Os Tumores da Tireoide – Mata? Quais os Riscos? Tem Tratamento?

os-tumores-da-tireoide-mata-quais-os-riscos-tem-tratamento

Essa disjunção glandular ocorre principalmente nas regiões montanhosas, onde é insuficiente a concentração de iodo na água.

Zonas montanhosas, como o Estado de Minas Gerais, propiciam o aparecimento de uma disfunção glandular: as incômodas e antiestéticas papeiras.

Nessas regiões, ocorre uma diminuição na concentração normal de iodo na água e nos alimentos vegetais de produção local.

O suprimento insuficiente de iodo para o metabo­lismo do corpo impede o funcionamento normal de uma das glândulas endócrinas, a tireoide.

Esta, crescendo anormalmente, au­menta sua capacidade de trabalho e supre a carência do elemento químico. Para o funcionamento normal da tireoide, é preciso iodo, recebido através da alimentação. Quando o iodo falta, ela aumen­ta de volume, numa tentativa de continuar produzindo os hormô­nios em quantidade necessária.

Além da papeira, o que o público mais conhece sobre a tireoide é sua lnfluência na obesidade. É muito difundido que o conceito d1 gordura não é só resultado de alimentação em excesso ou inade­quada, mas também da disfunção tireoidiana.

Neste artigo falaremos sobre Os Tumores da Tireoide – Mata? Quais os Riscos? Tem Tratamento?

Os Tumores da Tireoide – Mata? Quais os Riscos? Tem Tratamento?

NÓDULOS

Para a medicina, a palavra “tumor “não identifi­ca somente a proliferação anormal de células. Qualquer aumento de volume de um órgão também pode ser chamado “tumor’ sem manter nenhuma relação com os temíveis cânceres.

Dessa forma, o crescimento anormal da tireoide que resulta no aparecimento do papo, ou, mais corretamente, do bócio tireoidiano, também é um tumor.

Ao contrário das demais glândulas internas, a tireoide loca­liza-se muito à flor da pele, no pescoço, logo abaixo do pomo-de-adão, encoberta somente pela derme e por uma camada de tecido subcutâneo. Essa localização faz com que, na maioria das vezes, o bócio se forme externamente, criando figuras grotescas.

O aumento de volume da glândula acontece de duas formas: di­fusa ou localizada. A forma difusa mostra um crescimento geral, uniforme. A localizada forma caroços ou nódulos. A primeira tor­na-se visível a distância, depois de certo desenvolvimento, e a se­gunda é verificada por palpação.

A conduta terapêutica diante des­ses tumores, principalmente dos nodulares, embora conhecida des­de a Antiguidade, continua sendo motivo de controvérsias.

IODO E HORTALIÇAS

A glândula tireoide apresenta grande capacidade de adaptação. Aumenta ou diminui de volume de acordo com as necessidades orgânicas. Durante o período de gravidez, a puberdade ou os estados de fadiga, por exemplo, essa glândula aumenta de tamanho e atividade.

Esse aumento ocorre devido à proliferação ou ao crescimento de células. Mas, quando a necessidade é suprimida, a glândula volta ao tamanho normal. É a necessidade de funcionamento acelerado, mantida durante muito tempo, que leva à formação do papo, que depois de determinado período já não consegue mais voltar ao tamanho normal.

Além da deficiência  de iodo, há outros fatores que causam o bócio, como algumas substâncias encontradas no repolho, no nabo, na couve-flor e no feijão-de-soja.

Fatores genéticos, como características hereditárias, alterando a fisiologia normal da glândula, também são capazes de levar a formação do bócio. Em linhas gerais, a papeira é resultado da falta de produção do hormônio tireoidiano.

Por causa dessa carência, a hipófise -(glândula reguladora da tireoide e de outras) aumenta a produção do hormônio tireotrófico, estimulador da tireoide, que leva ao aumen­to da glândula, com o objetivo de possibilitar o aumento da produ­ção do hormónio tireoidiano.

Quando esse mecanismo é suficiente para produzir o hormônio nas quantidades necessárias, não sur­gem outros problemas. Se, apesar disso, a produção hormonal ain­da é insuficiente, a pessoa passa a apresentar sintomas de insufi­ciência tireoideana (hipotircoidismo).

A glândula tireóide, que pe­sa normalmente de 20 a 30 gramas, pode aumentar, em indivíduos que vivem nas regiões de pouco iodo, para até 300 gramas. A solu­ção para esse problema é adicionar o elemento em falta na alimen­tação ou na água de abastecimento da cidade.

Os bócios difusos atingem grandes dimensões e peso superior a 1 quilo. Às vezes, crescem internamente, por detrás do esterno e das clavículas (bócio mergulhante).

A glândula passa a comprimir o esôfago, a traqueia e os vasos sanguíneos do pescoço, dando ori­gem a dificuldades de deglutição (disfagia), falta de ar (dispnéia) e problemas circulatórios locais.

TUMORES E A TIREOIDE

A tireoide também pode ser sede de adenomas (tumores nas glândulas) malignos ou benignos. Quase todos os tu­mores malignos da tireoide são de origem epitelial, isto é, das célu­las que formam os ácinos glandulares. Podem surgir em qualquer idade e atingem duas vezes mais as mulheres.

Há fortes evidências de que a exposição a radiações durante a infância é um dosfatores do aparecimento do câncer da tireoide. Sobreviventes de Nagasá­qui e Hiroxima apresentam, mais precocemente, esses tumores.

Durante muito tempo preferiu-se a extirpação cirúrgica dos nó­dulos tireoidianos, porque se acreditava que o câncer da tireóide fosse freqüente e indiferenciável dos bócios nodulares. Também se acreditava que os bócios e os tumores benignos se transformassem em malignos com facilidade.

Mais tarde veriflcou-se que a crença não procedia e que, ao con­trário, a extirpação cirúrgica criava mais problemas do que a alte­ração tireoidiana, – e houve uma mudança de comportamento na prescrição do tratamento.

Não existe nenhum método terapêutico universal que possa ser aplicado a todos os pacientes, indistintamente. Um nódulo isola­do, que se manifeste em criança ou adulto do sexo masculino, tem fortes probabilidades de ser um câncer (carcinoma).

Um nódulo isolado em mulher com menos de 40 anos de idade é passível de supressão, mediante a administração de hormônios. Se a lesão não ceder, suspeita-se, então, da existência de câncer.

Nódulos pétreos e glândulas fixadas aos tecidos vizinhos à glândula são suspeitos. E nódulos isolados ou múltiplos, em mulheres com mais de 40 anos, são submetidos à prova terapêutica.

Neste artigo falamos sobre Os Tumores da Tireoide – Mata? Quais os Riscos? Tem Tratamento?

Imagem- mdsaude.com



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos