Nistatina – Para que serve, Como usar, Colaterais, Preço e Bula

A Nistatina consiste em um medicamento genérico de uso adulto e pediátrico, sendo elaborado pelo laboratório Teuto.

Pertencente à classe dos antibióticos, ele é reconhecido por suas propriedades antifúngicas e antimicóticas, atuando no tratamento de diversas enfermidades. Para saber todas as informações quanto a esse medicamento, tais como para que serve, como usar, efeitos colaterais etc., confira nosso post.

Nistatina

Para que serve a Nistatina?

Esse medicamento é indicado para o tratamento de:

  • Candidíase da cavidade bucal;
  • Candidíase do trato digestivo;
  • Candidíase do trato digestivo superior;
  • Esofagite provocada por Candida (mais comum em pacientes que sofrem de doenças que requerem uso prolongado ou constante de antibióticos, procedimentos de radioterapia ou uso de drogas imunodepressoras que acarretam a queda da resistência do organismo e nos casos da Síndrome de Imunodeficiência Adquirida – AIDS).

Como usar a Nistatina?

O primeiro passo para o uso da suspensão oral desse medicamento é realizar a higiene bucal de maneira adequada (inclusive no caso de pessoas que utilizam prótese dentária).

publicidade

Após essa higienização, ao aplicar a suspensão oral é necessário manter o líquido na boca por alguns minutos (o maior tempo possível) antes que o líquido seja engolido. No caso de crianças e lactantes, é indicado colocar a metade da dose utilizada em cada lado da boca. Um detalhe importante é não esquecer de agitar bem a solução antes de utilizá-la.

Posologia

Lactantes

Para esse grupo de pacientes, a dose indicada é de 1 a 2ml quatro vezes por dia.

Bebês prematuros e crianças com baixo peso

De forma, geral, a dose de 1ml 4 vezes ao dia é suficiente para um tratamento efetivo.

publicidade

Crianças e adultos

Com relação a esse grupo, a dose varia de 1 a 6ml quatro vezes ao dia, sendo prescrita pelo médico de acordo com a intensidade do problema e quadro clínico do paciente.

Caso seja notado que o efeito desse medicamento não está de acordo com o esperado, é necessário que o paciente informe o médico com a maior brevidade possível para que a dosagem seja readequada ou ocorra a substituição do medicamento.

Quais os efeitos colaterais da Nistatina?

Como no caso da maioria dos medicamentos, o Nistatina pode apresentar alguns efeitos colaterais. São eles:

  • Náuseas e/ou vômitos;
  • Desconfortos gastrintestinais;
  • Diarreia;
  • Erupções cutâneas (que pode incluir urticária).

Caso o paciente observe esses efeitos colaterais ou outras reações com certa intensidade, é fundamental informar o médico para readequação do tratamento.

Qual o preço do Nistatina?

Por pertencer ao grupo dos genéricos, esse medicamento é facilmente encontrado nas farmácias brasileiras e possui valor bem acessível. O frasco contendo 50ml desse medicamento custa em média R$20,00. Mediante promoções realizadas em grandes redes de farmácia, é possível adquiri-lo por um preço na faixa de R$13,00.

Descontos também podem ser oferecidos no caso de pessoas cadastradas em determinadas farmácias, conforme política de preços do estabelecimento.

Demais informações contidas na bula do Nistatina

Composição

  • Nistatina;
  • Veículo q.s.p;
  • Aroma de menta;
  • Aroma de cereja;
  • Água de osmose reversa;
  • Hidróxido de sódio;
  • Carmelose sódica;
  • Propilparabeno;
  • Glicerina;
  • Metabissulfito de sódio;
  • Sacarina sódica;
  • Metilparabeno;
  • Ciclamato de sódio;
  • Álcool etílico.

Casos em que este medicamento é contraindicado

Pacientes com histórico de hipersensibilidade a Nistatina ou a qualquer um dos componentes contidos em sua fórmula.

Obs.: gestantes devem obrigatoriamente informar o médico sobre sua condição antes de iniciar o tratamento com esse medicamento.

Advertências e precauções

  • O preparo oral desse medicamento não é indicado para tratar micoses classificadas como sistêmicas. Caso seja observada hipersensibilidade ou irritação a este medicamento, é necessário interromper o tratamento, procurar o médico e adotar as recomendações prescritas.
  • De forma geral, é indicado que sejam realizados esfregaços com KOH, culturas e/ou outros métodos com o objetivo de confirmar o diagnóstico de candidíase e excluir outras classes de infecções provocadas por agentes nocivos.
  • Não são registradas recomendações especiais quanto ao uso desse medicamento por idosos.
  • Não há conhecimento de interações prejudiciais desse com outros tipos de medicamento.

Medidas de como evitar infecções fúngicas

Para evitar as infecções fúngicas, sobretudo no caso de pessoas que possuem um sistema imunológico mais sensível, é recomendado adotar algumas medidas simples, que são:

Realizar exames médicos com frequência

Para mensurar como está a saúde do sistema imunológico não basta fazer exames laboratoriais anuais ou semestrais. O ideal é manter uma frequência quanto à realização desses exames de pelo menos 3 meses, identificando com antecedência uma possível diminuição das defesas naturais do organismo. Exames de imagem e demais procedimentos devem continuar a ser realizados de acordo com orientações médicas.

Esse simples cuidado previne uma infinidade de doenças que podem ser causadas não apenas por fungos, mas também por bactérias e vírus.

Fazer uso de suplementos vitamínicos

Desde que autorizado por um médico, o uso de suplementos vitamínicos consiste numa excelente alternativa para evitar as carências nutricionais que acarretam a queda das defesas imunológicas do corpo.

Isso demonstra mais uma vez a importância de realizar exames com frequência. A partir deles, o médico conseguirá identificar se o organismo está sofrendo com a falta de determinadas vitaminas, minerais e demais substâncias essenciais para a saúde e prescrever a dosagem ideal de suplemento conforme quadro clínico do paciente.

Ter uma alimentação nutritiva

A alimentação adequada é um dos fatores mais determinantes para o fortalecimento das defesas imunológicas. Isso significa inserir no cardápio alimentos que fazem bem para o sistema imunológico e evitar ao máximo aqueles que são mais prejudiciais como, por exemplo, gorduras, açúcar e bebidas alcoólicas.

Ter uma atividade física

A prática regular de exercícios físicos é uma necessidade ainda maior para pessoas que possuem o sistema imunológico frágil. Além de a atividade física contribuir para o equilíbrio do peso e evitar uma série de doenças cardiovasculares, diabetes etc., ela estimula a produção de substâncias que funcionam como aliadas do sistema autoimune, melhorando significativamente a qualidade de vida das pessoas.

Portanto, além de fazer uso de medicamentos como a Nistatina, é obrigatório adotar medidas para aumentar as defesas naturais do organismo, evitando com isso inúmeras doenças provocadas por fungos, bactérias, vírus e demais agentes perigosos para a saúde.

Imagens: bularapida.com.br

publicidade