Meloxicam – O que é, para que serve, contraindicações e efeitos colaterais

Considerado um dos medicamentos mais populares no Brasil, o Meloxicam pertence ao grupo dos analgésicos e anti-inflamatórios, sendo vendido pelo laboratório Medley em formato de comprimidos e indicado para o tratamento de uma série de doenças.

Para que serve exatamente o Meloxicam?

meloxicam

Mediante prescrição profissional, esse medicamento é indicado para o tratamento de:

  • Artrite reumatoide;
  • Enfermidades nas articulações;
  • Dores e inflamações oriundas de tensão ou lesões musculares.

 

Quais as contraindicações do Meloxicam?

Esse medicamento não deve ser utilizado nas seguintes situações:

  • Gestantes;
  • Mulheres que estão amamentando;
  • Pessoas com ocorrência atual ou anterior de crises asmáticas;
  • Pessoas propensas a reações alérgicas mediante uso desse medicamento ou qualquer outro dos componentes da fórmula e demais anti-inflamatórios;
  • Indivíduos que sofrem ou já sofreram de úlceras ou perfurações no sistema gastrointestinal;
  • Pessoas que apresentam ou já apresentaram inflamações no intestino;
  • Pacientes com ocorrência atual ou anterior de hemorragias cerebrovasculares;
  • Indivíduos que apresentam problemas relacionados aos rins ou ao fígado;
  • Pessoas que sofrem de problemas cardíacos;
  • Pessoas intolerantes à lactose.

Obs.: Pessoas que sofrem outros tipos de doenças ou fazem uso de outros medicamentos deverão informar o médico sobre tais condições antes de utilizar esse medicamento.

Componentes da fórmula do Meloxicam

  • Meloxicam;
  • Lactose monoidratada;
  • Celulose microcristalina;
  • Estearato de magnésio;
  • Citrato de sódio di-hidratado;
  • Dióxido de silício;
  • Crospovidona;

Quais os possíveis efeitos colaterais do Meloxicam?

Os efeitos colaterais desse medicamento variam conforme cada organismo, sendo eles:

  • Dor de cabeça;
  • Dores no abdômen;
  • Problemas digestivos;
  • Náuseas e/ou vômitos;

É necessário consultar um médico antes de ingerir esse medicamento?

Sem sombra de dúvidas. Somente um médico poderá prescrever esse medicamento de acordo com o quadro clínico do paciente, estabelecendo o período de tratamento e dosagem ideal.

Além disso, é necessário apoio profissional para acompanhar a evolução do tratamento, readequando a dosagem caso ocorram muitos efeitos colaterais.

publicidade

Alimentos que funcionam como anti-inflamatórios

Além de ingerir os medicamentos prescritos por um profissional, é necessário readequar alguns hábitos, principalmente no que se refere à alimentação, com a finalidade de prevenir e ajudar no tratamento das inflamações.

Os alimentos recomendados para fortalecer o sistema imunológico e torná-lo mais resistente às inflamações são:

  • Gengibre;
  • Mel;
  • Geleia real;
  • Alho e cebola (especialmente crus);
  • Cúrcuma (açafrão-da-terra);
  • Manjericão;
  • Alecrim;
  • Orégano;
  • Azeite de oliva extravirgem;
  • Óleo de coco;
  • Cogumelos;
  • Kefir;
  • Macarrão integral;
  • Arroz integral;
  • Aveia;
  • Linhaça;
  • Chia;
  • Lentilha;
  • Espinafre;
  • Brócolis;
  • Couve-manteiga;
  • Agrião;
  • Rúcula;
  • Iogurte natural;
  • Queijos magros;
  • Peixes (especialmente sardinha, salmão, atum e arenque);
  • Abacate;
  • Ovos (de galinha e de codorna);
  • Abacaxi;
  • Tangerina;
  • Acerola;
  • Limão;
  • Laranja;
  • Morango;
  • Amora;
  • Framboesa;
  • Mirtilo (blueberry);
  • Tomate;
  • Grão de bico;
  • Pão integral;
  • Chocolate amargo;
  • Salsinha;
  • Uva;
  • Pimentas vermelhas de sabor suave;
  • Pimentão vermelho;
  • Água de coco.

Além de ingerir esses alimentos com maior frequência, é recomendável optar pelo consumo desses itens na versão orgânica, ou seja, sem adição de agrotóxicos. Esses alimentos são cada vez mais acessíveis, sendo encontrados em grandes supermercados, em feiras livres e em feiras de pequenos produtores.

remedios-2

Quais alimentos devem ser evitados?

Determinados alimentos são altamente prejudiciais ao sistema imunológico, tornando o corpo suscetível às inflamações. Por isso, é necessário reduzir drasticamente o consumo deles. Esses alimentos são:

  • Molhos industrializados (molhos de tomate, molhos para saladas etc.);
  • Condimentos (ketchup, mostarda e maionese);
  • Temperos em pó ou tabletes (caldo de galinha, tempero pronto para arroz ou feijão etc.);
  • Alimentos enlatados (milho, ervilha, feijão etc.);
  • Alimentos congelados (lasanha, nuggets, hambúrguer etc.);
  • Salgadinhos;
  • Frituras em geral;
  • Sopas ou caldos em pó;
  • Macarrão instantâneo;
  • Alimentos embutidos (presunto, mortadela, salame, salsicha, bacon e linguiça);
  • Sucos de caixinha;
  • Biscoitos recheados;
  • Doces industrializados;
  • Carne vermelha (sobretudo os pedaços gordurosos);
  • Alimentos adoçados artificialmente;
  • Café;
  • Chá mate;
  • Chá preto;
  • Energéticos;
  • Bebidas alcoólicas.

Outras formas de fortalecer o sistema imunológico

Aprender a lidar com o estresse

Períodos longos de estresse fazem verdadeiros estragos no sistema imunológico, diminuindo as defesas do organismo e tornando-o muito mais suscetível a várias doenças, incluindo as inflamações.

Por isso, é fundamental aprender a lidar com esses momentos, identificando as causas do estresse e trabalhando para eliminá-las ou amenizar os efeitos.

publicidade

Para conseguir o reequilíbrio físico e emocional é recomendado:

  • Fazer psicoterapia;
  • Participar de sessões de yoga e meditação;
  • Recorrer às técnicas de acupuntura;
  • Participar de sessões de Reiki;
  • Fazer tratamentos aromaterápicos;
  • Ter atividades que favoreçam o bem-estar mental: prática de esportes, fotografia, dança, costura, jardinagem etc.

Cuidar do sono

A qualidade do sono é um fator essencial para melhorar as defesas naturais no organismo, tornando as pessoas mais dispostas para as atividades do dia a dia.

Para favorecer uma noite revigorante de descanso, é recomendável ingerir chás com propriedades relaxantes, contribuindo para aliviar também os sintomas típicos do estresse e ansiedade. Os chás mais indicados são:

  • Maracujá;
  • Capim-cidreira;
  • Camomila;
  • Jasmim;
  • Valeriana;
  • Erva-doce.

Manter o ambiente do quarto aromatizado com fragrâncias relaxantes também é uma excelente alternativa para combater a insônia. Essas fragrâncias são:

  • Flor de Laranjeira;
  • Capim-cidreira;
  • Lavanda (alfazema);
  • Sândalo;
  • Rosa;

Utilizar suplementos alimentares

Desde que autorizado pelo médico, o uso de suplementos alimentares evita que o organismo seja afetado pela carência nutricional quanto às vitaminas, minerais e demais substâncias indispensáveis para o sistema imunológico.

Para isso, recomenda-se fazer exames de sangue a cada 6 meses, verificando o quadro geral do organismo e, se necessário, fazer uso dos suplementos vitamínicos.

Tomar sol

E por falar em vitaminas, uma das fundamentais para as defesas imunológicas consiste na Vitamina D.

publicidade

Para que ela se apresente em bons níveis no organismo é essencial tomar 15 minutos de sol diariamente entre as 9 e 12 horas (sem utilizar filtro solar).

O motivo disso é que os raios solares estimulam a produção dessa vitamina, fazendo com que o organismo não sofra com a deficiência desse nutriente.

Obs.: após esses 15 minutos, o uso de protetor solar continua sendo indispensável.

Abandonar o cigarro

O vício do cigarro definitivamente não combina com um sistema imunológico forte. Portanto, para quem deseja ganhar saúde é imprescindível abandonar de vez esse hábito.

Todas essas informações demonstram que, além de utilizar o Meloxicam ou outros medicamentos, é necessário adotar uma série de cuidados com relação à saúde.

Bula do Meloxicam

Para fazer download da bula  clique aqui.

Preço Médio – Valor

O preço médio do Meloxicam 15 mg com 10 Comprimidos – Genérico na ultrafarma varia entre 16 à 34 reais.

publicidade
Imagens-  drogariaminasbrasil.com.br                  noticias.r7.com