11 Tipos de Câncer mais Comuns entre Homens e Mulheres

O Câncer deve ser tratado com acompanhamento de profissionais médicos. Antes de mais nada, devemos dizer que, hoje em dia, ter câncer não é sinônimo de morte. Existem diversos tipos de câncer, confira o principais.

Tipos de Câncer

Existem diversos tipos de câncer e, aqui, apresentamos os 11 principais:

 

câncer-na-boca

Câncer da boca e do esôfago

O câncer oral se deve, na maioria dos casos, aos insalubres hábitos de fumar e tomar bebidas alcoólicas. A fumaça do cigarro e o álcool irritam a mucosa oral e esofágico a ponto de precipitarem modificações que culminam em câncer. A hérnia do hiato, a diverticulose esofágica e a dilatação do esôfago (megaesôfago, muitas vezes devido à doença de Chagas) são distúrbios que podem predispor ao câncer de esôfago.

Pesquisas médico-nutricionais apontam as bebidas cafeinadas, os embutidos e as carnes defumadas como perigosos. Alimentos que provocam hiperacidez gástrica e refluxo (azia) devem ser evitados. Os condimentos picantes ocasionam refluxo e irritação da mucosa esofágica, contribuindo, portanto, mais ou menos diretamente, para o aparecimento de alterações cancerígenas. Pesquisas mostram que o câncer do esôfago é mais comum no Rio Grande do Sul. Ao hábito do chimarrão foi atribuída a culpa, pois, sendo ingerido muito quente, irrita o delicada mucosa do esôfago.

publicidade

 

câncer-no-estomago

Câncer do estômago

As causas do câncer esofágico são mais ou menos as mesmas do câncer do estômago, devido à continuidade anátomo-fisiológica entre estes dois órgãos e à identidade entre os agentes irritantes. Pesquisas realizadas por Stemmermann revelaram que os iaPo_ neses são, em sua terra de origem, as principais vítimas de câncer do estômago, mas apresentam baixo índice de câncer do cólon.

Entretanto, quando migram para os Estados Unidos, ocorre um fato surpreendente: o câncer de estômago diminui e o de cólon aumenta de freqüência. A explicação deste fenômeno foi encontrada nos hábitos alimentares:No Japão, o consumo de peixe defumado, salgado, é muito alto. Sabe-se que a combinação de nitratos contidos no peixe com aminas no tubo digestivo leva à formação de nitrosaminas, compostos de alto poder cancerígeno.

Pairam também sérias suspeitas sobre a relação entre certos produtos alimentícios que irritam a mucosa do estômago e o câncer deste órgão. Destacam-se o café, o álcool, alimentos contaminados com aflatoxina (presente em grãos mofados, como amendoim, feijão etc.) e condimentos, como pimenta. O fumo é também condenável. Entre as substâncias químicas associáveis à doença, merecem citação os sais de chumbo e os fertilizantes à base de nitratos- Carnes e embutidos tratados com os nitratos (salitre) oferecem grande risco, por causa cia formação de nitrosaminas no tubo digestivo.

publicidade

A gastrite, a polipose gástrica, a úlcera gastroduodenal, a cirurgia de estômago e a hereditariedade são fatores possivelmente predisponentes ao câncer gástrico.

A vitamina C contida em alimentos naturais, como frutas e verduras, ajuda a inibir a formação de nitrosaminas no tubo digestivo, agindo assim, preventivamente contra o câncer. Os naturistas recomendam como hábito preventivo que, pelo menos duas vezes por semana, se substitua uma refeição (como o desjejum) por suco de laranja (sem açúcar, sem misturar com outro alimento).

câncer-no-estomago

Câncer do cólon

No Brasil, está entre as principais causas de morte por câncer, disputando com o câncer de estômago o primeiro lugar. Nos Estados Unidos é a segunda causa de morte por tumores malignos, perdendo apenas para o câncer pulmonar, em que o cigarro é o grande vilão.

Dores com cólica no abdome, sinais de sangue nas fezes e alterações do comportamento intestinal são sinais de alerto, que merecem avaliação médica. Inúmeras pesquisas têm relacionado a ingestão insuficiente de fibra com a elevada incidência desta doença. Seria relativamente fácil devolver a fibra à nossa alimentação. Ocorre, infelizmente, que as pessoas estão desorientadas.

 

 

Câncer do pâncreas

Os diabéticos, os fumantes, os alcoólatras, os grandes apreciadores de bebidas cafeinadas e carnes, particularmente a carne suína, estão mais sujeitos a este tipo de câncer, considerado um dos mais rápidos e fulminantes. Os que já se submeteram a intervenções cirúrgicas no tubo digestivo exibem também, provavelmente, maior risco.

Câncer de pulmão

Tipo de câncer comum. Mais freqüente após os 55 anos, o câncer de pulmão é, em muitos países, a primeira causa de morte por câncer entre os homens, e a segunda entre as mulheres. O prognóstico é sombrio: mata dentro de poucos anos. Grande número de pacientes morre no período de um ano. Apresenta sintomas muito parecidos com a tuberculose: perda de peso, tosse crónica, escarro tingido de sangue, sibilos e roncos, dispnéia e febre baixa. Para diferenciar o diagnóstico, procede-se à investigação da presença de bactérias, a citologia do escarro, o raspado brônquico e a broncoscopia, além das rotineiras inspeções por raios X.

cigarro é grande causador dessa terrível enfermidade. A Organização Mundial de Saúde estima que até 95% dos casos são conseqüência do vício do fumo. O benzopireno é considerado o principal carcinógeno da fumaça do cigarro. Quando se deixa o fumo, o risco diminui consideravelmente, embora não atinja a posição vantajosa dos que nunca fumaram. Se você é fumante, não hesite: decida-se imediatamente a largar tão perigoso vício.

Não há outro meio de vencer além do exercício da força de vontade. Lembre-se: ninguém pode ser verdadeiramente feliz enquanto não pratica a ciência do autodomínio, enquanto não é capaz de sujeitar seus desejos, apetites, emoções e impulsos, em vez de ser escravizado por eles. O fumante é escravo e suicida.

câncer-no-figado

Câncer do fígado

O fígado é um órgão de desintoxicação por excelência. Os naturistas acreditam que uma dieta fornecedora de grande quantidade de “toxinas” propiciaria o câncer do fígado. Os inseticidas que contaminam os alimentos (inclusive as carnes) requerem cuidado. Especialmente suspeitos são os organoclorados (como o DDT, proibido) e os organofosforados. Incluem-se na lista de substâncias suspeitas o cloreto de clinil, usado em indústria, e medicamentos como os hormônios sexuais, os anticoncepcionais e o contraste para raio X (dióxido de tório).

Câncer do colo do útero

O Câncer do colo do útero é o tipo de cânçcer que mais causa morte por câncer entre as mulheres. Há vários fatores que podem favorecer seu desenvolvimento, destacando-se os seguintes:

  • Herpes genital;
  • Idade acima de 45 anos;
  • Várias gravidezes;
  • Vida sexual promíscua;
  •  Início precoce da atividade sexual.

O padrão moral que estabelece a fidelidade no casamento, em que o sexo é fruto do amor entre marido e mulher, é ainda o melhor meio de prevenir o câncer de colo uterino, a AIDS e muitas doenças venéreas.

O fato de a atividade sexual começar muito cedo, no início da adolescência, o que infelizmente se está tornando muito comum hoje, pode ajudar a explicar o aumento da incidência desta moléstia. Os pais devem esclarecer seus filhos, especialmente suas filhas, dos perigos da atividade sexual irresponsável.

Câncer do endométrio

O uso inadequado de hormônios, especialmente na fase do climatério (menopausa), pode predispor a este tipo de câncer. O uso de estrógenos parece ser o fator culpado. Por isso é conveniente evitá-los, ou combiná-los com a progesterona, o que deve ser orientado por um ginecologista.

Acredita-se também que o consumo abundante de gordura, especialmente a de origem animal, está implicado nesta doença. Cuidado com carnes gordas, manteiga, creme de leite, queijo, requeijões gordurosos e banha. Evite as frituras. Mulheres que sofrem de diabetes melito e/ou apresentam peso acima do normal, têm maior tendência para esta moléstia.

Câncer da próstata

Tipo de câncer que afeta a vida de muitos homens. Afeta com alarmante freqüência a população masculina após os cinqüenta anos. Semelhantemente ao câncer de endométrio, a gordura animal parece favorecer o surgimento desta doença. Pesquisas revelam que os vegetarianos estão menos sujeitos ao câncer de próstata. E provável que a proteína animal, cuja concentração no alimento favorece a produção de maior quantidade de catabólitos, também constituiria um fator dietético de risco. Sintomas como: dificuldades de urinar, dor à micção e urinar freqüentemente em pequenas quantidades, merecem ser logo avaliados por um urologista. A obesidade é também fator de risco.

Câncer da mama

Tipo de câncer que deve ser acompanhado entre as mulheres de diferentes idades. Hoje é uma enfermidade que assusta as mulheres. Os especialistas concordam em que se trata de uma doença curável, desde que detectada e tratada a tempo. À mulher que percebe um nódulo anormal no seio, não deve buscar escondê-lo. Convém consultar logo um mastologista ou ginecologista e submeter-se aos exames necessários. O tratamento com cirurgia pode ser uma indicação necessária.

Alguns fatores de risco desse tipo de câncer:

• Casos na família;
• Gravidez após os 30 anos;
• Mulheres com mais de 40 anos que nunca tiveram filhos;
• Menstruação precoce (antes dos 13 anos);
• Menopausa tardia (após os 52 anos);
• Doenças não malignas na mama, como cistos ou fibrose;
• A pílula anticoncepcional tem sido condenada por alguns estudiosos;
• Ingestão excessiva de gordura animal;
• Peso excessivo.

Estudos realizados no Japão por l-Iirayama revelaram que as mulheres que ingerem mais carne têm um risco 3,8 vezes maior de desenvolverem câncer do seio do que as mulheres vegetarianas. Participaram do estudo 142 mil mulheres. O risco para as obesas é cerca de sete vezes mais alto. As células adiposas podem interferir na produção de hormônios, o que afeta o risco de câncer.

inchaço pernas e pé - retenção

Câncer da pele

Os negros estão naturalmente protegidos, sendo raríssima a ocorrência deste tipo de câncer entre eles. Os locais mais vulneráveis são as maçãs do rosto, a festa, o lábio inferior, o dorso do nariz, e o pavilhão da orelha. Feridas que não cicatrizam devem ser considerados suspeitas e logo submetidas à avaliação médica.

Este tipo de câncer é o mais comum, porém é o que causa menos mortes, exatamente porque, sendo visível, é logo tratado.

Verrugas e úlceras de pele podem ser um ponto de partida para alterações malignas. Para evitar, não se exponha exageradamente ao sol. O melhor horário é até as 10h e após as 16h.

Os especialistas questionam a proteção dos filtros sobres, afirmando que podem dar falsa sensação de segurança, o que leva à exposição exagerada ao sol.

Estudos sugerem que estes filtros evitam a destruição das células de Langerhans, mas não protegem contra os efeitos imunossupressores à radiação ultravioleto. Loções protetoras à base de ácido para-aminobenzóico são mais freqüentemente indicadas. As recomendações relativas aos horários, e às pessoas de pele clara, são, porém, mais enfatizadas pelos especialistas do que o uso de protetores e loções. Não aplique óleo à pele. Um chapeuzinho ou um boné ajudam a evitar a incidência de sol nos locais mais sensíveis.

O bronzeamento artificial em cabinas especiais está sob suspeita, pois um minuto de exposição à luz nestas cabinas pode equivaler a uma hora de banho de sol. Por isso é recomendável consultar um dermatologista e abster-se de exposições longas. Alimentos ricos em beta-caroteno como cenoura, manga, abóbora, mamão etc., parecem agir preventivamente.

Leia também:

Carcinoma – Câncer de Pele – O que é?

Cisto Sebáceo, Cisto Dermóide e Adenoma Tubular

Melanomas – Tumores Malignos – O que são?

publicidade