­ência favorável.
  • A fisioterapia que convém aplicar varia com o caso, podendo o mé­dico indicar ondas curtas ou diatermia, aplicação de calor por meio de banhos de assento quentes, irrigações vaginais quentes ou com apare­lhos especiais. Em alguns casos o médico indica banhos de assento frios com fricção, óvulos, curativos do colo uterino e da vagina, etc.
  • Nos casos que não cedem com tratamento médico está indicada a operação.



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos