Mononucleose infecciosa – Sintomas da Doença do Beijo – O que é?

A Mononucleose infecciosa também é conhecida como a Doença do Beijo. Depois de um período de incubação que vai de cinco a quinze dias, a mononucleose se manifesta por meio de sintomas vagos, semelhantes aos da gripe, como mal-estar, fadiga, dor de cabeça e de garganta, calafrios e febre leve. Logo depois, os sintomas se intensificam: surge a faringite e acentua-se o aumento dos gânglios linfáticos (adenopatia), do número dos linfócitos no sangue (línfocitose) e do volume do baço, sintomas esses que podem se modificar conforme o estágio da doença.

Após a fase inicial da Mononucleose infecciosa (período prodrômico), cuja duração é de três a seis dias, os sintomas evoluem e tornam-se mais característicos. Vem então o período médio (quatro a vinte dias de duração), que se evidencia pelo desenvolvimento generalizado dos gânglios.

Mononucleose-infecciosa-doenca-beijo

Eles se apresentam sensíveis à palpação em todo o organismo. O figado pode apresentar-se aumentado e o baço toma-se palpável em mais de 50% dos casos. Eventualmente, outros sintomas vêm juntar-se aos primeiros: angina, erupções eritematosas, hemorragias nasais, náuseas, dores abdominais, Icterícia, tosse, arritmias e sinais de irritação meníngea.

Nos casos graves e complicados – que ocorrem muito raramente – surgem infecções secundárias: hepatite, rupturas do baço, pericardite ou miocardite agudas, púrpura e anemia hemolítica, pneumonia atípica e meningoencefalite. Em 6% dos casos há recaída, mas em geral estabelece-se a cura completa após três semanas ou menos.

Sintomas da Mononucleose infecciosa

Aumento ganglionar, garganta dolorida, febre, presença de células características no sangue e aumento de anticorpos constituem dados que facilitam o diagnóstico. Contudo, a variedade de sintomas pode levar a confundir a mononucleose com outras doenças, como apendicite aguda, rubéola, amigdalite, hepatite e gripe.

Por isso, tão-somente o quadro sanguíneo característico é que poderá justificar o diagnóstico de mononucleose infecciosa.

Diagnóstico da “Doença do Beijo”

O exame sanguíneo do doente revela decréscimo no número de glóbulos brancos (leucócitos) na primeira semana, e aumento posterior decorrente do aparecimento de maior número de linfócitos (um dos tipos de leucócitos). Estes se apresentam com o núcleo ovalado (forme ou levemente lobulado).

A cromatina mostra-se com aparência grosseira, irregular, e raramente denota-se o nucléolo. O citoplasma é basófilo, isto é, fixa os corantes básicos, e pode ter aspecto vacuolado ou escumoso. Essas células perfazem 60% ou mais do número total de leucócitos.

linfonodo

Lança-se mão, para diagnóstico, do teste de Paul-Bunnell, pelo qual se constata a presença de anticorpos para essa moléstia. Se o teste acusar elevada concentração desses anticorpos no sangue do paciente, o resultado poderá ser interpretado como reforço para confirmação do diagnóstico.

Tratamento da Mononucleose infecciosa – Tem Cura?

O uso de antibióticos não apresenta nesses casos qualquer influência significativa, sendo indicado somente na ocorrência de infecções secundárias.

O tratamento da Mononucleose infecciosa (doença do beijo) é determinado pelos sintomas. É aconselhável que o doente guarde o leito durante a fase aguda da febre e do mal-estar, e que lhe sejam administrados líquidos em abundância, por via bucal, e, em casos mais sérios, especialmente em crianças, por via endovenosa, sob aforma de soro glicosado.

A febre poderá ser combatida com o uso de antipiréticos, e a angina, aliviada com gargarejos. Paralelamente serão tratadas as complicações que se confirmem. Indica-se a retirada do baço em casos de ruptura desse órgão, de anemia hemolítica e de trombocitopenia grave (redução de plaquetas).

Sim, a Mononucleose infecciosa (doença do beijo) tem cura, mas é necessário acompanhamento médico.

Leia também:

Herpes Labial – Bucal (herpes simplex virus) – Tratamento -O que é?

 



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos