Parto Gemelar – Como é? Dói? Quais os Riscos? Confira!

parto-gemelar-como-e-doi-quais-os-riscos-confira

A gravidez múltipla precisa ser atentamente acompanhada pelo obstetra. As dificuldades são maiores que no parto de um único bebê.

O útero pressiona muito mais as vísceras do abdome; com isso, a digestão é mais difícil e há maior predisposição a náuseas e vômitos. Ao mesmo tempo, a compressão do diafragma (parede muscular que separa o tórax do abdome) provoca alterações dos aparelhos respiratório e circulatório, com falta de ar, palpitação, cansaço.

Por outro lado, a nutrição de dois ou mais fetos exige muito maior suprimento do que se fosse um só. A placenta ou é dupla ou apresenta o dobro do tamanho, e a nutrição fetal requer maior trabalho do organismo da gestante, originando desequilíbrios mais profundos na mulher.

Essas condições não são favoráveis à evolução normal da gestação. A tolerância do organismo materno é menor e, com isso, aumenta a predisposição para abortos e partos prematuros.

Em 80% dos casos de gravidez gemelar, o parto se dá antes do prazo certo. A principal preocupação do médico, durante a gravidez, é procurar evitar que isso aconteça.

À ESPERA DOS GÊMEOS

A localização de dois focos distantes de batimentos cardíacos, no abdome materno; apalpação de mãos e pés em “duplicata”; e o aumento do peso da gestante em taxa superior à normal são alguns dados que fornecem ao médico a suspeita de gravidez dupla (o caso mais comum de gravidez gemelar).

Mas o meio mais seguro de confirmá-la é a radiografia simples do abdome, feita após o sexto mês. Assim, pode ser verificada não só a existência dos dois fetos, como a posição em que se encontram. Constatada a gravidez gemelar, os cuidados da gestante devem ser maiores do que em casos comuns.

O risco de parto prematuro precisa ser prevenido. A partir do sexto mês, aproximadamente, o regime de vida da gestante deve ser moderado. Esforços físicos, viagens longas e mesmo a cúpula podem representar um estímulo capaz de desencadear o parto prematuro.

A gravidez gemelar precisa ser acompanhada desveladamente. Os exames pré-natais devem ser feitos mais amiúde. Se o médico constatar dilatação do colo do útero antes do tempo, a paciente precisará manter-se em repouso absoluto no leito, para evitar o parto prematuro.

Como preparação para o parto, a identificação do grupo sanguíneo e do fator Rh da mãe é mais importante ainda do que nas gestações únicas. Se houver risco, como medida de precaução, tudo deve estar pronto para uma eventual transfusão de sangue, imediatamente após o parto.

A maior distensão do útero geralmente provoca uma hemorragia mais intensa no momento do parto. As fibras musculares esticaram muito e sua completa refração e normalização demoram um pouco mais.

Também a possibilidade de alterações causadas por acentuada perda de sangue precisa ser prevenida, pela manutenção de boas condições de equilíbrio orgânico durante toda a gestação. Nesse tipo de gravidez, a anemia é mais freqüente e deve ser compensada com medicamentos à base de sais de ferro.

NASCEM OS BEBÊS

Os gêmeos em geral são crianças prematuras, isto é, com menos de 2 500 g ao nascer. Isso pode ocorrer mesmo que a gestação chegue até o fim, pois é difícil para o organismo materno fornecer elementos nutritivos na proporção necessária ao desenvolvimento normal de mais de um feto.

Se os gêmeos forem univitelinos, isto é, quando se originam de apenas um óvulo fecundado, a semelhança entre eles será muito grande; são os chamados gêmeos idênticos.

Têm sempre o mesmo sexo e o mesmo grupo sanguíneo. Atacados por agentes causadores de doenças, a reação de ambos os organismos é a mesma, pois têm exatamente a mesma constituição física.

A incidência de malformações congênitas, ou seja, anomalias formadas na vida pré-natal, é muito maior nos gêmeos do que nas crianças nascidas de parto único.

E, nos casos de univitelinos, também as possíveis malformações serão iguais, com poucas exceções. A observação de nascimentos gemelares comprovou também que tais anomalias são mais frequentes nos gêmeos idênticos (univitelinos) do que nos fraternos (bivitelinos).

Os gêmeos bivitelinos têm características físicas semelhantes, como dois irmãos comuns; podem ser do mesmo sexo e é possível que apenas um apresente distúrbios, e maior predisposição a certas doenças. A herança transmitida a cada um deles é independente.

Fonte:

1, 2, 3

Imagem: sosweet2013.blogspot.com.br



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos