Gravidez Interrompida – Curetagem

A gravidez interrompida é quando uma gestação é terminada de modo que não resulte no nascimento de uma criança, chamado também de aborto. Pode trazer diversas consequências físicas e psicológicas. Para saber mais, acompanhe nosso post.

gravidez-interrompida

Gravidez Interrompida – O que é?

Diz-se ocorrer a gravidez interrompida quando há um aborto, expulsando-se o produto da concepção antes de cumprirem-se seis meses de gesta­ção, isto é, antes de o feto poder ficar vivo depois de sua expulsão.

O aborto recebe o nome de ovular quando ocorre durante os dois primeiros meses da gravidez, de embrionário durante o terceiro e quarto meses, e de fetal, depois. Quando o feto é expulso depois do sexto mês e antes dos nove meses, diz-se que há parto prematuro.

Tipos de Gravidez Interrompida

Aborto Espontâneo

O aborto é chamado espontâneo quando se produz sem que haja tentativa de o provocar.

Aborto Criminoso

É o provocado voluntariamente para livrar-se da gravidez. Em ocasiões excepcionais, o médico, em junta médica com outros colegas, pode chegar à conclusão de provocar um aborto, que neste caso recebe o nome de terapêutico, para salvar a vida da gestante ou evitar-lhe um grave perigo.

Acerca do aborto criminoso diremos que, se provocado com medicamentos ou outras substâncias, só se consegue em virtude de grave intoxicação, no curso da qual às vezes se produz o aborto.

Se é provocado com sondas ou instrumentos, corre a paciente graves riscos, tais como grandes hemorragias e gravíssimas infecções.

Consequências

Mesmo no ca­so de ser efetuado por médico especializado, pode ocasionar desagradá­veis consequências, tais como: esterilidade, inflamações crônicas e do­lorosas da pelve, etc.

Tanto é assim que na Rússia, onde havia clínicas do Governo que efetuavam o aborto a pedido de qualquer gestante, ti­veram que desistir dessa peregrina experiência em vista da elevada por­centagem de mulheres que ficaram permanentemente prejudicadas por esse ato.

Por outra parte, desde o momento em que o óvulo foi fecun­dado, é ele já um ser de vida própria, e não uma parte da gestante, da qual ele poderia desprender-se voluntariamente, porém sua destruição é uma espécie de homicídio, considerado assim, pela legislação da maior parte dos países que reputam este ato como um delito. No Brasil chama-se ao aborto provocado – aborto criminoso.

Causas e Sintomas

As causas do aborto espontâneo são múltiplas, depen­dendo algumas da gestante e outras do ovo ou do feto.

Os sintomas no aborto do primeiro e segundo meses é freqüente que se expulse o ovo completo. Quando é muito pequeno pode passar inadvertido entre os coágulos.

Os sintomas são: hemorragia acompa­nhada de dores intermitentes, espécie de cólicas no baixo ventre. Ocasionalmente fica retida a mucosa uterina ou caduca. Às vezes pode reconhecer-se o ovo, que tem o tamanho e a forma de uma noz, e está recoberto das velosidades do córion (membrana exterior do ovo).

Quando o aborto é do terceiro ou quarto meses, aparecem sintomas semelhantes, isto é, hemorragia, depois dores, e por último a expulsão do feto, sendo o comum que se retenha total ou parcialmente a placen­ta. Enquanto há placenta retida há perigo de hemorragia e infecção.

Quando o aborto sobrevém durante o quinto e sexto mês do de­senvolvimento fetal, ocorre que se produza um pequeno parto. Primeiro se produzem contrações uterinas que dilatam o colo uterino; assim se expulsa o feto, e mais tarde a placenta.

Tratamento – Curetagem

Ante o menor sinal de hemorragia nos primeiros meses da gravidez, a gestante deve guardar o leito. Deve avisar-se ime­diatamente o médico, que amiúde indica injeções de progesterona e, além do repouso absoluto, certos medicamentos se estes se tornam in­dispensáveis.

Quando este tratamento é feito precocemente, isto é, quando há apenas ameaça de aborto, é comum que se tenha êxito em detê-lo. Se já há dilatação do colo uterino, o aborto está iminente e já muito difícil de deter. Quando se tenha expulsado parte do ovo, o médico determi­nará se está completo ou incompleto.

Neste caso uma curetagem será necessária e não deve ser praticada por parteira, e sim por médico.

É preciso guardar tudo quanto a paciente expulse para que o médi­co examine.

Há mulheres que abortam em cada gravidez. Se desde o primeiro sinal de gravidez se põe sob atenção médica, o comum é que prossiga o curso normal até chegar ao parto. Além de injeções de progesterona e outros hormônios e vitaminas, especialmente vitamina e, às vezes se prescreve o repouso prolongado no leito.

Depois do quinto mês a própria placenta produz progesterona, e já se dão menores quantidades da mesma. Também, antes da gravi­dez, um exame completo pode mostrar alguma causa dos abortos repe­tidos que necessite de tratamento.



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos