Rivotril – O que é, para que serve, contraindicações e efeitos colaterais

O Rivotril é um dos medicamentos mais consumidos no país, sendo indicado para diversas situações.

Para saber para que ele serve, as contraindicações, efeitos colaterais e demais informações, confira nosso post.

No que consiste o Rivotril?

rivotril

Rivotril é o nome comercialmente dado a uma droga chamada de Clonazepam que, por sua vez, pertente à classe das benzodiazepinas, substâncias capazes de atuar nas atividades do sistema nervoso central, agindo no tratamento de doenças de ordem neurológica ou psiquiátrica.

De maneira geral, as propriedades desse medicamento apresentam efeito tranquilizante, sedativo, relaxante muscular e anticonvulsivante, sendo disponibilizado em comprimidos, gotas e na versão sublingual.

 

 

 

Composição do Rivotril

Comprimido

  • Clonazepam;
  • Estearato de magnésio;
  • Talco;
  • Lactose;
  • Amido pré-gelatinizado;
  • Óxido de ferro amarelo;
  • Amido de milho;
  • Óxido férrico.

Gotas

  • Clonazepam;
  • Ácido acético;
  • Essência de pêssego;
  • Sacarina sódica;

Sublingual

  • Clonazepam;
  • Manitol;
  • Estearilfumarato de sódio;
  • Celulose microcristalina;
  • Amidoglicolato de sódio;

E para que serve esse medicamento?

De forma geral, os medicamentos feitos com Clonazepam são indicados para tratar:

  • Crises epilépticas ou convulsivas;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Transtornos de humor;
  • Espasmos em crianças;
  • Síndromes de origem psicótica;
  • Distúrbios do equilíbrio corporal em crianças e adultos;
  • Vertigens;
  • Síndrome das pernas inquietas e da boca ardente.

Quais as contraindicações do Rivotril?

Embora esse medicamento apresente uma série de benefícios para a saúde e seja indispensável em muitos casos, ele não é indicado nas seguintes situações:

  • Pessoas que sofrem de graves enfermidades nos pulmões;
  • Pacientes diagnosticados com doenças no fígado;
  • Pessoas que sofrem de glaucoma agudo de ângulo fechado;
  • Pessoas alérgicas ao Clonazepam, aos benzodiazepínicos ou a qualquer um dos itens contidos na fórmula desse medicamento.

Quais são os efeitos colaterais?

  • Raciocínio lento;
  • Sonolência excessiva;
  • Infecções no aparelho respiratório;
  • Dores de cabeça;
  • Fadiga;
  • Depressão;
  • Irritação;
  • Tontura;
  • Náuseas;
  • Dificuldade de concentração;
  • Palpitações;
  • Falta de apetite;
  • Fraqueza muscular;
  • Falta de desejo sexual;
  • Desidratação.

Cuidados especiais ao ingerir esse medicamento

  • Gestantes ou mulheres que estão amamentando deverão obrigatoriamente informar sua condição ao médico antes de ingerir medicamentos com Clonazepam (Rivotril);
  • Pessoas que sofrem de qualquer tipo de doença também deverão informar ao médico durante a consulta clínica;
  • O tratamento não pode ser interrompido sem consentimento médico, já que isso poderia causar sérias complicações no organismo, sobretudo no sistema nervoso central;
  • Durante o tratamento com esse medicamento, fica proibida a ingestão de álcool ou qualquer tipo de droga;
  • Pessoas que fazem uso de Rivotril não podem operar máquinas e devem evitar dirigir veículos (sobretudo à noite), já que a capacidade cognitiva de quem usa esse medicamento fica mais lenta.

É necessário procurar um médico para tomar Rivotril?

Sim. Somente um médico poderá recomendar o uso desse medicamento, conforme quadro clínico de cada paciente, já que ele possui tarja preta e só pode ser vendido mediante apresentação da receita azul.

Além disso, os problemas aos quais esse medicamento é destinado requer acompanhamento médico frequente, seja de um neurologista, psiquiátrica ou clínico geral.

saude

É recomendável procurar um psicólogo?

Sim. Sobretudo no caso de pessoas que sofrem de ansiedade crônica, transtornos do humor e demais doenças de caráter psicológico devem contar com o apoio de um profissional, fazendo sessões de terapia para conseguir lidar melhor com as emoções e potencializar o efeito do remédio.

Isso vale tanto para crianças quanto para adultos, fazendo com que, com o passar do tempo, seja possível diminuir a dosagem do remédio (mediante autorização médica).

Terapias complementares que auxiliam no tratamento

As chamadas terapias holísticas, ou seja, aquelas que atuam no tratamento das pessoas de forma integral, abordando os aspectos físicos, mentais, emocionais, energéticos e até mesmo espirituais são de grande ajuda no tratamento de doenças relacionadas ao sistema nervoso central.

Por meio de técnicas simples e totalmente naturais, sem oferecer riscos à saúde, é possível obter excelentes resultados. Essas terapias são:

Reiki

Pela técnica de imposição de mãos, o objetivo do Reiki é reequilibrar os centros de força do corpo, fazendo com que as defesas imunológicas trabalhem melhor e o indivíduo adquira bem-estar físico e mental, ajudando no tratamento de diversas doenças.

Yoga e meditação

Durante as sessões de yoga e meditação, muito além de melhorar a respiração e postura, os indivíduos aprendem a lidar com a mente e as emoções, conseguindo desenvolver técnicas de relaxamento que melhoram a qualidade de vida, tornando as pessoas mais dispostas no dia a dia.

Aromaterapia

Por meio do uso de óleos essenciais, nas sessões de aromaterapia é feito um tratamento de acordo com a necessidade de cada indivíduo, ajudando a aliviar sintomas de doenças de caráter físico e emocional, entre elas ansiedade, depressão, síndrome do pânico etc.

Dicas extras de saúde e qualidade de vida

Independentemente de fazer ou não uso de algum medicamento, para que as pessoas ganhem em saúde e qualidade de vida é essencial:

Cuidar da alimentação

Uma alimentação nutritiva, ou seja, rica em frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos etc. faz verdadeiros milagres pela saúde do corpo e da mente.

Além de adicionar esses itens no cardápio diário, é recomendável optar pelo consumo de alimentos orgânicos (aqueles que não contêm agrotóxicos).

Esses alimentos promovem a desintoxicação do organismo, fazendo com que sejam ingeridos número maior de vitaminas, minerais e demais substâncias se comparado ao dos alimentos convencionais.

Cuidar do sono

Ter um sono de qualidade é fundamental para todas as pessoas, sobretudo aquelas que sofrem de problemas relacionados ao sistema nervoso central.

Dormir 8 horas por noite, estabelecendo horários fixos para deitar e levantar é uma questão de saúde, fazendo com que o remédio apresente melhores resultados.

Ter uma atividade física

Desde uma simples caminhada até a prática de um esporte, a atividade física é fundamental para ajudar no tratamento.

Além de evitar uma série de doenças como diabetes, colesterol, hipertensão etc., ela fortalece a imunidade e libera importantes hormônios que diminuem os sintomas da ansiedade, depressão, síndrome do pânico etc.

A combinação do uso de Rivotril com os demais cuidados mencionados acima é de grande ajuda no tratamento das doenças.

Vale lembrar que todos os procedimentos do paciente devem ser informados ao médico, que deverá autorizar a prática de atividade física e recomendar os alimentos mais favoráveis de acordo com o quadro de saúde de cada paciente.

Bula do Rivotril

Para fazer download da bula clique aqui.

Preço Médio – Valor

O preço médio do Rivotril 2 mg com 30 Comprimidos na ultrafarma varia entre 19 à 22 reais.

Imagens- veronpills.com                       acritica.com

Leia Também: