Metabolismo das Gorduras durante o Exercício Físico

O Metabolismo das Gorduras podem ser comparados à detergentes. Alguns dos detergentes modernos, empregados em máquinas de lavar roupa, funcionam de modo semelhante às substâncias existentes no aparelho digestivo do homem. Suas fórmulas são constituídas por derivados das gorduras neutras (triglicerídeos) que aparecem no intestino no processo de digestão. São compostos relativamente simples, formados apenas por glicerina ligada a uma molécula de ácido graxo.

Moléculas desse tipo caracterizam-se por terem as duas “ponta?’ diferentes: uma delas é capaz de ligar-se a moléculas de gordura e a outra pode ligar-se a moléculas de água. Ou seja: essa molécula funciona como elemento de ligação entre gordura e água.

Metabolismo das Gorduras

 

Quando o detergente natural, da mesma maneira que os detergentes sintéticos, é colocado em contato com gordura e água, provoca a adesão entre as duas substâncias. Funciona portanto como um intermediário, determinando a formação de gotículas de gordura estáveis dentro da água.

Mecanicamente, com um liquidificador, pode-se misturar gordura e água. Porém a mistura não é estável. Ao parar o aparelho, a mistura separa-se novamente em duas camadas: gordura e água. Somente a ação de intermediários pode propiciar uma ligação estável.

Essas substâncias, agindo como elos de uma corrente, estabelecem ligação entre outras duas substâncias diferentes. Por isso, são conhecidas como agentes emulsionantes (emulsão é a formação de gotículas estáveis de um líquido no interior de outro).

São conhecidas também como substâncias que diminuem a tensão superficial, porque sua atuação como intermediários determina a diminuição das forças de coesão entre as moléculas de gordura. De certa maneira, afastam as moléculas de gordura umas das outras, o que permite a penetração de moléculas de água.

Gordura: Digestão e Sabão

A ação de detergentes é fundamental na absorção das gorduras pelo intestino. No entanto, antes que essa absorção seja realizada, é necessário que as gorduras contidas na dieta sejam trabalhadas por enzimas especializadas. Isso porque as células da parede do intestino só conseguem absorver gorduras parcialmente decompostas, ou seja, desmontadas pelas enzimas.

A mais importante dessas enzimas é a lipase, produzida pelo pâncreas, que determina a remoção de ácidos graxos das moléculas de gorduras neutras. Nesse processo verifica-se a entrada de moléculas de água entre a glicerina e os ácidos graxos.

Esse tipo de desmontagem pode ser repetido em tubos de ensaio e para isso empregam-se substâncias alcalinas como a soda cáustica, em lugar de enzimas. E uma reação química de grande importância industrial, pois é a base do processo de fabricação de sabões.

Por esse motivo, o tipo de reação que decompõe gorduras é conhecido por saponificação. No intestino, a saponificação das gorduras alimentares é a primeira etapa da série de transformações que permitem a absorção dessas substâncias.

Como as enzimas que atacam as gorduras são solúveis em água, o contato entre elas e as moléculas de gordura é difícil. Para facilitar esse contato, os movimentos peristálticos do estômago e do intestino produzem uma fragmentação das gorduras, ao mesmo tempo que as misturam com as enzimas.

Mas apenas a ação mecânica não é suficiente: também participam desse processo detergentes naturais que diminuem a tensão superficial das moléculas de gordura. Esses detergentes são fornecidos em grande quantidade pela bile: são os chamados ácidos biliares.

Leia Também: