Enterocolite – O que é, Sintomas e Causas – Necrosante Neonatal?

A enterocolite se caracteriza por um processo inflamatório capaz de afetar indiferentemente o intestino delgado ou o grosso. Enterite é o termo clássico para inflamações do intestino delgado, enquanto edite designa privativamente as inflamações do intestino grosso.

ENTEROCOLITE NECROSANTE: Havendo gravidade parte do órgão morrer (necrosar-se), ocasionando perfuração intestinal e peritonite. A Enterocolite necrosante é a emergência mais comum do trato gastrointestinal no período neonatal.

Sintomas da enterocolite

enterocolite

Diarreia, dores abdominais e febre são os sintomas desta inflamação que atinge tanto o intestino delgado como o grosso. Qualquer sintoma, procure um médico!

A forma aguda de enterocolite caracteriza-se pelo aparecimento brusco de sintomas como dores difusas no abdome, de intensidade variável, e diarreia, em que geralmente a eliminação de fezes se torna tanto mais freqüente quanto mais grave for o comprometimento do cólon. Logo em seguida, náuseas e vômitos podem associar-se ao quadro descrito.

publicidade

A absorção deficiente de substâncias nutritivas e os esforços repetidos de evacuação vêm juntar-se ao mal-estar generalizado que acomete o paciente. A abundante perda de líquidos também concorre para o abatimento e a instintiva necessidade de repouso. A possível desidratação provoca sede intensa, acompanhada por menor eliminação de urina, agora escassa e escura. É comum que ocorra febre em graus variáveis.

Causas da enterocolite

Certas frutas, sobretudo ácidas, frituras, alimentos gordurosos, excesso de celulose do bagaço de frutas, são algumas das causas freqüentes de enterocolite. Agentes químicos, em geral componentes de fórmulas medicinais, incluem-se entre as causas primárias: creosoto (dos xaropes contra tosse), salicilatos (de remédios contra reumatismo) e diversas substâncias inorgânicas como arsênio, mercúrio e chumbo também provocam alteração inflamatória do intestino.

Numerosas doenças, especialmente tuberculose e septicemia (infecção generalizada), podem conduzir a infecções graves do intestino, como complicação secundária.

publicidade

Enterocolites agudas ou crônicas, de variada intensidade, podem desenvolver-se como extensão de processos patológicos como peritonites e infecções abdominais localizadas. Também na fase final de muitas moléstias debilitantes, em que o organismo está com as defesas abaladas, poderão ocorrer crises de enterocolite. É o que acontece em casos de câncer e alcoolismo avançado.

Agravamento da enterocolite: fase aguda

Na forma aguda, a enterocolite se caracteriza pelo aparecimento de pontos vermelhos na mucosa intestinal, em geral inchada e recoberta de profusa concentração de muco. É a eliminação do muco que dá o nome de catarral a essa forma característica de enterocolite. Por outro lado, a descamação de áreas infectadas pode conduzir à formação de úlceras, que complicam a evolução e o tratamento da doença.

Nos casos mais graves e também quando a ocorrência de diarreia se repete com certa frequência, a orientação do médico é indispensável. Hábitos alimentares e afecção de outras pessoas do família são dois dados a serem considerados. Por outro lado, se o paciente registra casos anteriores de sensibilidade alérgica, essa anormalidade se incluirá entre as possíveis causas.

Quando a diarreia é violenta e súbita – precedida de náuseas, vômitos e desconforto abdominal -, a enterocolite quase sempre resulta da ingestão de alimentos contaminados, possivelmente por estafilococos.

publicidade