Topiramato – O que é, para que serve, contraindicações e efeitos colaterais

O Topiramato consiste em um medicamento bastante comum no Brasil, sendo destinado ao tratamento de problemas de origem neurológica.

topiramato

Topiramato – O que é?

Trata-se de um medicamento pertencente à família dos anticonvulsivantes, sendo descoberto durante a década de 70 e amplamente comercializado em formato de comprimidos com 25, 50 e 100mg.

Topiramato – Para que serve?

De maneira geral, esse medicamento é recomendado no tratamento de:

  • Crises convulsivas (ou epilépticas) em adultos e crianças;
  • Enxaqueca;
  • Crises relacionadas à Síndrome de Lennox-Gastaut (um tipo raro de epilepsia infantil).

 Topiramato – Quais são as contraindicações?

Esse medicamento, embora eficaz no tratamento das doenças acima, não deve ser utilizado nos seguintes casos:

  • Gestantes;
  • Lactantes (mulheres que estão amamentando);
  • Pessoas alérgicas a esse medicamento ou a qualquer um dos componentes de sua fórmula;
  • Pacientes que apresentam ou já apresentaram problemas nos rins, quadros de alergia ou alterações nos olhos deverão informar o médico durante a consulta.

Obs. 1: Pacientes que façam uso de outros medicamentos ou que possuam algum tipo de doença também deverão informar essa condição ao médico.

Obs. 2: os médicos recomendam que, ao ingerir esse remédio, primordial que o paciente mantenha o organismo bem hidratado, ingerindo 2 litros de água diariamente e evitando bebidas diuréticas ou alimentos com excesso de sódio (sal).

Quais são os componentes da fórmula?

Comprimido…………25mg

  • Topiramato;
  • Dióxido de titânio;
  • Lactose monoidratada;
  • Polietilenoglicol;
  • Celulose microcristalina;
  • Amido pré-gelatinizado;
  • Hipromelose;
  • Croscarmelose sódica;
  • Estearato de magnésio.

Comprimido…………50mg

  • Topiramato;
  • Óxido de ferro amarelo;
  • Lactose monoidratada;
  • Macrogol;
  • Celulose microcristalina;
  • Dióxido de titânio;
  • Amido pré-gelatinizado;
  • Estearato de magnésio;
  • Croscarmelose sódica;

Comprimido………..100mg

  • Topiramato;
  • Celulose microcristalina;
  • Lactose monoidratada;
  • Estearato de magnésio;
  • Hipromelose;
  • Amido pré-gelatinizado;
  • Dióxido de titânio;
  • Óxido de ferro amarelo;
  • Croscarmelose sódica;

Quais os possíveis efeitos colaterais do Topiramato?

Variando conforme características de cada organismo, entre os possíveis efeitos colaterais apresentados por esse medicamento, estão:

  • Dor de cabeça;
  • Vertigem;
  • Sonolência;
  • Irritabilidade;
  • Problemas relacionados à coordenação motora;
  • Cansaço;
  • Dificuldade para falar;
  • Dificuldade de raciocínio e memorização;
  • Formigamento na pele;
  • Náuseas;
  • Alterações de humor;
  • Perda do apetite;
  • Perda de peso;
  • Ocorrência de cálculos renais;
  • Leucopenia (diminuição do nível de leucócitos no sangue).

remedio-saude

Cuidados especiais

Ao fazer uso de medicamento, o paciente fica terminantemente proibido de ingerir bebidas alcoólicas.

Fica proibido também operar máquinas, nadar, subir escadas e dirigir.

Familiares, amigos, colegas de trabalho e demais pessoas próximas à pessoa que sofre de crises convulsivas devem saber do problema, sendo orientadas de como deverão agir no caso de uma crise. Isso também dará maior segurança ao paciente.

É necessário consultar um médico para ingerir esse medicamento?

Sim. Esse medicamento será prescrito após uma detalhada avaliação clínica do paciente e realização de diversos exames para comprovação do diagnóstico, procedimentos geralmente realizados por um neurologista que também recomendará a dosagem ideal e tempo de tratamento.

O uso desse medicamento deve ser acompanhado pelo médico, sendo que ao ocorrer um ou mais dos efeitos colaterais mencionados, o paciente deverá informar ao profissional imediatamente.

No caso de crianças, o ideal é contar também com o acompanhamento de um pediatra.

O que provoca as crises convulsivas?

As crises convulsivas ou epilépticas ocorrem em virtude de desequilíbrios quanto à atividade elétrica do cérebro, apresentando-se com maior ou menor frequência. Essas alterações elétricas no cérebro podem ocorrer em virtude das seguintes situações:

  • Significativas alterações nos níveis de glicose ou sódio na corrente sanguínea;
  • Ocorrência de infecções cerebrais (incluindo a meningite);
  • Tumores cerebrais;
  • Problemas cerebrais congênitos (ocorridos antes do nascimento);
  • Lesões cerebrais ocorridas em bebês durante ou após o parto;
  • Uso de drogas (sobretudo as ilícitas, tais como cocaína, anfetaminas etc.);
  • Asfixia (dificuldade de respirar);
  • Choques elétricos;
  • Febre alta (sobretudo em crianças pequenas);
  • Lesões na região da cabeça;
  • Ocorrência de doenças cardíacas;
  • Doenças associadas à intolerância ao calor;
  • Problemas quanto ao funcionamento dos rins;
  • Problemas relacionados ao funcionamento do fígado;
  • Brusca diminuição dos níveis de açúcar no sangue;
  • Envenenamento ou grave intoxicação;
  • Ocorrência de AVC – Acidente Vascular Cerebral;
  • Hipertensão severa;
  • Toxemia de gestação (hipertensão ocorrida especificamente durante o período de gestação);
  • Aumento da presença de resíduos no sangue;
  • Suspensão de medicamentos (sem a devida autorização médica), incluindo antidepressivos, analgésicos etc.;
  • Suspensão (sem a devida autorização médica) de medicamentos benzodiazepínicos;
  • Picadas e ferroadas de animais venenosos.

Sintomas de alerta que ocorrem um pouco antes da crise

  • Alterações na visão;
  • Vertigem;
  • Desconforto estomacal;
  • Sensação súbita de ansiedade ou medo.

Sintomas que ocorrem durante ou após a crise

  • Confusão mental;
  • Perda de consciência;
  • Queda (parecida com um desmaio);
  • Espasmos musculares involuntários;
  • Salivar excessivamente ou espumar pela boca;
  • Enrijecimento do maxilar (apresentando dentes cerrados);
  • Mordidas na língua (podendo provocar hemorragias);
  • Súbitos e rápidos movimentos oculares;
  • Perda de controle das funções do intestino e bexiga;
  • Brusca alteração de humor.

Tratamentos complementares para crises convulsivas

Além de ingerir os medicamentos prescritos pelo médico, ao tratar crises convulsivas é recomendável recorrer à alguma terapia complementar que podem ajudar (e muito) na melhora da qualidade de vida do paciente. Entre as opções de terapias, estão:

Yoga e meditação

Aulas de yoga e meditação contribuem para a respiração, melhorando a circulação sanguínea e as atividades cerebrais.

Além disso, essa terapia oriental ajuda os indivíduos a lidarem com sintomas associados ao estresse, ansiedade e depressão, situações que podem agravar os sintomas de quem sofre de crises convulsivas.

Reiki

Essa técnica oriental que utiliza a imposição de mãos é de grande ajuda no tratamento complementar de diversas doenças de caráter físico e emocional.

O objetivo dela é equilibrar os centros de força do corpo, tornando o organismo menos suscetível às doenças.

O Reiki também contribui para o relaxamento, respiração e favorece a sensação de bem-estar físico e mental.

Psicoterapia

É natural que as pessoas que sofrem de crises convulsivas sintam-se inseguras ou com sentimentos de baixa autoestima.

Por isso, é recomendado procurar apoio terapêutico junto a um psicólogo. Isso ajudará bastante a lidar com os efeitos da doença sem prejudicar as atividades cotidianas.

O uso do Topiramato jamais deverá ser suspendido sem orientação médica, sendo necessário seguir à risca o tratamento prescrito e manter o médico informado de todas as reações.

Bula do Topiramato

Para fazer download da bula clique aqui.

Preço Médio – Valor

O preço médio do Topiramato 25 mg com 60 Comprimidos- Genérico ultrafarma varia entre 28 à 85 reais.

Imagens-  dicassobresaude.com                     alzheimer360.com

Leia Também: