Sintomas do Trabalho de Parto – Primeiros Sintomas, Dilatação no Parto

Quando a chegada do bebê está próxima, ocorre algumas alterações no corpo da mulher. Cada corpo é um corpo e às vezes se torna impossível identificar quando o trabalho de parto começa. Se você quiser saber os sintomas do trabalho de parto, leia o nosso post!

sintomas-do-trabalho-de-parto

Sintomas do Trabalho de Parto

O trabalho de parto não começa sempre com a dilatação do colo do útero. Frequentemente no período de pré-parto o colo já apresenta alguma dilatação parcial sobretudo em mulheres que já tiveram outros filhos. O critério que os médicos adotam para defi­nir o início do trabalho de parto é a mudança no padrão das con­trações uterinas, que se tornam mais intensas e frequentes, além de perceptíveis pela parturiente.

O período de dilatação termina com um sintoma bastante evi­dente: a súbita “vontade de fazer força para baixo”. A sensação origina-se da distensão acentuada do segmento inferior do útero, do colo e da cúpula vaginal.

Primeiros Sintomas

O primeiro ponto de referência é a data da última menstruação. Para calcular a data provável do pano, o médico soma sete a dez dias à data em que teve início a última menstruação e desconta três meses (ou melhor, soma nove meses). A data apurada por essa regra indica a data provável do parto.

Se, por exemplo, a última menstruação houver ocorrido a 10 de ju­lho, somam-se sete a dez dias para chegar à data de 17 a 20 de ju­lho. O desconto de três meses indicará o período de 17 a 20 de abril como a época mais provável do parto, mas é admissível uma variação de dez dias para mais ou para menos. Além disso, se o ci­clo menstrual da gestante não for de 28 dias, será preciso compu­tar ao processo os dias da diferença.

O Sinal mais Precoce

O sinal mais precoce é o da queda do ventre, que ocorre uns quinze dias antes do parto: a cintura “desce”, surge uma sen­sação de peso no baixo ventre e, muitas vezes, a necessidade fre­qüente de urinar. O fundo do útero efetivamente desce uns 3 cm, o que permite maior movimentação do diafragma e, por­tanto, facilita a respiração.

Quando o colo começa a dilatar-se ocorre um sinal tão valori­zado que passou a ser conhecido como “sinal de parto” pelos lei­gos: a eliminação vaginal de uma pequena quantidade de muco sanguinolento. Esse material obstrui o colo do útero durante a gra­videz, como elemento adicional de defesa da cavidade uterina.

Em geral, a eliminação de muco ocorre 24 a 36 horas antes do início do trabalho de parto, mas não é um sinal constante e infalível.

Contrações Uterinas

O mais preciso sintoma do trabalho de parto é representado pelas contrações uterinas do­lorosas. Inicialmente, a gestante acusa uma sensação dolorosa na parte baixa da espinha Mais tarde, a dor se propaga para a frente e atinge o baixo ventre. Essas sensações correspondem às primei­ras contrações dolorosas, ainda irregulares, que caracterizam o fim do pré-parto.

Mas, embora concludentes a respeito da proximi­dade do parto, esses sinais não indicam o prazo que decorrerá até seu início. Em certas gestantes, as contrações podem aparecer até mesmo alguns dias antes de começar o parto.

Posteriormente, a gestante percebe que o útero se apresenta en­durecido, quando ocorrem as sensações dolorosas. Essa caracterís­tica indica que as contrações se tornaram mais intensas e duradou­ras. O trabalho de parto terá realmente seu início quando essas con­trações aparecerem com regularidade e constância.

Quando ocor­rerem uma ou duas vezes em cada período de 10 minutos deve-se procurar a maternidade. Mas, a menos que ocorram alterações como ruptura precoce da “bolsa das águas”, hemorragias ou outros problemas, não há mo­tivo de muita pressa.

Dilatação no Parto

A fase do parto que antecede imediatamente a expulsão do feto é o período de dilatação do colo do útero, um dos principais sintomas do trabalho de parto. Mas apesar do sentido aparentemente restrito da denominação, não é apenas a dilatação que ocorre em tal período, mas outros fenômenos simultâneos, me­nos aparentes.

O diâmetro interno do colo do útero, que na mulher adulta mede poucos milímetros, tem de ampliar-se consideravelmente, para permitir a passagem do feto. Se a dilatação não alcançar esse limite, o parto normal se tornará impossível e o único recurso será o da cesariana.

Como Ocorre a Dilatação

O colo do útero dilata-se, no trabalho de parto, em consequência direta da ação das contrações uterinas. Tanto assim que, no intervalo das contrações, ele não se dilata. O processo da dilatação, porém, só pode ocorrer eficazmente quando houverem ocorrido modificações locais preliminares.

O colo modifica-se acentuadamente durante a gravidez, mas no pré-parto e no parto as alterações são muito mais sensíveis. Antes que essas alterações apareçam, o colo do útero da mulher grávida se apresenta como um tubo de cerca de 4 centímetros de compri­mento, de paredes grossas e luz de poucos milímetros.

Nas mulhe­res que já tiveram filhos, o orifício externo se apresenta bem mais amplo e frequentemente se dilata ainda mais na gravidez. Mas é importante que o orifício interno se mantenha fechado.

 



doencas Revelado: Como Prevenir e Curar Doenças


Enquanto muitas pessoas se entopem de remédios, multivitamínicos e realizam dietas mirabolantes, existem certos alimentos que podem evitar doenças ou até mesmo ajudar na cura de muitas delas. Descubra o Real PODER na Natureza neste Vídeo Exclusivo - Clique Aqui


Publicidade:

Mais Assuntos