Quetiapina – Para que serve, Contra-indicações e Colaterais – Bula

Muitos são os elementos utilizados como medicamento para tratar determinados tipos de doenças. Entre eles está o remédio quetiapina. Para saber para quais situações ela é indicada e obter maiores detalhes, confira nosso artigo.

quetiapina

Quetiapina – O que é?

Trata-se de um medicamento pertencente à classe dos neurolépticos (também conhecidos como antipsicóticos atípicos). Dentre os fabricantes da HEMIFUMARATO DE QUETIAPINA, está o laboratório Geolab, sendo vendida em forma de comprimidos.

Indicações: Para que serve a Quetiapina?

Pelo fato de esse medicamento ser capaz de equilibrar as substâncias naturais existentes no cérebro, ele é indicado principalmente no tratamento de:

Esquizofrenia

Consiste numa doença mental crônica podendo ocorrer em adultos ou crianças. Entre os principais sintomas do quadro esquizofrênico, estão: alterações do pensamento, delírios, alucinações, diminuição da motivação, alteração da afetividade, entre outros.

Transtorno de humor bipolar e fases maníaco-depressivas

Distúrbio de origem psicológica relacionado a bruscas alterações de humor que vão desde a depressão até episódios mais graves de obsessão.

Outros usos da quetiapina

Esse medicamento também pode ser indicado no tratamento complementar para os seguintes casos:

  • TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo;
  • Estresse pós-traumático;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Autismo;
  • Alcoolismo;
  • Síndrome de Tourette (distúrbio oriundo do sistema nervoso, sendo caraterizado pela ocorrência de tiques nervosos e involuntários).

Contra-indicações

  • Gestantes;
  • Lactantes (mulheres que estão amamentando);
  • Crianças menores de 10 anos;
  • Pessoas que sofrem de intolerância à lactose;
  • Diabéticos;
  • Pacientes idosos diagnosticados com algum tipo de demência;
  • Pessoas alérgicas a qualquer um dos componentes da fórmula do medicamento.

Pessoas que sofrem com um ou mais dos problemas relacionados a seguir deverão fazer um acompanhamento médico ainda mais intensivo antes e durante o uso da quetiapina:

  • Episódios de infecção;
  • Alterações no colesterol ou triglicerídeos;
  • Doenças cardíacas;
  • Doenças vasculares ou cerebrais;
  • Pressão baixa;
  • Aumento dos riscos de pneumonia;
  • Histórico de convulsão;
  • Baixa quantidade de potássio ou magnésio no sangue;
  • Alteração nos movimentos;
  • Neuroléptica maligna.

Atenção: pacientes que fazem uso de Quetiapina não podem dirigir ou operar máquinas.

É terminantemente proibido ingerir bebidas alcóolicas enquanto estiver fazendo uso desse medicamento.

A Quetiapina não deve ser ingerida em paralelo ao uso de medicamentos depressores do sistema nervoso central.

Quais são os efeitos colaterais?

Como no caso da maioria dos medicamentos, esse também poderá apresentar efeitos colaterais, que são:

  • Boca seca;
  • Tontura;
  • Prisão de ventre;
  • Taquicardia;
  • Fraqueza leve;
  • Desconforto digestivo;
  • Hipotensão (diminuição da pressão arterial);
  • Aumento do peso;
  • Náuseas;
  • Dificuldade para dormir;
  • Cefaleia (dor de cabeça);
  • Irritação;
  • Diarreia;
  • Diminuição dos níveis de colesterol bom (HDL);
  • Aumento dos triglicerídeos;
  • Tremores;
  • Redução da hemoglobina (possui a função de transportar o oxigênio no organismo);
  • Alterações hormonais quanto à tireoide.

É necessário consultar um médico?

Sim! Somente um médico poderá prescrever esse medicamento de acordo com o caso de cada paciente.

Nessa situação, os especialistas consultados são o neurologista ou o psiquiatra.

Por meio de uma minuciosa avaliação clínica e até mesmo exames laboratoriais, eles poderão prescrever a dosagem ideal de acordo com o quadro geral do paciente, obviamente obedecendo às contraindicações e esclarecendo quanto aos efeitos colaterais.

De forma alguma o paciente poderá ingerir esse medicamento por conta própria, já que isso poderia causar sérias complicações no sistema nervoso central e no organismo como um todo, agravando a doença.

Acompanhamento psicológico da quetiapina

Acompanhamento psicológico é fundamental

Por mais que seja necessário fazer uso de medicamentos, é indispensável contar com acompanhamento psicológico com o objetivo de tratar as causas das doenças mencionadas, fazendo com que o paciente tenha muito mais qualidade de vida.

Mudança de hábitos é essencial

Para que os indivíduos alcancem a melhora, também é necessário estar disposto a adquirir alguns hábitos que podem ajudar bastante ao superar ou diminuir os efeitos de certas doenças de origem psicológica/neurológica. Esses hábitos são:

Cuidar bem da alimentação

É comprovado que uma alimentação exagerada em gordura e açúcar é uma das grandes responsáveis pela fadiga, falta de energia e aquela sensação de desânimo.

Por isso, vale a pena procurar um nutricionista para que ele passe uma dieta balanceada e com alimentos que favoreçam a saúde do sistema nervoso central, proporcionando maior equilíbrio para o organismo.

Praticar atividade física

A atividade física é uma importante aliada no combate a diversos transtornos psicológicos (desde que realizada com acompanhamento médico) e conforme condições físicas e psicológicas de cada paciente.

Durante os exercícios físicos, são liberadas duas importantes substâncias responsáveis por provocar a sensação de bem-estar: a serotonina e a endorfina.

Com isso, de forma natural, as pessoas conseguem melhor qualidade de vida e maior ânimo para as atividades diárias.

Ter um hobby

Para ter bem-estar mental é indispensável reservar um tempo para realizar atividades que proporcionem prazer mental.

Essas atividades podem ser: pescar, fotografar, cuidar de plantas, dançar, fazer artesanato, bordar, praticar algum esporte, passear com o animal de estimação, jogar xadrez, desenhar, ler etc. O importante é que cada indivíduo identifique qual atividade lhe agrada mais.

Utilizar terapias complementares

Além de fazer sessões de terapia com um psicólogo, é muito interessante buscar terapias complementares que apresentam excelente resultado no equilíbrio do corpo e da mente.

Entre essas terapias, estão: reiki, yoga, acupuntura, meditação, aromoterapia etc. Cada dia mais pessoas procuram essas técnicas para aprender lidar melhor com situações estressantes e com os desafios próprios da vida.

Manter o corpo bem hidratado

Para que o organismo (incluindo as atividades cerebrais) funcionem bem, é imprescindível manter o corpo bem hidratado. Para isso, é preciso ingerir 2 litros de água todos os dias, evitando também o risco de outras doenças.

Buscar ter uma vida social

Por mais que isso a princípio seja difícil, pessoas que sofrem de esquizofrenia ou demais questões relacionadas ao psicológico de forma alguma podem se isolar.

O ideal é, dentro do possível, sempre manter o relacionamento com familiares, amigos etc. Isso ajuda muito para que a doença não se agrave e acima de tudo faz com que a pessoa se sinta estimada, fazendo toda diferença para o tratamento.

Em suma, além de fazer uso da quetiapina prescrita pelo médico, é fundamental cuidar de vários outros aspectos, identificando e tratando também as causas de cada problema.

Bula do quetiapina

Para baixar a bula do quetiapina, clique aqui.

Valor médio – Preço do quetiapina

O preço médio do remédio quetiapina varia entre 100mg (30 comprimidos) pode custar 100 à 200 reais. Já o genérico pode custar em torno de 80 reais.

Leia Também: