Tudo sobre o Resfriado Comum, Tratamentos, Dicas e Complicações

tudo-sobre-o-resfriado-comum-tratamentos-dicas-e-complicacoes

Supõe-se que existam mais de cem tipos de vírus causadores do resfriado, doença que se manifesta com maior frequência no inverno e com as mudanças de temperatura, e para a qual não há remédio e fica.

Neste artigo falaremos Tudo sobre o Resfriado Comum, Tratamentos, Dicas e Complicações.

Tudo sobre o Resfriado Comum, Tratamentos, Dicas e Complicações

RESFRIADO

O resfriado é a inflamação das partes mais altas que constituem o aparelho respiratório – faringe e nariz. Essa inflamação pro­voca a dilatação das pequenas artérias locais (vasodilatação). As paredes dilatadas dos vasos sanguíneos tornam-se permeáveis e mais finas.

Por esse motivo, deixam escapar um líquido que passa para os tecidos e daí para o exterior, sob a forma de uma secreção aquosa e clara que começa a escorrer pelas narinas. O corrimento nasal é o sintoma mais característico do resfriado, pois manifesta-se em 100% dos casos.

Além da coriza, aparecem uma sensação de secura na garganta, dor de cabeça, espirros, os olhos lacrimejam e pode surgir também um pouco de febre. A dilatação das artérias e o acúmulo do líquido provocam obstrução das narinas, o que pode ocasionar diminuição da sensibilidade olfativa.

Em geral, essa enfermidade manifesta-se com maior frequência no decorrer do inverno e com as mudanças de temperatura. No en­tanto, não é o clima que provoca o resfriado; o responsável, na verdade, é um vírus. O frio úmido, a chuva, a poeira só ajudam o trabalho desse vírus.

Em 1914 foram feitas as primeiras experiências no sentido de isolar o vírus do resfriado. A partir dessa época, constatou-se que não é apenas um vírus que pode provocá-lo.

Cerca de 10010 dos’ res­friados que se manifestam são provocados por dois vírus simulta­neamente. Incluindo-se alguns vírus que até hoje não foram bem estudados e isolados, supõe-se que haja mais de cem tipos diferen­tes de vírus, só do resfriado.

Entre os inúmeros causadores do resfriado comum, destacam-se os rinovírus, que constituem o maior grupo etiológico (isto é, que causa a doença).

Há mais ou menos sessenta tipos pertencentes a esse grupo e são eles que ocasionam quase 25% dos resfriados. São muitíssimo resistentes: mantém-se vivos até por dois anos, em temperatura de 76°C abaixo de zero.

TRATAMENTO

Enquanto não são descobertos remédios eficazes contra os vírus, a única coisa que se pode fazer é diminuir os desagradáveis efeitos do resfriado. O único tratamento possível é o de alívio dos sintomas. Repouso, roupas quentes e antitérmicos, quando aparece febre, aliviam o desconforto do paciente, ainda que não abreviem o curso da doença.

O corrimento e a obstrução do nariz podem ser controlados com o uso de drogas descongestionantes. Esses medicamentos ajudam a ação das defesas do próprio organismo (anticorpos) provocando a constrição das pequenas artérias superficiais que se dilataram.

Mas, usados em excesso, os vasoconstritores podem produzir uma grave alteração da mucosa, pela falta de irrigação sanguínea. Os remédios que promovem uma ‘lavagem “da mucosa, sem interferir na circulação sanguínea, são mais recomendáveis.

Evitam o acú­mulo de secreções e podem ser usados repetidamente sem apresen­tar problemas. Esse efeito é obtido pelos medicamentos à base de soro fisiológico.

Os numerosos compostos que se encontram à venda – com múltiplos analgésicos, vitaminas, -anti-histamínicos, descongestio­nantes e tranquilizantes – na realidade não constituem solução para o problema do resfriado. Usados contínua e indiscriminadamente, podem inclusive ocasionar conseqüências muito piores.

O emprego do cálcio para tratar do resfriado tem grande difusão na medicina popular, assim como as injeções à base de eucalipto. Mas não foi confirmada a eficácia de nenhum deles.

Doses concentradas de vitamina C e o consumo de alimentos que a contenham – como por exemplo as frutas cítricas contribuem para elevar a resistência geral do organismo. E ajudam a abreviar a cura do resfriado.

A aspirina e comprimidos similares combatem a cefaleia e o mal-estar que freqüentemente acompanham o resfriado e a febrí­cula que ocorre em determinados casos.

Também os tradicionais remédios caseiros – leite com canela e conhaque, compressas de álcool na garganta produzem algum efeito no sentido de aliviar os desagradáveis sintomas do paciente.Os antibióticos não surtem nenhum efeito contra o vírus do res­friado. Nem previnem possíveis complicações.

O uso desses medi­camentos sem orientação é insuficiente para eliminar totalmente as bactérias.  E as doses, gradativas, podem ter como efeito a seleção de grupos de bactérias já existentes no organismo. Elas se acostu­mam com o medicamento e tornam-se ainda mais resistentes a qualquer terapêutica posteriormente necessária.

AS COMPLICAÇÕES DO RESFRIADO

Várias enfermidades originadas por vírus apresentam inicialmente as mesmas manifestações e sintomas do resfriado comum. Resfriados constantes podem constituir às vezes um sinal de alguma alteração localizada como, por exemplo, amigdalites, pólipos nasais, ou outras.

Uma das complicações que pode aparecer é a invasão da mu­cosa nasal por outros microrganismos, como as bactérias, princi­palmente estreptococos. Normalmente, as bactérias são hóspedes permanentes das fossas nasais e garganta, mas existem aí em quan­tidades moderadas, sem causar motivo para maiores problemas.

Quando os tecidos se encontram alterados, e obrigados a lutar con­tra os vírus invasores, diminuem a defesa contra as bactérias. Em decorrência desse fato, pode surgir uma infecção bacteriana, nesse caso denominada infecção secundária. Mas não são tão frequentes aponto de causarem grande preocupação.

Pode ocorrer também que o próprio resfriado acarrete proble­mas mais graves. A inflamação das mucosas nasais obstrui a co­municação das fossas nasais com outras cavidades.

A secreção mucosa, muitas vezes purulenta, acumula-se nesses pontos obs­truídos e pode ocasionar infecções locais. Originam-se assim al­guns casos de amigdalite, laringite, bronquite, sinusite.

Febre muito elevada e prolongamento excessivo do resfriado podem indicar que há algo de mais sério. Quando se produz uma infecção secundária, derivada da invasão de bactérias, ou se o res­friado origina alguma perturbação mais séria, será conveniente o uso de antibióticos, sempre sob orientação médica

Neste artigo falamos sobre Tudo sobre o Resfriado Comum, Tratamentos, Dicas e Complicações.

Imagem- draanaescobar.com.br



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos