Cloridrato de Hidroxizina: Para que serve? Efeitos, Contra-indicações – Bula

Embora o Cloridrato de Hidroxizina seja amplamente utilizado pela indústria farmacêutica, poucas pessoas sabem exatamente para quais situações ele é indicado. Para esclarecer essas dúvidas, fique de olho no nosso artigo.

O que é Cloridrato de Hidroxizina?

Consiste em um medicamento com propriedades anti-histamínicas, sendo derivado da piperazina, um importante elemento químico amplamente usado pela indústria farmacêutica no Brasil e no mundo.

Cloridrato de Hidroxizina

Para que serve o Cloridrato de Hidroxizina?

Em termos gerais, esse anti-histamínico é prescrito para tratar:

Urticárias

Caracterizadas por provocar intensa coceira na pele, esse tipo de alergia ocasiona erupções na pele que geralmente apresentam aspecto avermelhado com inchaço e vergões.

Dermatites atópicas

Chamadas também de eczema endógeno, elas consistem numa doença crônica de pele (geralmente hereditária) e não contagiosa. Essa doença é reconhecida por ocasionar inflamação na pele acompanhada de coceira, vermelhidão e descamação.

Dermografismo

Trata-se de um determinado tipo de alergia ocorrida na pele, sendo reconhecida por provocar nítido inchaço após estímulos na pele, como por exemplo arranhões, riscos feitos por objetos não cortantes etc.

Apresenta contra-indicações?

Sim. Ainda que esse remédio apresente resultados eficazes para o tratamento das doenças mencionadas acima, ele não é recomendado nas seguintes situações:

  • Gravidez suspeita ou confirmada;
  • Mulheres que estão amamentando;
  • Crianças menores de 6 anos;
  • Indivíduos diagnosticados com insuficiência renal;
  • Indivíduos que sofrem de insuficiência hepática;
  • Pessoas com ocorrência atual ou anterior de crises epilépticas;
  • Indivíduos diagnosticados com o Mal de Parkinson;
  • Pessoas alérgicas a Hidroxizina ou qualquer outro dos componentes da fórmula;
  • Indivíduos que apresentam retenção urinária;
  • Pessoas portadoras de problemas oculares, sobretudo glaucoma (que consiste no aumento da pressão ocular).

Efeitos colaterais do Cloridrato de Hidroxizina

Assim como a maioria dos medicamentos, embora o uso desse elemento seja benéfico para a saúde, é possível que ele provoque os seguintes efeitos colaterais:

Entre os mais comuns

  • Vertigem/tontura;
  • Sono excessivo;
  • Boca seca e aumento da sensação de sede;
  • Tremores;
  • Prisão de ventre;
  • Agitação.

Entre os menos comuns

  • Crises de convulsão (justamente por este motivo esse medicamento não deve ser administrado para pessoas que apresentam ou já apresentaram crises epilépticas).

Atenção: ao utilizar esse medicamento, é necessário que o paciente beba 2 litros de água diariamente, já que ele pode provocar desidratação.

É necessário recorrer a um médico antes de tomar?

Sem dúvida alguma. Todo e qualquer medicamento requer orientação e acompanhamento médico, principalmente nos casos de processos alérgicos.

Ademais, caberá também ao profissional (no caso um dermatologista), fazer o correto diagnóstico quanto ao tipo de alergia e principalmente identificar quais são as causas desses processos. Para isso, é comum que o médico, além da avaliação clínica, solicite exames laboratoriais, analisando o quadro geral do paciente.

Além de tomar o remédio indicado por seu médico, seja o Cloridrato de Hidroxizina ou qualquer outro, é fundamental cuidar de sua saúde. Confira algumas dicas abaixo.

Como prevenir e tratar as alergias?

Primeiramente, é necessário procurar um médico. Ele irá avaliar o nível de sua alergia e irá indicar algum remédio caso ache necessário, seja ele o Cloridrato de Hidroxizina ou qualquer outro.

O primeiro passo para prevenir e tratar alergias consiste em identificar os fatores causadores, ou seja, o que está desencadeando o aparecimento dessas reações na pele.

De forma geral, os processos alérgicos estão relacionados a fatores físicos e emocionais.

1 – Fatores físicos

Consistem naquelas causas relacionadas às condições do próprio organismo ou a fatores físicos do ambiente externo. Entre essas causas, destacam-se:

2 – Alimentação

Pessoas com organismo sensível a certos alimentos ou a itens utilizados pela indústria alimentícia são mais propensas aos processos alérgicos. Portanto, é preciso ficar atento às reações do organismo principalmente após o consumo de:

  • Peixes e frutos do mar;
  • Leite e seus derivados;
  • Ovos;
  • Alimentos industrializados geralmente ricos em conservantes, corantes, acidulantes e/ou aromatizantes.

3 – Ácaros e poeira

Esses agentes geralmente acumulados em tapetes, cortinas, bichinhos de pelúcia, edredons, cobertores etc., estão entre os principais vilões das crises alérgicas, principalmente no caso de pessoas que sofrem de rinite.

4 – Alterações na tireoide

Não é novidade que a tireoide consiste numa glândula importantíssima para o organismo. Por isso, alterações nela geralmente estão associadas a desequilíbrios hormonais que poderão estar relacionados a quadros alérgicos.

5 – Uso constante de produtos químicos

Seja na limpeza de indústrias, escritórios, lares ou do carro, muitas pessoas utilizam diversos tipos de produtos químicos.

Quando esse uso é inadequado ou constante, é possível que ele provoque reações alérgicas. Por isso, é preciso estar atento e, dentro do possível, substituir por produtos de limpeza menos agressivos, preferencialmente caseiros.

6 – Uso de alguns produtos de higiene pessoal

Muitas pessoas são naturalmente mais sensíveis ao excesso de química presente nos produtos de higiene pessoal, tais como shampoos, sabonetes, cremes hidratantes, condicionadores etc.

Por isso, é fundamental observar se determinados tipos de produtos estão provocando alguma alteração na pele. A mesma regra vale para maquiagens e produtos químicos utilizados para tratamento do cabelo em salões de beleza.

7 – Uso de determinadas bijuterias

Os elementos contidos na fabricação de bijuterias muitas vezes estão associados a alergias em determinados locais da pele.

É importante observar se o uso de relógios, colares, brincos, anéis, pulseiras etc., não estão causando desconfortos como coceira ou vermelhidão.

8 – Contato com animais

É bastante comum que crianças e adultos apresentem alguma reação alérgica quando em contato com animais, sobretudo os domésticos, como cães e gatos.

Nesse caso, é necessário evitar de ter esses animais em casa.

9 – Picadas de insetos

Processos alérgicos muitas vezes podem estar associados a picadas de insetos. Por este motivo, é necessário que o dermatologista examine e faça o correto diagnóstico.

Para prevenir isso, recomenda-se utilizar repelente.

10 – Fatores psicológicos

Embora muitas pessoas não considerem isso ao fazer o tratamento de alergias, em muitos casos diversos processos alérgicos podem estar relacionados a questões de fundo emocional, entre elas:

  • Período de estresse intenso (quando o organismo começa apresentar desequilíbrio hormonal);
  • Quadros de ansiedade;
  • Dificuldade para dormir;
  • Constante irritação;
  • Quadros depressivos.

Por todos esses motivos, além de contar com o apoio de um dermatologista, é indispensável fazer uma investigação profunda em todas as possíveis causas das alergias, combatendo a origem do problema.

Em suma, por mais que o Cloridrato de Hidroxizina (Medquimica) apresente excelentes resultados no tratamento das doenças mencionadas, é necessário sempre contar com acompanhamento de um bom dermatologista e investigar a fundo todas as causas da doença, chegando ao melhor tratamento em cada caso.

Bula do Cloridrato de Hidroxizina

Clique aqui para fazer download da bula do Cloridrato de Hidroxizina.

Valor e Preço Médio

O preço médio do Cloridrato De Hidroxizina 2mg Com 100 mL (Medquímica) em cápsula varia de 10 à 20 reais. O fraco líquido com 100 ml varia de 20 à 30 reais.

Atenção: Não tome Cloridrato de Hidroxizina ou qualquer outro remédio sem indicação médica.

Leia Também: